Entrevistas

COLDWINTER – Atmospheric Black Metal

QUANDO O FRIO CONGELA A ALMA…

Ninguém escapará deste frio imenso, do mais profundo, nebuloso e cortante… todos os infelizes desavisados perceberão neste esquife de gelo!

COLDWINTER, dantes um projeto, hoje uma banda, executando com extrema maestria seu Atmospheric Black Metal, som calcado nos moldes antigos, com nuances beirando o Doom Metal passando por bases mais Balck Metal e sempre com sua Atmosfera densa e sombria!

Batemos um papo com Aleske, vocal e fundador da banda, o mesmo nos relata os esforços para o tão agraciado primeiro full “Cold Light of the Horizon Dawning”, ele nos fala também sobre os perrengues também, hehe! E, anunciando já uma nova formação e os preparos para o segundo full, “A New Beginning Forever”.

Confiram!E aí mah, de boas por aí com vocês? Nesse Luar do sertão, kkk! (terra quente da peste) Brincadeiras à parte, sim, mah, comenta aí um pouco acerca do projeto, como tudo começou e porque a escolha do estilo já que, não é algo habitual nos tempos atuais! De onde veio a inspiração pro nome “Coldwinter”?

Aleske –  …Fala meu caro amigo ZArtan, como vai. O Coldwinter nasceu em 2015, somente um projeto meu é do Eduardo, foi aí que resolvermos gravar uma Demo ensaio, Unreleased Rehearsal. Quando estávamos trabalhando as músicas, decidimos por algo bem diferente um Aatmospheric Black Metal com um estilo bem diferente, eu queria algo que representasse o estilo de nosso som, e foi ai um trocadilho de inverno Com o frio, dessa forma escolhemos o nome “Coldwinter”, um nome forte que representa nosso som… bem triste e melancólico, nossos Temas líricos: fala muito de Melancolias, Desespero, Angústia, Depressão, Desgosto, Tristezas, Lutas internas, lutos………. em fim!

O Coldwinter tem 3 trabalhos lançados, alguns somente digitais, mas, teve uma excelente aceitação por parte do público. “First Demo 2015 (Previously Unreleased Rehearsal)” é uma prévia do que viria a ser o CD “Cold Light of the Horizon Dawning”, que aliás, demorou bastante para ser lançado, tanto o é que, outros trampos foram lançados e alguns ainda estão engavetados, porque se deu esse hiato todo?

Aleske – Na verdade temos a Demo de 2015 Rehearsal somente comigo e Eduardo, o Ep The Horizon Downing 2016 comigo, Eduardo e Júnior. Esse ep nos fizemos 100 copias e enviamos para vários selos, esgotando rápido e ai resolvemos fazer mais 150 cópias, hoje não temos nenhuma cópia sobrando, os comentários foram sempre positivos, todos falaram muito bem deste ep mas, não tivemos nenhuma proposta de selo, foi  ai que um selo de uma Broth entrou em contato comigo para lançar o Full-lenght CD Cold Light of The Horizon Dawning 2017, deu um pressão doida para nós gravarmos às pressas o CD e quando fui entregar o master CD, o cara fracassou, ai resolvemos regravar tudo de novo, mudei várias coisas no CD, que ficou engavetado por 3 anos, foi aí onde rolou o convite de Anaites Records junto com a Eclipsys Lunarys Productions para lançar o CD…. e estamos muito feliz com este lançamento, e depois que foi gravado esse material do full-lenght nós continuarmos produzido músicas novas para outro CD que se chama “A New Beginning Forever”, na metade das gravações Eduardo saiu da banda,  foi quando Thiago Lima entrou em seu lugar para dar continuidade ao trabalho…

Após estes 3 anos de espera, eis que vocês fecham contrato com 2 selos undergrounds para finalmente lançarem o “Cold Light of the Horizon Dawning”, que aliás, pegou uma pandemia da peste, atraso, uns percalços mas, finalmente saiu, e, diga-se de passagem, que o CD ficou magnifico, tanto musicalmente quando graficamente.

Alaske – Então brother, após estes 3 anos de espera, surgiu os selos Anaites Records junto com a Eclipsys Lunarys Productions e fechou com a banda, uma proposta honesta para esse lançamento só que a pandemia do vírus atrasou tudo mas, finalmente tudo foi muito legal, um baita CD com uma arte belíssima feita pelo grande artista Ewan Donnavan….

Creio que a banda passou por diversas formações, nos conte um pouco acerco dos ensaios, como retomaram a ordem de ensaios e gravações e, aliás, no início era somente 3 pessoas na banda, hoje, e, há pouco vocês incluíram uma moça na banda. Podemos esperar algo como “A Bela e as Feras” no estilo de vocal?

Alaske – Os ensaios seguem firmes, hoje o Thiago Lima mora em Florianópolis, ele é um produtor musical muito bom, cria as músicas e me envia, aí eu e Júnior gravamos no estúdio, trabalhamos nelas e lapidamos até chegar 100% da música feita; então, nós éramos 3 na banda mas, eu sempre tive em mente incluir uma menina na banda desde as gravações do CD (Cold light of The Horizon Dawning) que tinha umas partes com vocals limpos que precisavam ser gravado por um vocal feminino, foi aí que comecei a procurar uma vocal feminina para entrar na banda, Jéssica entrou na banda por indicação do nosso amigo Ewan Donnavan (que fez as artes do álbum …),  a Jéssica me enviou uma demo mostrando ela cantando uma música, eu e Júnior gostamos do estilo de vocal dela, entramos em contato foi onde ela aceitou fazer parte da banda Coldwinter… a banda não passou por diversas formações só o Eduardo que saiu da banda ele era musico convidado não era um guitarra efetivo da banda, hoje a formação é:

Aleske – Vocals (lead) (2015)

Junior Pascoal – Drums (2016)

Thiago Lima – Guitars, Bass, Keyboards (2018)

Jéssica Gartz – Vocals (female) (2020).

“The Horizon Dawning” foi um EP que esgotou rápido, creio que limitado a 100 cópias, lançado de forma independente. Puxando pela memória, lembrei que “When the Storm Gives Way to Darkness” foi lançado de forma digital, mas, havia algo divulgado que sairia de forma física também, porque não aconteceu?

Alaske – The Horizon Downing EP esgotou rápido, fizemos so 100 cópias, depois fizemos outras 150 cópias acabou tudo… When the Storm Gives Way to the Darkness era para ser o nome do nosso Full-lenght 2017, aí resolvemos mudar e deixa como um single porque o Ewan Donnavan estava trabalhando nas artes do mesmo e foi perdido o arquivo das arte, foi onde ele fez novas artes que hoje é o Cold Light of The Horizon Dawning …

Voltemos a falar de Cold Light of the Horizon Dawning, o primeiro Full oficial da banda, 11 sons e quase 60 minutos de música, comente um pouco acerca das gravações, já que, com a mudança de formação, vocês optaram por regravar os sons, fora outros percalços. O Studio onde vocês gravam e ensaiam é de Júnior, outro guerreiro que há tempo atua na cena underground. Aliás, com se deu o convite pra ele ingressar na banda?

Aleske – Então as gravações do Cold Light of The Horizon Dawning  foi todo gravado no estúdio do Júnior (baterista), o Krypta Bestial Studio, onde também já gravaram muitas bandas já conhecida na cena underground, o Júnior conheço ele desde 2004 trabalhamos juntos em outras bandas  e na gravação da Demo do Coldwinter, foi onde ele achou muito interessante o estilo de som, gravou a bateria e está na banda desde 2016, e hoje eu e ele somos os 2 da formação inicial do Coldwinter.

Aproveitando o gancho, Juninho, relate um pouco de seus trabalhos no underground e as bandas que já produziram material no seu studio!

Alaske – Putz mano já perdi as contas de tantas bandas que ele já produziu no studio dele algumas que lembro são: Agouro, Amort, Legio Inferi, Spiritual Hate, Insanity Force, Justabeli, Mørk Visdom, Ocultan, Repúdio, Tenebrifer, Without My Shadow, essas são as que eu lembro agora……

No Brasil a distribuição do CD ficou a cargo dos selos “Anaites Records” e do “Eclipsys Lunarys Productions”, enquanto que, a distribuição na gringa ficou a cargo da “Voice Music”. Vocês negociaram com selos fora do Brasil pra distribuírem? Aliás, o Bandcamp da banda, vocês disponibilizam os sons? O que vocês têm a dizer da divulgação digital através de plataformas digitais (viável ou não)?

Alaske – Olha a distribuição nossa quem está a cargo e a Voice Music pois sou grande amigo do Silvio… nós não negociamos com selo nenhum lá fora para distribuição. Mas quem sabe até lá para o próximo álbum. No bandcamp da Coldwinter nos disponibilizamos as músicas do CD,  para a galera conhecer o som digital pois, hoje em dia, na Europa a galera escuta muito e é uma plataforma onde muitos selos gringos podem conhecer novas bandas… isso é uma forma legal da galera conhecer o som do da banda… O CD também pode ser adquirido na Galeria do Rock em algumas lojas e também em diversos selos/lojas undergrounds espalhados pelo mundo…….

Com o “boom” das tapes, vocês já tiveram algum convite para lançar uma versão tape do CD? Quem sabe até uma versão vinil também, quem sabe!

Alaske – Na verdade, ate agora não surgiu nenhum convite, mas quem sabe surja… e estamos ai para split cd ou tapes, vinils estamos aberto ai para qualquer ofertas/negociações………

Com esta nova formação, assim podemos esperar um possível set list de shows? Aliás, quando esta pandemia acabar e o “novo normal” for ajustado, quem sabe a banda possa se apresentar ao vivo?

Alaske – Sim claro essa nova formação está 100% perfeita e pronta para gravar o novo álbum, o “A New Beginning Forever” (Full-length 2021), que contara com os músicos:

Aleske: Vocals (lead 2015)

Junior Pascoal: Drums (2016)

Thiago Lima: Guitars, Bass, Keyboards (2018)

Jéssica Gartz: Vocals (female) (2020)

…e podem esperar algo bem mais trabalhado que o primeiro Álbum, temos um Set list de músicas novas que vamos tocar ao vivo assim que o novo Full-length CD sair, temos um novo começo com boas músicas, que irão agradar muito o Pessoal, pois o CD está bem melhor produzido, com uma bela arte feita belo grande “Fabio Menezes & Inkcreations Artwork”.

Rapah, lembrando aqui um lance, você, Aleske, era vocal do Without My Shadows, Death Black metal, um estilo um pouco diferente (hehe) do Coldwinter. Como conciliar os ensaios?

Alaske – Rapaz Without My Shadow foi o embrião de onde nasceu o Coldwinter, nas composições do Álbum do Without My Shadow saiu uma música bem melódica cheia de teclados sombrios, essa musicas eu nunca gravei, pois o nome da banda Coldwinter saiu dessa música, foi onde eu armei o projeto de gravar uma Demo com o nome Coldwinter que ainda era uma dupla, Eu e Eduardo em 2015, e a coisa virou, até hoje acho que foi a melhor coisa que já fiz, kkkkkkk….

Há uma possível versão para uma música que estará em um CD tributo, o que podes falar-nos? Alias, a ideia do tributo vingou?

Alaske – Então mano, um selo do México, Azermedoth Records nos convidou para participar desse tributo, A Magical Journey Among The Middle Earth A Tribute To “SUMMONING’’,  gravamos as 2 músicas Land of the Dead (Summoning Cover) e Marching Homewards (Summoning Cover), estão pronta no studio, logo mais nos gravaremos elas para pôr de Bonus tracks no novo Álbum e, temos mais 2 covers que o Thiago Lima tem pronto para ensaiarmos e gravarmos, no total são 4 covers que iremos incluir…….

Meu amigo de longas datas, creio ser tudo por esta. Espaço para algo mais que desejem acrescentar. E, obrigado pelo apoio de sempre!

Alaske – Meu caro amigo ZArtan Muito obrigado pelo espaço e pela oportunidade de apresentar um pouco mais do Coldwinter, e também a todos que apoiam e curtem o nosso som, seja comprando o material Físico, ou parando para ouvir na internet, e a todos os guerreiros que apesar das adversidades nunca desistem de seus trabalhos e projetos. Continuem apoiando ainda mais as bandas independentes e o cenário underground nacional……para aqueles que querem adquirir o nosso CD entre em contato com a banda em nosso facebook…….

www.facebook.com/Coldwinterband

www.instagram.com/coldwinter.band

https://coldwinterband.bandcamp.com/

Mostrar mais

Hioderman ZArtan

Editou os zines "Anaites" e o "Guerreiros Zineiros". Designer gráfico Underground e mentor do Anaites Records.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar