Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

BONES – Diseased CD

Transcending Obscurity – Importado

Na ativa desde 2009 o power trio Norte americano BONES oriundo da cidade de Chicago fecha o ano de 2019 nos presenteando com seu terceiro álbum “Diseased”  que mostra uma banda evoluindo a olhos vistos desde seu ultimo lançamento o fenomenal “Sons of Sleaze” de 2013, mas sem mudar em nada sua proposta original que é fazer um Death Metal/Crust  enérgico , primitivo e obscuro com doses cavalares de groove em alguns momentos. A faixa “Carrion Crows” escolhida para ser usada como vídeo oficial e single mostra bem a sonoridade dos caras e o equilíbrio entre as influencias da banda . Se você nunca ouviu os caras antes muito provavelmente notará em alguns momentos algumas semelhanças sonoras com a banda USURPER (também natural de Chicago), porém mais encharcadas em sangue e vísceras e isso não será mera coincidência uma vez que Joe Warlord (bateria e voz) foi o primeiro baterista e atualmente assume uma vez mais as baquetas da banda, enquanto Carcass Chris (guitarras e voz) e Jon Necromancer (baixo e voz) foram membros ativos da mesma por muitos anos gravando diversos álbuns sob o nome USURPER. Isso talvez explique o entrosamento absurdo, a coesão e a química rara que você percebe nas onze composições de “Diseased” .

Logo nas primeiras notas da faixa de abertura “Blood, Diarrhea and Tears” (que titulo fodástico) você já percebe que a produção do álbum busca uma abordagem totalmente orgânica e descompromissada, trazendo uma cara mais old school e “ao vivo” à música dos caras. Sinceramente, pra mim “Diseased” é daqueles raros lançamentos em que todas as faixas são fortes e fica muito difícil falar sobre uma que se destaque. Chamaram-me muito a atenção as formidáveis linhas de baixo de Jon na faixa titulo e os contratempos inesperados usados por Joe Warlord na música “Stench of Deceased”; “No one Matters”  que vem na sequencia e é um verdadeiro soco na cara, rápida e direta, aquele tipo de composição “sangue no olho” e que deixa em evidencia  todas as influencias Crust que o BONES bebeu e que contrasta totalmente com a faixa seguinte “Down” que tem um começo mais “lisérgico” e um riff principal de guitarra devastador trazendo um clima mais setentista  de puro feeling e puro groove; não tem como não sair batendo a cabeça nessa música e as viradas e repiques na bateria são insanas pra se dizer o mínimo. Eu também não poderia deixar de comentar sobre a faixa “Broken Wheel” que tem os vocais mais doentios e trabalhados de todo o álbum e mostra também a mão inquieta de Jon Necromancer no baixo.

Foto : Divukgação

Sobre a parte gráfica, a arte da capa a cargo de Matt “Putrid” Carr (UNDERGANG, HOODED MENACE) e o lay out e direção de arte de Francesco Gemelli (MASTER, PAGANIZER) traduzem  visualmente com perfeição tudo que você encontrará nesse álbum quando coloca-lo pra tocar.

Sabe aquela banda que tem um som que você curte demais e fica abismado porque parece que pouca gente a conhece e ninguém esteja comemorando com muito barulho por um novo lançamento que você aguardava com ansiedade? Pois bem esse, é o caso aqui ; recomendo esse álbum e insisto com todas as minhas forças para que vocês possam ir atrás desse álbum . Pesquisem sobre a banda, sigam os links que deixei abaixo para conhecer , adquiram “Diseased” e ouçam no volume máximo e sem moderação.

Nota : 9,5 de 10

 

 

 

 

Mostrar mais

Juliano Bonacini

Tecladista e letrista da LoneHunter (Death Metal), historiador e editor do Crypt of Eternity - fanzine da década de 90.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar