Entrevistas

ARMA – Satanik Rock’n’Roll

ARMA é um dos projetos criados por “Raphael Nattens”, um batalhador underground que já pugna na cena há um bom tempo, e sempre criando projetos insano e de grande apreciação underground. ARMA é um projeto que que vem ganhando forma mais coesa, sempre lançando fuderosos artefactos…, conversamos com o Raphael, que nos relata o que está por vir, Satanik Rock’n’Roll …

Confiram!

Rock n' Roll Murderers, CD 2016
Rock n’ Roll Murderers, CD 2016

E ai mah, de boas por ai?! Espero que sim! Rapah, o ARMA ganhou uma notoriedade após o lançamento do CD “Rock n’ Roll Murderers”, 2016, este que também teve uma reedição via “Sylphorium Records”, aliás, vi recente que também foi lançado e versão tape, via “Sanatório Records” (da Costa Rica), com uma arte e também com os sons remasterizados…, houve outra versão deste fuderoso CD ou somente as citadas? E, como avaliar este primeiro CD Oficial da banda?!

Nts – Salve Hioderman e obrigado por nos ceder espaço mais uma vez em suas empreitadas!

O disco saiu nos formatos citados e existem propostas para relançamentos em outros lugares do mundo. Infelizmente devido aos meus afazeres do dia a dia eu não divulguei o bastante os materiais lançados pela banda, ficando a cargo dos selos que lançaram ou mesmo a internet. Ainda assim, os resultados foram bons e a nova capa e masterização do álbum está tendo uma ótima aceitação.

O Grito Sujo do Subterrâneo, 4way CD 2016

Em 2016 também foi lançado os CDs “O Grito Sujo do Subterrâneo – 4way CD Thrashera / Orgia Nuclear / Deathcharge / Arma” e o “Aliança Infernal – 4way CD Factor Kill / Arma / Sakhet / Atomic Bomb”, estes CDs lançados junto ao full não atrapalharam na hora de divulgar? Aliás, houve algum atrito para atrasos e os 3 CDs saírem a mesmo tempo?

Nts – 2015/16 foram bons anos, os selos estavam bem produtivos e um lançamento não atrapalhou o outro, ao contrário, ajudou bem na divulgação!

Algo interessante do ARMA são as versões tapes, aliás, muitas eu nem tenho (sniff), mas, seria prioridade sempre as versões tapes, digo, visto que a maioria são lançamentos de selos de fora do Brasil.

Nts – As fitas k7 fazem parte da minha vida. Cresci ouvindo fitas k7 e meu primeiro registro oficial foi em tape. Então é algo que faço questão, ter os meus lançamentos todos em tape, não só o Arma, mas todos os outros projetos.

Metal Punk Attack, CD demo 2015

Mah, “Metal Punk Attack”, primeiro CDr demo, feito em parceria com selos undergrounds (participei do lançamento), teve uma excelente divulgação…, 1000 cópias envelope…, mas, algo que chamou bastante a atenção foi o título que, de uma certa forma, contraditório, visto que o underground anda meio desunido…, qual foi o real intuito do título da demo…

Nts – Na verdade sempre foi desunido, mas existem e sempre existirão as alianças, estas são fortes e é o que importa! Quando lancei a demo Metalpunk Attack eu me inspirei no som Metal Punk do Venom do disco Calm Before the Storm e assim como Venom nunca tivemos uma sonoridade Punk, sempre foi Metal. Já as letras, elas falam de um estilo de vida e união entre bangers e punks subversivos num mundo em caos. Hoje estamos focados em outros temas mais obscuros/magia/caos.

O ARMA antes era só um projeto seu, aliás, acho que você gravou tudo só, se não me falha a memória, mas, hoje a banda já está firmada, fazendo shows… essa formação atual, também deu fruto há outros projetos?

Nts – O ARMA nasceu sem nenhuma pretensão, era apenas um projeto que eu gostei de fazer e divulguei no youtube. Não havia pretensão de lançar uma demo. Mas o resultado da divulgação na internet foi positivo e logo as pessoas começaram a pedir material e pedir shows. Sendo assim eu acabei levando a frente o projeto e desde o início já passei por algumas formações. No momento temos uma formação estável, mas devido aos meus problemas do dia a dia, as coisas podem mudar de rumo de uma hora para outra.

Rapah, olhando aqui pro tempo e, agora que notei, mais de 2 décadas de amizade, aliás, conheci você quando ainda tinha o MORDOR, e, você estava de viagem marcada pra ir morar no Reino Unido. Essa sua temporada fora do Brasil, você também criou o Order Of Tepes (capitaneei o lançamento do CD oficial), Gates Ov Carpathia, dentre outros projetos mais voltados pro ambient e harsh noize…, destes projetos, quais ainda estão na ativa?

Nts – Vários deles… eu nem sei pra te falar a verdade! Há há

São só um passa tempo, eu gosto de produzir, compor… etc.

A banda que eu foco numa produção mais séria é o ARMA e também o PRIMITIVE e o TUMULO. O resto são apenas projetos que nunca sairão desse patamar.

Rapah, num poderia perder a oportunidade, recente você e o Jonhatam (do Orgia Nuclear) lançaram o primeiro CD do Algoz Profanador…; fora que também foi lançado um dos CDs mais fodassos, o Madrigal; e, o também magnifico primeiro CD do Serpent Coven. Mah, sobra tempo pra mais algo além de fazer música, kkk!!

Nts – Tem que sobrar… estou no último ano na faculdade de Direito e as coisas estão bem difíceis de conciliar. Eu tenho muito coisa gravada que vai saindo com o tempo e parece que foi produzido recentemente, mas por exemplo, o Madrigal já estava gravado há 5 anos antes de ser lançado e o Serpent Coven desde 2009. Tenho outras coisas aqui, algumas com mais de 10 anos gravadas que ainda vão ver a luz da lua.

Satanik Rock ‘n’ Roll Fucking Hell, Split CD 2017

Em 2017 o ARMA lança um Split com o ABIGAIL (via Mutilation Recs), banda que curto muito, mah, como se deu esse convite da parceria? E, o resultado final, foi o esperado? E, mah, que covers fuderosos, Dancing on Your Grave (Motörhead cover) e Take Control (Raven cover), excelente escolha, hehe!

Nts – Eu sou um grande fã de Abigail e Barbatos, conheci o som deles através das gravações em k7 que comprávamos na Heavy metal Rock (demorava meses para chegar). Quando rolou a ideia do split foi sensacional e recentemente o Yasuiuki do Abigail convidou o Arma para participar de um tributo ao Abigail e nós gravamos um som para esse tributo. Ficamos honrados com o convite!

Kommander of Kaos Festival, VHS 2018

Os trampos mais recentes do ARMA são o CD Split “Metal Punk Rising Wild – Arma / Trimegisto” e o VHS (isso mesmo, VHS) “Kommander of Kaos Festival”, já há algo sendo preparado para este final de 2019? E, por qual motivo os trampos em maioria são splits?

Nts – Os splits acontecem de forma natural, as bandas entram em contato e se temos sons engatilhados, e gostamos da banda, com certeza vamos fazer.

Em 2019 acho que não vamos conseguir lançar mais nada, o ano foi bem corrido, mas estamos compondo material que deve sair no início de 2020.

Creio ser tudo por esta, valeuz ai meu amigo! E, que você continue a criar músicas insanas e diversos projetos e sempre a nos agraciar com essas belas canções, hehe!

Espaço para algo mais que desejem relatar.

Nts – Hail!!!

Obrigado pelas palavras e o apoio não só a nós do ARMA, mas toda a cena nacional!

Mantenham as chamas do verdadeiro Metal queimando alto em seus corações!!!

Confiram abaixo o último lançamento, conforme informado na entrevista:

Mostrar mais

Hioderman ZArtan

Editou os zines "Anaites" e o "Guerreiros Zineiros". Designer gráfico Underground e mentor do Anaites Records.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar