Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

BORN IN BLACK – Born In Black

Codex Gigas Records/Black Order Productions/Tales From The Pit/Slow Feelings Records

Impressionante…

Este trabalho realmente foi forjado no mais puro sentimento de amor e devoção ao metal, um trabalho que me deixou atônito na primeira audição por suas composições me remeterem à era de ouro do Heavy Metal.

Estou falando da união de renomados e competentíssimos músicos da cena extrema brasileira e que nesta obra demonstraram que não são e nunca foram músicos limitados… estou falando de músicos do mais alto padrão… quem são eles? Ficou curioso?

Já começo mencionando Danilo Coimbra, um guitarrista impar que impressiona por seu excelente trabalho junto ao Malefactor e Divine Pain, sendo que nessa segunda banda o mesmo faz tudo, se você ainda não ouviu sugiro que ouça para entender melhor as minhas palavras.

E já que mencionei o grande Malefactor, está aqui também numa demonstração impecável de total domínio de sua capacidade vocal o Lord Vlad. Fiquei na dúvida se ele é melhor nos seu poderosos guturais ou nos vocais limpos e melodiosos… bom… de fato ele surpreendeu, se mostrou um músico completo com sua incrível versatilidade.

Aí você me questiona, mas ele já não fazia isso no Malefactor??? Sim e Não… no Malefactor os seus vocais limpos tem um tom que se encaixa na proposta da banda ou seja, na minha percepção neste trabalho ele foi muito mais além, ele aqui é um vocalista de heavy metal e te digo com veemência, um vocalista que coloca no chinelo uns fulanos de tal do mainstream.

E ainda falando dessa união, olha quem está aqui também… o Sub Umbra, será mesmo que preciso apresentar este demônio das 4 cordas? Se sim, falo de um carioca que sabe o que faz, o cara é membro do antigo e lendário Poeticus Severus que recentemente teve eu primeiro álbum lançado e que na minha opinião foi um dos maiores lançamentos nacionais de todos os tempos. E também é membro do The UnhaliGäst que também vale a dica… escute…

E pra fechar os comentários deste time de peso se uniram a este projeto o Thormianak do grande representante do metal negro brasiliense Miasthenia e que também teve sua passagem no Harppia, então será que preciso falar mesmo que o cara tem o heavy metal em seu dna? E seu trabalho foi acima da média. E outro cavaleiro da escuridão que aqui deixou a sua marca é o V. Digger ex-Miasthenia… um baterista impar e aqui não deixou nada, absolutamente nada a desejar.

E claro, não vou deixar de citar um cara que tem meu total respeito por sua história e por tudo que ele já fez pro underground brasileiro, o Sidiney Grim Falcão, o cara que comanda o antigo e tradicional Clã Studios, onde foi feita parte da gravação deste material.

Até agora venho falado que se trata de um projeto/banda de Heavy Metal, sim isso é verdade, mas ouvindo atentamente a música The Chariot… olha lá!!!! Tem um pedacinho bem extremo com gutural, bateria e riffs bem velozes…

Outra coisa que me chamou atenção foi a concepção gráfica, com sua veia minimalista conseguiram fazer um trabalho que ficou muito direto e posso dizer, bonito de ver. Um encarte que nos instiga a folear, a ler… a explora-lo por completo. Também acho importante ressaltar que este artefato vem envolto em um slipcase luxuoso. Confira! Só tem uma informação que procurei e não achei, não sei quem foi o responsável pela concepção gráfica.

Depois de ter falado à respeito dos cavaleiros negros que aqui compõem esta conspiração nascida na escuridão e também da concepção gráfica… chegou a hora… o que de fato encontrei ao ouvir este material?

Este CD não foi feito para leigos e aventureiros… ao ouvir senti na hora em meu coração que isso aqui foi feito por verdadeiros seguidores do metal para verdadeiros seguidores do metal. Este material não é tendencioso, este material veio pra mim como a mais pura manifestação da vontade de mostrar que o verdadeiro metal ainda vive, ainda corre nas veias de muitos guerreiros e provando que a sua essência jamais morrerá.

Quando dei o tão esperado play neste CD, já percebi que apesar de se tratar de um projeto/banda de Heavy Metal, o seu som não tem firula. Heavy Metal direto e executado dentro dos moldes do estilo, mas com peso absurdo. ABSURDO.

E além do Heavy Metal notei muitos elementos de Speed Metal, também de Old Thrash Metal… bom esses caras vieram de bandas extremas consagradas, natural que flutuasse um pouco entre o seu propósito e suas vertentes… e está aí o toque especial que faz deste material uma obra prima, evitando que parecesse um material forçado e entediante.

O início é bem direto, sem essa de introdução… logo de cara vem riffs explosivos e que já empolga, assim é Draconian Tree, com uma pegada bem tradicional e com partes cadenciadas pesadíssimas, ótima faixa para começar esta saga.

Já a segunda faixa chamada Cosmic Stairway, é beeeemmm mais complexa. Uma música que exibe a atuação de músicos monstruosos, provando que fazer isso aqui tem que conhecer profundamente seus instrumentos aliado ao talento… E também senti nesta música um clima mórbido e até mesmo melancólico em suas partes de dedilhadas…

Não sei se foi de propósito, mas a terceira faixa se encaixa perfeitamente com a música já comentada acima… Autumn começa com trovões, chuva e um clima sombrio… sabe aquela sensação que temos ao ouvir a música Black Sabbath? É algo bem parecido… uma sensação que chega a arrepiar. E aqui ainda rola um toque bem encaixado de teclados de bom gosto. Essa música eu poderia dizer que é um heavy doom e talvez a música que mais me remeteu ao Tony Iommi… bom… não vou tentar explicar… ouça e sinta que nesta música podemos ouvir coisas como Candlemass, Omen e claro, como já mencionei o Black Sabbath.

Exatamente todas as músicas aqui apresentadas são de fato grandes composições, um CD que como já mencionado feito para verdadeiros seguidores do negro Heavy Metal, música para maníacos no bom sentido da expressão.

E houve uma coisa muito foda neste CD, ao ouvir a música Asteroids, ouvi a total influencia do estilo feito nos anos 70, isso mesmo… e como eu sou maníaco por tudo que foi feito nesta década… E os caras até podem discordar de mim… mas…. a veia do old Deep Purple está vivíssimo aqui.

Depois de viajar e ouvir 3 vezes seguidas a musica acima, estes caras vem sem piedade alguma de me dá sacudida brutal… veio No Point Of No Return. Música violenta e talvez a mais complexa deste trabalho. Aqui encontramos momento velozes, momentos mais lentos, tudo envolto de um clima sinistro.

Uma penumbra que assustadora que o Lord Vlad conseguiu exprimir em seu vocal… dando aquele ar misterioso no trabalho como um todo. Realmente tudo se encaixou de forma perfeita aqui… Musica e voz… guitarras e bateria… baixo e teclados…. Empolgante!!!!

Sintetizando o que ouvi aqui, posso dizer que se você gosta de Candlemass, Omen, Grave Digger, Metal Church, Deep Purple……. …..Black Sabbath, este é o material certo para você.

Mas espera aí… atente-se que não estou fazendo comparações, estou apontando algumas influencias que notei em suas músicas, você pode ter outras impressões, natural.

E também não ache que se trata de plágio, posso afirmar que este foi um dos materiais mais originais que já escutei, que impressionantemente foi feito por músicos consagrados do metal extremo.

Está aqui um material com 666% de teor metálico, com o verdadeiro espírito do estilo, um material essêncial na estante do headbanger que se respeita e apóia o metal nacional.

Meus parabéns aos selos que acreditaram nesta proposta e para estes músicos formidáveis que volto a dizer, impressionaram.

Espero muito que possamos ser agraciados com o segundo material. Sua proposta aliada a sua execução é arrebatadora. Única.

“Gravado sob influência de álcool, sombras, Ervas Medicinais, Lucky Strike, Heavy Metal e Irmandade…” ….Seus maconheiros (rsrsrs), vocês destruíram tudo, não deixaram pedra sobre pedra… MINHAS SINCERAS CONGRATULAÇÕES.

Mostrar mais

Luis Lozano

Programador e designer gráfico para a web, com diversos trabalhos realizados com foco na informação e fortalecimento do underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar