EntrevistasStormy News

BLACKMASS – Entronizando a Iluminação Luciferiana

" Metal Negro é Liberdade..."

BLACKMASS surgiu no plano material em 2001. De lá pra cá, vem se destacando cada vez mais, não só no Brasil como em todo mundo. Divulgando seu recente trabalho, conversamos com Lord Aeshma, para saber sobre as atividades da banda e um apanhado de sua trajetória.  

O BLACKMASS lançou recentemente seu mais novo trabalho, o CD “Enthroned Legion”. Como foi firmada essa parceria com a MUTILATION RECORDS ? O resultado está como esperado?

Eu conheço o trabalho da Mutilation há muitos anos, desde nosso segundo álbum, tive grande interesse em estar no Cast da Mutilation, pois para mim sempre foi o melhor selo do Brasil, falo isso sem desmerecer o trabalho de outras gravadoras, então a oportunidade surgiu quando gravamos a promo do novo álbum onde apresentei para o grande Tullula apenas uma musica. Depois de trocarmos algumas mensagens, firmamos a grande parceria entre Blackmass e Mutilation, no meu ver a negociação foi muito rápida em comparação a outros selos do Brasil e gringos que já assinamos. Apesar dos problemas que estamos vivendo aqui em nosso pais o resultado esta sendo satisfatório, acredito que nossa parceria deu muito certo, esperamos trabalhar por muito tempo com Mutilation.

E a distribuição pela América do Norte e Europa ? Já está rolando?

Ainda estamos em negociação com selos de ambos os continentes, neste momento mundial acredito que isso será possível somente para final de 2020.

Fale-nos sobre a sonoridade deste trabalho. O que podemos esperar ?

“Enthroned Legion” foi um álbum muito bem elaborado, eu queria fazer algo diferente de “Gloria Diaboli” e “Nemesis”, algo mais agressivo e riffs com muito mais arranjos, mas é claro, não perdendo a essência do estilo Blackmass de compor música, eu acredito que chegamos em um álbum diferenciado dos anteriores, digo isso em todos os aspectos como, produção, capa, musicas e profissionalismo. Para quem gosta de um som rápido, agressivo e refrões blasfêmicos, não deixem de escutar o álbum “Enthroned Legion”.

E a parte lírica? Algum conceito em especial?

Chegamos a pensar num disco conceitual, porém o tema não combinou com algumas composições e desistimos da ideia. Desse ponto em diante o tema da batalha entre a iluminação luciferiana e o dogmatismo tolo cristão foi o nosso norte lírico. Legião entronizada significa a luz do conhecimento primordial em detrimento da religiosidade dogmática.

Falando em conceitos, certa vez o vocalista Vintras falou que uma das principais inspirações era o Os Reis Negros de Sitra Ahtra. Poderia nos falar mais sobre este assunto ? Do que realmente se trata?

Vintras é um autodidata em variadas correntes do ocultismo e nesta época, que foi antes dele sair e voltar pra banda; o conceito do álbum era outro, tínhamos a intenção de abordar este tema. Sitra Ahtra na concepção dele é o mundo pré material, primevo e escuro. É um conceito pré adâmico (homem feito de matéria) onde a essência humana tinha aspectos muito mais elevados, poderosos e até mesmo divinos. Os Reis Negros de Sitra Ahtra seriam os primeiros grandes déspotas desta Ronda humana, para utilizar um termo teosofista blavatskiano. Curiosamente com a evolução natural do disco o tema se diluiu e apenas as faixas “Black Crowned Kings”, “Wrath of Legion” são baseadas neste conceito.

Voltando a falar do CD “Enthroned Legion” quem foi o responsável pela arte de capa? Foi uma arte livre ou vocês quiseram passar alguma mensagem?

O conceito gráfico e a arte gráfica em si são criações do Vintras. Nós passamos a ele o a ideia básica da Legião Entronizada e ele explorou isto dentro da sede do clero católico. A mensagem a ser passada é a entronização de Lúcifer na basílica de Pedro, significando em aí o triunfo da iluminação ou iluminismo sobre a base da fé cristã que é dogma da redenção.

Vintras

O Vintras ainda está na banda? Parece que ele saiu…o que aconteceu?

Sim Vintras é o frontman do Blackmass, em 2016 ele teve alguns problemas pessoais e teve que se ausentar por um tempo, neste período que ele ficou fora tivemos um vocalista para cumprir a agenda de shows que tínhamos pela frente, mas em 2018 Vintras retorna para seu posto com força total e finalmente gravamos este novo álbum.

Ainda falando em vocalista, o Magus Dux Adramelec responsável pelas profanações nos álbuns “Nemesis” e “Gloria Diaboli, tem uma participação numa faixa deste álbum. Por onde anda o mesmo ? Está com algum projeto ?

Magus inicio no Blackmass quando tinha 15 anos de idade, gravamos juntos a Demo “Diabolical Ritual” e o Single “Episcolum Servo Servorum Satani” alem dos Full é claro. Magus hoje mora em Sofia, Bulgária, e até hoje tenho contato com ele quase diariamente, então resolvi gravar a musica ‘Ravenuos Demonium’ da demo de 2002 “Diaboli Ritual” onde foi a primeira música que eu compus para o Blackmass, então perguntei a ele se gostaria de participar da gravação desta música dividindo os vocais com Vintras e a resposta dele foi de imediato positiva, eu acredito que fizeram um ótimo trabalho. Eu e Magus estamos iniciando um projeto e já estamos em processo de composição, acredito que em meados de 2021 lançaremos já um álbum, este projeto será diferente do Blackmass, em breve estaremos soltando algumas notas pelos meios de comunicação mundial.

Já pensam em fazer algum vídeo oficial para este novo trabalho (Enthroned Legion)? Qual seria a faixa?

Estamos com projeto de duas faixas, ‘Mortuus Est’ e ‘Black Crowned Kings’ e quem sabe ainda ‘Ravenuos’ com participação de Magus na Bulgária.

Lord Aeshma

Foram mais de 10 anos desde último lançamento de um álbum completo, quais os motivos para este hiato?

Depois da gravação de “Nemesis” em 2008 Magus deixou o Blackmass e entre 2009 ate 2016 tivemos muitos problemas em conseguir um vocalista que estivesse a altura de Magus, muitos fizeram testes mais nenhum supria a necessidade e pegada que o Blackmass exige, então isso atrasou muito os trabalhos, mas em nenhum momento deixamos de estar em estúdio compondo e ensaiando as musicas do passado e atuais. Hoje Blackmass esta com sua formação solida, todos fazem um bom trabalho e isso é satisfatório para mim.

Muitas vezes vemos uma comparação, ou melhor, uma associação entre as palavras BLACK METAL, PROFISSIONALISMO E COMERCIAL. “As bandas de Black Metal que mesclam técnica e profissionalismo soam como comercial”.O que você acha sobre o assunto? Tem que ser tosco, primitivo e “anônimo” para ser real ?

Ondska

Toda e qualquer musica gravada e lançada em formato CD, LP ou até mesmo em K7, acaba se tornando comercial pelo fato que seu produto entrou no mercado para ser consumida por potenciais compradores. Hoje acredito que maioria dos músicos gostariam de viver da sua musica, isso para mim é ser real, é ter atitude pelo fato de gostar do que esta fazendo e investindo muito tempo e dinheiro em cima disso, por isso toda e qualquer musica tem que ser bem feita e existir uma boa produção e também bons riffs.

Vocês acreditam que no Brasil dá para se viver fazendo Black Metal? Apenas com shows e merchandising?

Não, hoje em dia é difícil você colocar um publico grande dentro de uma casa de shows, também para um produtor colocar uma estrutura adequada e ainda pagar o cachê e gastos de translado para a banda fica impossível. Hoje com a internet também ficou mais difícil a venda de merchandising, pois se você quer ouvir um disco é só correr para o youtube e la esta, só vai comprar quem realmente é fã ou coleciona.

Infelizmente não irei nem questionar sobre shows no momento, devido a esse clima apocalíptico que estamos vivendo, onde tudo é uma interrogação. Mas comente qual foi a apresentação mais marcante do BLACKMASS e por que ? E qual foi a apresentação que lamentavelmente estou lhe fazendo lembrar?

Danda

Todas as apresentações que tivemos a logo da carreia foram muito bem sucedida, mas a mais marcante que já foi feita foi em 2003 em Curitiba quando ainda estava morando em Cascavel, tocamos com VULCANO, foi nosso primeiro show e foi animal, casa lotada e o público interagindo com a banda, apresentamos músicas que ainda seriam lançadas, do álbum “Gloria Diaboli”, nesta época éramos um trio no Blackmass s realmente foi muito foda. Vamos lá, acredito que a pior foi no interior de São Paulo quando tocamos com AZAGHAL, este evento foi dentro de uma cassa de Swing, foi muito foda tocar no palco com um pole dance na sua frente hahahaha…

E como foi a história de uma igreja tentar impedir o show do BLACKMASS?

Isso aconteceu se não me engano em 2004 quando fomos para Dourados no estado do Mato Grosso do Sul. Uma semana antes saiu uma matéria no jornal da cidade dizendo que a cidade não merecia receber uma banda satânica e pediram o cancelamento, mas como sempre eles não tiveram forças para acabar com o evento e tudo ocorreu bem, fizemos um grande show com casa lotada.

Katharsy

Para você Black Metal é um estilo de vida ou um estilo de música ?

Acredito que ambas as partes caminham juntas, pois o metal negro é liberdade é fazer o que você quer e fazer o que você pensa sem se prender a regras ou algo do tipo, na musica é o mesmo sentimento, passar o que você pensa e o que você sente.

BLACKMASS surgiu numa região do Brasil onde o tema separatismo, nacionalismo, supremacia racial entre outros, são muito fortes, seja pela descendência europeia de muitos, seja por idealismo próprio ou influências políticas/geográficas e afins. E o “estilo de vida” ou “musical” por vocês adotado volta e meia entre por esses caminhos. Onde se situa o BLACKMASS neste contexto ?

O Blackmass nunca se encaixou nestes assuntos até porque nosso primeiro selo foi do Nordeste onde até hoje temos muitos fãs e seria uma honra tocar em terras do nordeste.

O que podemos aguardar da banda para o futuro se o COVID-19 assim deixar?

Esperamos que acabe o quanto antes esta pandemia para que possamos voltar a marcar os shows do novo disco, esperamos para o futuro muitos shows e quem sabe para final de 2021 mais um disco.

Para aquisição do CD “Enthroned Legion” é só clicar aqui: MUTILATION RECORDS/BLACMASS

Apreciem abaixo a música ‘Incinerated Heaven” :

 

 

 

.

 

 

Mostrar mais

Giovan Dias

Editor do The Glory Of Pagan Fire Zine, trabalho iniciado ainda na década de 90, voltado ao Black, Death, Doom Metal.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar