Entrevistas

AXECUTER – “Tudo que fazemos é pra nós mesmos e também para os verdadeiros fãs de Metal…”

Com o ótimo álbum recém lançado, Surrounded By Decay, esta banda vem com este último trabalho obtendo excelentes críticas ao redor do mundo. E para celebrarmos este feito convidados a banda para um bate papo onde podemos saber mais sobre tudo que cerca o grande Axecuter.

Danmented, Foto por: Lyrian Oliveira

AXECUTER, muito obrigado por esta entrevista. Primeiramente, fale um pouco sobre este positivo momento da banda, tenho visto que vocês definitivamente não param, sempre se apresentando, sempre levando o verdadeiro Heavy Metal a todas as regiões. Fale também sobre esta atual formação, vocês acreditam ser a mais consolidada desde o início da carreira?

Danmented – Nós que agradecemos pela oportunidade, pelo espaço pra essa entrevista! Com certeza, essa é a formação mais sólida e mais entrosada. As formações anteriores foram importantes, mas eu acredito que a atual está perfeita para fazer a banda seguir adiante.

Rascal – Eu não posso falar sobre o período em que eu não estava na banda, obviamente, mas posso dizer que estamos entrosados e trabalhando forte todos os dias para que possamos sempre estar evoluindo, compondo material e levando a banda a lugares que nunca estivemos antes.

Verdani – O momento positivo se deve a tudo que foi feito pela banda desde o início, e justamente a ideia é não parar. Essa consistência ajuda a construir um nome forte e adquirir algum respeito. E fazendo o nosso som, que é o principal, é o que gostamos e é o que esperam. Prefiro dizer que a banda como um todo está consolidada, todos que passaram pela banda contribuíram muito e, com essa formação, que está trabalhando junta há 3 anos, posso afirmar que estamos mais “pilhados” (palavra que utilizamos bastante), com algumas ideias mais arrojadas. A paixão pelo que fazemos nos faz acreditar que há muito pra fazer ainda e felizmente somos 3 caras pensando igual.

Rascal, Foto por: Lyrian Oliveira

“Surrounded By Decay” é um álbum simplesmente fantástico! Mas, ouvindo de vocês, acreditam que este possa ser o melhor álbum da carreira do AXECUTER?

Rascal – Poxa, obrigado mesmo pelas palavras! Eu gosto bastante do material antigo, não gosto muito de comparar, porque justamente acho isso muito difícil. Eu estou muito orgulhoso do que fizemos e de como trabalhamos.

Verdani –  O melhor álbum da carreira do Axecuter sempre será o que está por vir (risos).

Danmented – Tudo que a banda produziu foi feito com o máximo de empenho e dedicação dos integrantes envolvidos, fica difícil decidir qual o “melhor”, porque nós gostamos de tudo (risos)!. Quem acompanha a banda e conhece as músicas é que pode avaliar melhor, pois é algo bem subjetivo.

Em relação aos lançamentos anteriores, como está sendo a receptividade do público em relação a este trabalho?

Verdani – Estamos há 4 meses trabalhando na divulgação e, até agora, se tratando de um lançamento de inéditas bastante aguardado, está gerando boa procura e boas resenhas. Esperamos bem contentes, que continue assim.

Verdani, Foto por: Lyrian Oliveira

Vocês trabalharam com o grande amigo e produtor Ivan Pellicciotti. Como foi trabalhar com um profissional deste nível?

Rascal – Quando vimos a oportunidade de trabalhar com o Ivan, não tivemos dúvidas de fazer uma parceria com ele. O cara está morando na nossa cidade, foi uma chance de ouro e essa mostrou-se a melhor das escolhas que poderíamos fazer. Um cara que tem esmero no metal, foi sensacional.

Verdani – Uma parceria que deu certo! Passamos um mês em seu estúdio, trabalhando praticamente todo dia, suando a camisa e também nos divertindo, isso influenciou muito no resultado. O Ivan é uma figura ímpar, o procuramos pela sua experiência, sua qualidade técnica e tivemos muito mais que isso, ganhamos um amigo.

O AXECUTER já pode ser considerado um dos principais nomes do estilo na América do Sul. Quais as principais dificuldades encontradas no cenário atual, comparado ao início da banda?

Danmented – Obrigado pelas palavras! Acho que as dificuldades são as mesmas desde o início: falta de tempo pra podermos compor mais e fazer mais shows, limitação de grana pra novos projetos, público que está diminuindo nos shows, coisas desse tipo. Fora ter que lidar com os imbecis fofoqueiros de internet, mas eles que se fodam!

2019 – Surrounded by Decay “Full-length”

Rascal – Tudo que fazemos é pra nós mesmos e também para os verdadeiros fãs de Metal, gostamos de celebrar com eles, seja nos shows, seja no toca-discos, CD player ou tape deck. Mas as bandas precisam de apoio, precisam vender material e ter um bom público em seus shows, às vezes vemos algumas pessoas “deixando isso pra depois”. Outra coisa que merece ser mencionada é a batalha contra a “indústria fonográfica digital”. Uma banda independente não ganha nada com disso, os valores são ridiculamente baixos, os apreciadores de música precisam entender que, sem a venda de material, as bandas têm dificuldades de continuar existindo e levando novos materiais até eles.

Gostaria de falar sobre o “A Night Of Axecution”, como foi trabalhar em um disco ao vivo? A sensação do show é diferente quando se é gravado? Ou para vocês toda apresentação tem a mesma energia?

Verdani – Inicialmente surgiu apenas a oportunidade de fazer a captação de um show completo, a gente mal lembrava que o “rec” estava ligado. Depois da mixagem, nós gostamos do resultado e assim saiu esse álbum ao vivo. Por mim, gravaria todos os shows.

Rascal – Com esse disco, buscamos proporcionar uma experiência mais “cara a cara”, mais próxima do que você pode ter quando esbarrar com o Axecuter por ai. Nós procuramos esquecer que estava gravando e fizemos o que sempre fazemos. O nosso sentimento foi o mesmo dos outros shows e isso foi o que mediu a nossa satisfação com o trabalho.

Axecuter, Foto por: Divulgação

Voltando ao “Surrounded By Decay”, você inovaram no formato de lançamento, como surgiu essa ideia de buscar “patrocínios”?

Verdani – A ideia surgiu para o disco ao vivo, com menos parcerias, além do selo de lançamento Mindscrape Music. O “Surrounded by Decay”, nós mesmos lançamos, começamos a buscar essas parcerias com bastante antecedência e felizmente elas vingaram. Foi uma ótima ajuda para lidar com os custos de produção de um CD.

Rascal – Nossos parceiros estão na luta, assim como nós. Um pode ajudar o outro, então fizemos algo que impulsiona tanto a banda quanto os apoiadores do lançamento.

Acredito que com este trabalho, o AXECUTER esteja definitivamente pronto para encarar uma Europa, estou certo? Qual o pensamento da banda sobre isso? Está nos planos?

Danmented – A banda está pronta, nós é que não estamos (risos)! Não temos grana pra investir em booking e não temos tempo pra fazer uma tour mais longa, pois nossos empregos não nos permitem. Levar a banda pro exterior (Europa ou América Latina) ainda é um objetivo a ser alcançado, quem sabe um dia…

Verdani – Sem dúvidas, existem algumas portas, mas elas são um pouco “pesadas” para abrir, hehe. A banda tem um certo reconhecimento na América do Sul, também é um terreno que nunca pisamos e será uma experiência tão valiosa quanto.

Desde já, agradeço esta entrevista, deixo um espaço para as considerações finais:

Rascal: Gostaria de agradecer a vocês pela entrevista e resenha do CD, foi uma grande oportunidade de ter um feedback de pessoas que também são apaixonadas pelo Metal, isso é algo extremamente valioso para nós.

Patrick de Souza
Band Manager
+55 (46) 9 8838-7204
Francisco Beltrão/PR – Brazil

Mostrar mais

Luis Lozano

Programador e designer gráfico para a web, com diversos trabalhos realizados com foco na informação e fortalecimento do underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar