Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

DESTRUCTION – Born to Perish (Advanced)

Nuclear Blast Records - Importado

Não posso e nem vou mentir, sou um fã old school desses veteranos do thrash metal alemão. Para mim, álbuns como “Infernal Overkill”, “Sentence of Death” e o ao vivo “Live Without Sence” são obras-primas do metal mundial. Depois que a banda acabou e retornou o único álbum que realmente tinha me chamado atenção foi o excelente e porradão “Antichrist”. Apesar da produção limpa demais é um puta álbum.

“Born to Perish” será lançado na semana que vem e o que posso adiantar é que é um álbum de thrash metal com uma enorme qualidade. A faixa título “Born to Perish” é um petardo com a marca registrada da banda e os vocais inconfundíveis de Schmier. Os solos estão mais elaborados com a entrada de um segundo guitarrista. “Inspired by Death” é uma música que traz influências diferenciadas, mais melódicas até, ao thrash metal seco que a banda sempre fez. Realmente fico me perguntando se eu gostei ou não da sonoridade criada nessa música. Quanto o Destruction aparece totalmente a música é realmente foda. “Betrayal” é puro Destruction. Riffs fudidos e algumas partes mais trampadas e pesadas. A próxima começa como uma pedrada. “Rotten” mostra que peso é o negócio aqui apresentado. “Filth Wealth” é outra faixa com uma pegada melódica mais diferente e uma batida que soa quase punk. É uma música interessante.

A próxima faixa “Butchered for Life” é uma música que me agrada apenas depois dos 3:57 de duração quando adquire uma roupagam mais thrash. Antes disso tem momentos quase acústicos e uma melodia bem fraca no geral. Realmente é uma faixa que não surpreende, muito pelo contrário. O nível volta à normalidade com a porradaria destilada em “Tyrants of the Netherworld” que poderia estar em um álbum como o “Release from Agony”, respeitando-se alguns fatores. É uma música pesada, rápida e com todos os cacoetes que construíram a reputação do Destruction no passado.“We Breed Evil” é mais trampada e muito pesada, com bases mais travadas. A próxima chama-se “Fatal Flight 17” e é uma típica composição do estilo. Boa música, mas bem comum no geral. O disco fecha com a pesada “Ratcatcher”. Uma música que traz muito do que foi o Destruction nos seus últimos álbuns.

“Born to Perish” é, no geral, um bom álbum, longe do poder de fogo dos velhos clássicos, mas ainda assim mostra uma banda que continua provando ser relevante e saber criar thrash metal como poucos. Alguns altos e baixos, mas um disco sólido.

8,5/10

Data de Lançamento: 09/08/2019

Mostrar mais

Fabio Brayner

Editor do The Old Coffin Spirit zine e um completo metal maniac desde 1985. Ex-membro de bandas como Sanctifier e As the Shadows Fall.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar