Entrevistas

DISFORTERROR – Necrounderground contra tudo e contra todos!

Disforterror, verdadeira ofensa sonora a humanidade desde 1993, está com nova formação (um duo, Vagner Warrior Impaler nos vocais e guitarra e Rodrigo Belzer Impaled nos tambores de guerra). E concedeu uma entrevista de puro ódio a Lucifer Rising! O fundador Vagner Warrior fala sobre o início da banda e suas aspirações, de uma forma direta, enérgica, rústica e sincera. Defendendo apenas uma única ideologia, a do necrounderground!

“Só vão derrubar esse potencial quando eu estiver dentro de um caixão. Vestido de jaqueta de couro, com a calça toda rasgada e de cinturão de bala. E de coturno. Esse será o meu enterro. Vou carregar toda a minha ideologia até o meu caixão. Isso é minha força e a minha realidade em torno do bestial necrounderground. Volto a falar: bestial necrounderground!”

Vagner Warrior Impaler, Foto Por: Divulgação

Caos! O Disforterror iniciou em 93. Neste ano, bandas que você certamente tem influência como Beherit e Blasphemy já estavam na ativa e ambas lançaram álbum neste ano. Sem internet e pela distância, você já contatava e conhecia essas bandas quando o Disforterror começou? Esses materiais já haviam chegado por aqui?

Vagner Warrior Impaler – Fodido a entrevista! Hailz eterno fogo bestial, hailz war maniacs! Que estão do lado do fogo necrounderground! Tudo iniciou em 93 com Carcass e Napalm Death, que foram as influências maiores em 93. Anos depois que eu fui conhecer o Beherit e Blasphemy, mas na mesma época eu já tinha coisas gravadas em cassete e aí a gente foi absorvendo a destruição que os caras faziam. Bestial Warlust também foi uma grande influência e ainda é pro Disforterror! Para mostrar a bestialide e a honra do caos sonoro que a gente propaga no necrounderground! Sem demagogia, sem nada, sendo nós mesmos e sendo contra tudo e contra todos mesmo. É assim que a gente do Disforterror segue a nossa ira, a nossa força e a nossa persistência de máxima resistência, contra tudo e contra todos. Hailz!

O som de vocês sooa como um som de terroristas para terroristas. Como o Disforterror vê a humanidade?

Vagner Warrior Impaler – Que assim seja! É som de terrorista para terrorista mesmo! É o caos devastador contra tudo e contra todos. Uma bomba nuclear destruindo toda a raça humana. É assim que o Disforterror propaga os seus hinos! Hailz!

A demo “Black Thoughts of Warriors” foi lançada em 97. Você nota diferença em gravar uma demo nos anos 90 e hoje em dia? O que é mais importante pra você na gravação?

Vagner Warrior Impaler – Pra mim não há diferença nenhuma em gravar demo tape nos anos 90 ou agora.
O importante é você fazer e executar um trabalho de honra e dignidade ao extremo fogo bestial do necrounderground! E fuck off o resto, é isso que prevalece. Hailz!

O Disforterror gravou o ep “Impalement and Holocaust Stench” pelo respeitado e furioso selo da Nuclear War Now! Como foi?

Vagner Warrior Impaler – Eu agradeço muito ao selo Nuclear War Now! por ter lançado o Disforterror na época de 2008, porque eu tive uma bela jornada para executar o tal trabalho. E executei e fiz. Distribuí a demo tape para vários países e inclusive para a Nuclear War Now! Eles aceitaram e decidiram lançar o Disforterror. Só que hoje em dia nós não temos contato nenhum com a Nuclear e hoje quem abraçou a causa do Disforterror é um selo brasileiro que chama Black Hearts Records, que vem nos dando um apoio fudido, que agradeço de honra e dignidade para o cara do selo que é o Paulo. Agradeço o que fizeram por nós, a Nuclear War Now! é respeitada mundialmente, mas até aproveito para dizer que não tenho demagogia de alguma coisa, quer ser maior que os outros por isso. Disforterror não é maior do que ninguém, Disforterror é o Disforterror! Fazendo e cumprindo seus atos com dignidade e honra pelo bestial necrounderground de ideologia, caos, destruição, contra tudo e contra todos. Hailz!

“Temos uma força única: contra tudo e contra todos. Não queremos ser a cena brasileira! Não queremos ser nada no Brasil! Somos nós únicos, no nosso canto. Quem quiser gostar do Disforterror que goste, quem quiser compactuar com alguma coisa do Disforterror, compactue, caso contrário, mantenha-se distante de nós!”

Como funciona o processo de produção dessas ogivas sonoras? Qual a ideia do Disforterror sobre expor sua sonoridade maldita?

Vagner Warrior Impaler – Simplesmente digo que não há processo nenhum para lançar as ogivas nucleares do Disforterror. A única coisa é que a gente lança quando queremos e quando podemos. A ideia é que não queremos fazer nada para se mostrar para ninguém, porque necrounderground permance no necrounderground!! Contra tudo e contra todos! Quem não for desse meio, eu não quero saber de ninguém rodeando o Disforterror! Que sempre estejamos rodeados pelos necroheadbangers que são de verdade, caso contrário, saiam fora do Disforterror! Não permaneçam no mesmo canto, sempre permaneceremos fiéis a isso! Temos uma força única: contra tudo e contra todos. Não queremos ser a cena brasileira! Não queremos ser nada no Brasil! Somos nós únicos, no nosso canto. Quem quiser gostar do Disforterror que goste, quem quiser compactuar com alguma coisa do Disforterror, compactue, caso contrário, mantenha-se distante de nós! Como dizia o Fucker do Sanatório, FUCK OFF! Hailz! Metal da morte! Hailz! O bestial necrounderground! Até a minha morte, que prevaleça até no meu caixão! Hailz!

Disforterror, Foto Por: Divulgação

O Disforterror nunca lançou um full lenght. Tem algum motivo específico?

Vagner Warrior Impaler – Nenhum problema específico a respeito disso, de lançar material nesse ou naquele formato. A gente vai lançando do nosso jeito, sem mostrar nada a ninguém, só provar pra nós mesmos. Existe quem queira provar alguma coisa. A nossa triagem e a nossa linhagem de necrounderground nós só queremos provar para nós mesmos. De banger para banger, imagina um cara de 47 anos querendo provar alguma coisa para alguém? Não vou provar nada pra ninguém. Uma dignidade: seguir com o Disforterror e com o nosso objetivo e assim somos. Tudo são atos acometidos pelo Disforterror. Por isso somos o Disforterror, repito novamente: contra tudo e contra todos! Que ninguém se aproxime de nós para ser amigo ou alguma coisa da gente, porque nós somos necrounderground brasileiro, único, nosso pensamento, nosso modo de ser, de agir em no nosso canto, sem ser egocêntrico e sem ser grandioso, nós não queremos ser nada. Temos humildade mas conhecemos nosso potencial. E esse potencial nosso, ninguém vai derrubar o que nós ‘é. Só vão derrubar esse potencial quando eu estiver dentro de um caixão. Vestido de jaqueta de couro, com a calça toda rasgada e de cinturão de bala. E de coturno. Esse será o meu enterro. Vou carregar toda a minha ideologia até o meu caixão. Isso é minha força e a minha realidade em torno do bestial necrounderground. Volto a falar: bestial necrounderground!

Qual foi o momento mais importante para você desses 26 anos de lava sonora?

Vagner Warrior Impaler – Todos os momentos foram importantes na minha vida perante o Disforterror. Desde o início, desde todas as relevâncias das coisas. Queda e erguer a cabeça, batalhar e o meu negrounderground!! Isso é tudo para mim na vida. É um ponto de um segmento que pra mim fortalece todos os dias. Todos os dias quando eu vou ensaiar quando eu vou me dedicar ao meu caos, meu ódio, minha perseverança e minha resistência. Contra tudo e contra todos e minha luta digna de ser um necrobanger. Para mim o que eu tenho que provar é isso. Não tenho que provar mais nada. E isso para mim é o que releva a minha vida e mais nada. Essa é minha vida. A vida que foi constituída em torno do nome do Disforterror. E falo com dignidade headbanger. De banger pra banger. Hailz!

O som que você produz exprime descargas insanas de ódio, desprezo a humanidade e força. Há alguma situação específica que tenha acontecido na sua vida pessoal que te mantém inspirado? O que você vê no mundo que te causa mais nojo e desprezo?

Vagner Warrior Impaler – Ódio, desgraça, isso daí é dos nossos atos, do nosso meio de fazer. Desde que o Disforterror cometeu seus primeiros atos, o Disforterror na minha ideologia, na minha percepção, teria que ser uma horda extrema, contra tudo e contra todos. Negativa e ao extrema ao mesmo tempo. Terrorrista, propagando a desgraça pro mundo e é o que a gente vem fazendo. Como uma bomba nuclear caindo na Terra e propagando a morte de tudo e de todos. É assim que nós somos e é assim que seremos. Hailz!

O que significa o necrounderground para você?

Vagner Warrior Impaler – Necrounderground para mim significa algo único: Força, honra, massa, persistência. Massa! Massa de perseverança! Massa de uma máquina de guerra, marchando, em cima de cadáveres podres que se chama underground. Porque o underground hoje para mim é podre, não existe nada no underground hoje para mim. Existe no necrounderground daqueles que permaneceram com ideologias reais, E O RESTO PRA MIM SIGNIFICA RESTO! Publica isso aí para mim! Por que resto para mim é resto, fiquem no lixo! Hailz!

Você se lembra da primeira apresentação do Disforterror ao vivo? Com quem tocaram, como foi?

Vagner Warrior Impaler – Lembro sim. Primeiro evento que a gente tocou foi na cidade de Lins, no interior de SP. Não teve bandas ao lado, nada, porque até então a gente não sabia o que era o underground, nem nada. E fomos tocar numa faculdade, porque a gente não sabia o que era porra nenhuma de underground na época e fomos lá, tocar. O massa foi o seguinte, no terceiro som pegou fogo na caixa de eletricidade do bagulho da universidade, queimou tudo, aí nós não pudemos tocar mais. Aí nos chamaram de desgraçados, “cês são desgraçados”, tinham outras bandas lá que eu não sei que tipo que eram o som dos caras e pra mim isso aí ficou na história, um ato necrobestial mesmo, que veio se tornar viável a força do Disforterror e por isso até então com a gente ao vivo até hoje a presença nossa é muito negra, muito obscura, dos atos mesmo da gente, que a gente é o ser, nosso espírito que prova isso no palco. Porque nós não estamos para brincadeira para porra nenhuma e isso aí se mostra ao vivo. Hailz!!!

Cite apenas cinco das hordas nacionais:

Vagner Warrior Impaler – Sanatório, Kaziklu Bey, Negro Bode Terrorista, Cerimonia e Bellicum Bestiallis

Última! Da onde veio a ideia para o nome Disforterror?

Vagner Warrior Impaler – O nome dessa desgraceira chamada Disforterror é juntando “disforme” mais “terror”, aí deu Disforterror, que emana a praga, bestialidade sonora e kaoz!! É isso aí! Hailz minha irmã! Hailz!!!

Satisfação diabo! Caos!

Mostrar mais

Sophia Losterh

Editora do zine Natimorto e organiza eventos de metal extremo underground em SP. Amante das expressões blasfemas de arte. Hail caos, Hail metal negro!

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar