Entrevistas

DARK FUNERAL – Saúdo cada banda ou indivíduo que esteja destruindo a religião dominante pedaço por pedaço!

Tudo começou em 1993 quando Lord Ahriman e Blackmoon (David Parland) começaram a tocar juntos. Os suecos do Dark Funeral. Em 1994 a banda grava pela primeira vez um álbum, autofinanciado, no estúdio de Dan Swanö, o Uni-Sound em Janeiro. São seis álbuns de estúdio e o reconhecimento mundial como uma das maiores bandas de Black Metal suecas.
Pudemos conversar com Heljarmadr (Andreas Vingbäck) a voz de frente da banda via Skype enquanto ele estava descansando no meio da turnê europeia do Dark Funeral antes de embarcarem para os EUA e do Grá, enquanto estavam na Grécia, este foi o momento da exclusiva concedida ao Portal Lucifer Rising.

Heljarmadr, Foto por: Jason Carlos

Há quanto tempo você está cantando com Dark Funeral? O que você fez antes de entrar na banda?

Heljarmadr – Eu tenho sido um músico ativo desde meados dos anos 90, mas como eu morava no extremo norte da Suécia, era muito difícil chegar lá. Em 2007 (se minha memória não falha), mudei-me para Estocolmo e então as coisas realmente começaram a acontecer. Em 2010 eu comecei a banda Grá junto com Dimman e estamos muito ativos com isso desde então. Em 2014 fomos convidados para ser a banda de apoio para o show de 20 anos do Dark Funeral aqui em Estocolmo e dissemos que sim. Durante os preparativos para aquele show eu conheci os caras e decidimos que eu deveria tentara vaga para o novo vocalista no Dark Funeral. Então eu fiz, e foi um bom lance.

Como foi gravar “Where the Shadows Forever Reign”? Qual foi sua contribuição para o processo? É o primeiro álbum de estúdio desde “Attera Totus Sanctus”.

Heljarmadr – Foi um processo muito interessante, minhas maiores contribuições foram as letras ao longo do álbum. Foi muito educativo trabalhar com Daniel Begstrand, ele é um verdadeiro profissional. Passamos cerca de um mês no estúdio, trabalhando dia e noite.

Eu vi fotos e vídeos ao vivo das 70.000 tons Of Metal. Como foi essa experiência?

Heljarmadr – Foi fantástico! Como eu vivo neste buraco de merda chamada Suécia, eu realmente gostei do clima, as pessoas a bordo eram muito legais e de bom humor o tempo todo. Os shows foram ótimos e eu consegui conhecer muita gente boa e ver muitas bandas ótimas.

Lord Ahriman, Foto Por: Jason Carlos

E como está o projeto Grá? O que vocês estão fazendo? Eu sei que você produziu, mixou e masterizou todo o álbum.

Heljarmadr – Está indo bem, eu acho. Sim, eu fiz a maioria das partes do álbum “Väsen” que lançamos no ano passado. Tem sido muito bem recebido e estamos fazendo alguns shows selecionados para celebrá-lo. Nós recentemente fizemos um show em Atenas e a próxima parada é a Polônia em julho.

O que você pode fazer em Grá que não é possível fazer no Dark Funeral? É uma fuga criativa? Como um espaço pessoal para criatividade?

Heljarmadr – Não é uma fuga, eu tive Grá antes de me juntar ao Dark Funeral, então continuamos realmente este processo que eu já havia iniciado. A maior diferença é que eu toco guitarra e escrevo a música para o Grá e temos muitas letras em sueco. Ter as duas bandas realmente me dá uma saída para todas as minhas ideias e criações. São complementares.

Você assistiu ao filme “Lords Of Chaos”? O que você achou disso?

Heljarmadr – Na verdade eu não vi e não é realmente um filme que me interessa muito. Eu não estava lá e realmente não me importo com interpretações desses eventos. Eu não estou incomodado com a existência dele, mas eu simplesmente não tenho esse desejo de assisti-lo também. Eu provavelmente vou ver isso em algum momento, mas pelo menos vai ser depois de todo o alarido sobre isso passar.

Dark Funeral, Foto Por: Divulgação

O que podemos esperar do Dark Funeral para 2019? Talvez um novo álbum?

Heljarmadr – Estamos trabalhando continuamente em novos materiais e, é claro, faremos um novo álbum quando for a hora certa, dizer quando será ainda é um pouco cedo para este momento. Nós temos muitas turnês chegando em 2019, começando com a Ucrânia e a Rússia algumas semanas atrás, seguindo para os EUA e Canadá, os festivais de verão e depois disso haverá mais coisas acontecendo que contaremos tudo sobre no tempo devido.

Como você vê a mistura de cultura, tecnologia e síntese do black metal original, temos uma cena underground maior acontecendo em qualquer lugar do mundo e a internet para espalhá-la.

Heljarmadr – Para ser honesto, eu não sigo o que está acontecendo em todos os lugares, é muito para digerir e estou mais interessado no que estou fazendo. Cada banda e pessoa que estão destruindo a religião dominante pedaço por pedaço eu os saúdo. Eu posso não ter ouvido todas as bandas, mas esse não é o ponto. A questão é que os grilhões dos amigos imaginários da psicose de massa estão quebrados.

Você acredita que vivemos em uma era de “evoluir ou morrer” quando falamos de Black Metal? Quão longe estamos agora do que Mayhem, Dark Funeral, Darkthrone e Burzum criaram?

2019 – 25 Years of Satanic Symphonies “Box Edição Limitada”

Heljarmadr – Pessoalmente eu tenho um desgosto por música que soa como outra música, clones se você quiser chamar assim. Eu vejo a verdadeira musicalidade como sendo criativa e trilhar seu próprio caminho, independentemente do que “deveria” ou “não deveria” ser.
Eu acho que muitas das bandas mais antigas têm influências diferentes, elas não foram influenciadas por outras bandas de black metal, mas talvez por bandas de heavy metal ou thrash mais antigas, por exemplo. Isso evoluiu para algo novo e novo, criatividade, se você quiser. Hoje muitos tendem a seguir as “regras” e tentam reinventar a roda repetidamente.
Voltando à sua pergunta, até onde estamos? Considerando que quase 30 anos se passaram, não longe o suficiente.

Você conhece bandas brasileiras do underground? Como foi sua experiência no Brasil no ano passado?

Heljarmadr – Não, eu realmente não sei. Como eu disse, eu não sigo o que está acontecendo, há muito em todo o mundo. O Brasil para mim é o Sarcófago, o Krisiun e o Sepultura em relação ao metal extremo. Essas são as bandas que vêm à mente.
Adorei tocar no Brasil e espero voltar em breve!

Agora você nos envia uma mensagem. É o seu espaço. Sua mensagem, suas palavras.

Heljarmadr – Obrigado pelo seu tempo e interesse! Para todos os fãs, mantenha-se atualizado sobre as mídias sociais, já que temos muitos eventos futuros pela frente. Saudação ao Diabo!

Assista abaixo a apresentação completa do Dark Funeral na Ucrânia em 14/04/2019:

Mostrar mais

Ricky Lunardello

Historiador e Sociólogo, Pagão de alma Viking, apaixonado pelo Metal Extremo e pela cultura underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar