Entrevistas

ETERNAL SACRIFICE – Arautos do obscurantismo, necromânticos e nocivos as tolices humanas.

"Nossa obra é consagrada com sangue e o odor da morte, somos o desespero em musicka, somos o orvalho de cinzas"

Comemorando 25 anos de uma carreira ilibada o membro fundador da Eternal Sacrifice, Naberius, nos concede essa entrevista depois de 8 anos sem exposição na mídia por decisão própria. Com extrema saberia regendo a horda por mais de duas décadas fez com que o Eternal Sacrifice se tornasse uma referencia do estilo em todo mundo.

Anton Naberius, Foto Por: Divulgação

A Eternal Sacrifice no ano passado comemorou 25 anos de resistência no negro underground. Conte-nos um pouco sobre essa trajetória…

Naberius – Um ato de muita perseverança e coragem, sem dúvidas, são muitos anos de trabalho árduo no underground, aprendendo, errando, acertando, porém com um objetivo muito claro que é fazer o que gosta e se agradar com o que faz em primeiro lugar. Tudo começou no final de 1993 e de lá pra cá colhemos os frutos de tudo que plantamos no caminho, alguns lançamentos, muitas formações e aqui estamos nós.

Desde o último full-length notei mudanças profundas no line-up da banda. Quais as suas impressões sobre os mesmos?

Naberius – Em verdade, as mudanças foram pontuais, saiu a guitarrista Mortiis e voltou o guitarrista Charles, os demais que gravaram o último álbum “Iluminados por Thanatherous Aleph… MusickantigA” continuam os mesmos. Com relação à Charles, ele foi nosso guitarrista e principal compositor por muitos anos, saiu por motivos de trabalho e retornou sendo muito bem aceito, é um dos guitarristas mais talentosos que conheço, criativo e habilidoso no seu instrumento, contraria, inclusive, a ideia de que fazer metal extremo tem de ser mal tocado.

Depois de todos esses anos o Eternal Sacrifice se tornou uma referência do estilo na américa do sul. Existe a possibilidade de uma turnê internacional de lançamento do novo álbum?

Naberius – Sentimos muito orgulho do legado que construímos durante todos esses anos e ficamos também orgulhosos de nos apontar como referência, principalmente o reconhecimento dos anos de luta no underground. Não, não houve e até agora não há nenhuma movimentação sobre turnê ou mesmo shows, por outro lado entendo que fazer uma tour com uma banda de seis integrantes requer um investimento que, infelizmente, a cena não cobre, a não ser que seja uma banda muito famosa e com muitos adeptos para que os produtores arrisquem. Por enquanto, fizemos apenas um show de lançamento do álbum e já nos bastou. De qualquer modo, seria uma excelente forma de coroar nosso trabalho uma turnê de divulgação.

Charles, Foto Por: Divulgação

A Hammer Of Damnation é um selo respeitadíssimo na cena pelo seus grandes lançamentos. Como foi que surgiu essa parceria entre a banda e o selo?

Naberius – De algumas conversas, é fato que o selo é sério, apoia o metal extremo e isso é inegável. Temos uma relação antiga de amizade e clientela, suspeito como sou para falar e voraz consumidor de vinis, fez da Hammer of Damnation um dos meus selos preferidos para aquisição de Lps, mas não somente por isso, mas pela seriedade do Luiz e de nossas antigas alianças entre as bandas etc. Toda a conversa e acordos sobre lançamento fluiu muito bem e naturalmente.

As músicas do Eternal Sacrifice expõe seu alto conhecimento nas arte negras e ocultas. Na minha opinião são poucas as bandas que detém todo esse conhecimento…

Naberius – ter conhecimento deve ser a primeira lição de qualquer banda que se diz fazer Metal Negro, pois não há como não conhecer nada e se rotular como tal. Não apenas ter conhecimento, mas ter pratica, vivenciar o oculto, ser iniciado é a chama que vai fazer o musico do Metal Negro conduzir sua arte com verdade, com sentimento… Isso o ouvinte vai saber discernir, quando uma banda está sendo honesta ou quando ela apenas está preocupada com imagem, com pose, nós sempre nos preocupamos em primeiro lugar com a emanação real do que acreditamos.

Fale-nos um pouco sobre o novo álbum, sua concepção, arte, músicas?

Naberius – O álbum foi consagrado em sangue durante algumas luas. Fizemos muitas reuniões sabáticas e noturnas para concebê-lo a contento, atingir nosso ápice com uma obra versada, pesada e opulenta. Criamos um império de sentidos repleto de simbologias obscuras, cheio de odor, poesia e beleza guiadas pela mão esquerda. “Ad Tertivm Librvm Nigrvm” é um álbum muito elaborado, onde pudemos imprimir caos, destruição, morte a luz Luciferina impregnada em todos os cantos e em cada nota trinada, em cada cântico entoado.

Kastiphas, Foto Por: Divulgação

Na Arte, como responsável por sua concepção, procurei por um artista que conseguisse traduzir essa concepção perfeitamente e para isso, entramos em contato com Marcio Menezes (Blasphemator Art) que, de fato, conseguiu colocar nas suas ilustrações tudo que gostaríamos de dizer, de passar através das imagens, a capa, as gravuras, se encaixaram perfeitamente no que dizemos na obra. As fotografias, feitas por Frederico Neto, também trouxeram o que queríamos, fizemos um resgate do nosso passado recente, rememorando as matas cinzentas de Pirajá (local de mata Atlântica preservada aqui de Salvador que serve de santuário para oferendas para as religiões afro-brasileiras, é um lugar de espiritualidade transbordante). Enfim, o álbum trouxe consigo toda uma carga de pensamentos profanos, necromânticos e espirituais como sempre fomos.

Ouvi atentamente a faixa “Chapter I – The Three Mashu´s seals- The Conquest of the Ganzir and Arzir Gates (Hazred área)” notei que as características musicais continuam intactas, mas com certeza houve um amadurecimento enorme…

Naberius – Amadurecimento é a vantagem de envelhecer. Cabelos brancos ajuda a entender melhor o instrumento que executa, ajuda a decifrar melhor o que pensa, o que quer expressar, ajuda a catalisar tudo que estabeleceu como influencia e sintetizou pra transformar numa criação própria… ou seja, envelhecer trás toda sabedoria necessária para amadurecer.

Frater, Foto Por: Divulgação

A Música que foi lançada em Junho de 2018 está também na coletânea “Volume Two: Ad Astra Per Aspera”?

Naberius – Sim é uma musica que faz parte do nosso recente álbum e a Hammer of Damnation vai lançou uma coletânea onde participamos com esta faixa.

O novo álbum foi lançado em show apoteótico, segundo chegou aos meus ouvidos, aí em Salvador, conte-nos um pouco como foi essa experiência?

Naberius – indescritível e magnânima, muitos anos que não nos sentimos tão envolvidos numa cerimônia sangrenta quanto esta. Foi um altar de sangue compartilhado com hordas de nossa total admiração e companheirismo e não podia ter sido uma experiência melhor. Espaço lotado de demônios de vários lugares diferentes, de vários estados, regados a gritos de tortura, de dor e de morte, de proclamações obscuras, de ranger de dentes e olhos a revirar. Foi mágicko e assustador ao mesmo tempo, tocamos nosso álbum na íntegra e um cover, por sinal, existe uma resenha que fiz deste show publicada aqui na Lucifer Rising, aos que desejarem maiores detalhes, é só conferir em https://luciferrising.com.br/the-black-metal-unholy-ceremony-vi/

A banda está tendo suporte da Sangue Frio Produções que é conhecido por trabalhar com grandes bandas. Como está sendo essa parceria?

Naberius – Bastante produtiva, Sangue Frio é uma produtora séria e foi isso que nos motivou à trabalhar com ela. É isso que nos move, fazer alianças verdadeiras e profícuas.

Orias, Foto Por: Divulgação

Neste tempo entre o último full-length e o que está prestes a ser apresentado houveram duas participações no ano de 2012 em 2 splits com prensagens limitadíssimas.

Como foi participar dos splits com os renomados Black Moon e Black Angel?

Naberius – É sempre uma honra dividir trabalhos com bandas irmãs, principalmente quando esses trabalhos repercutem tão bem entre aqueles que vivem o Metal Negro. Forma trabalhso que também ajudaram a projetar nosso nome fora do país e fazer com que outros maníacos conheçam faces diferentes do metal extremo brasileiro.

Voltando a falar do recente trabalho, O que os seguidores desta horda negra podem esperar neste novo álbum?

Naberius – Mais um álbum conceitual, com hynnos pagãos repletos de variações, andamentos surpreendentes, músicas com identidade própria e diferentes entre si. Hynnos repletos de atmosfera pagã e maligna, muita arte oculta e um lirismo transcendental.

Qual a repercussão do “Ad Tertivm Librvm Nigrvm” após seu lançamento?

Naberius – A melhor possível, o retorno da Hammer of Damnation sobre sua venda foi surpreendente, está entre os álbuns mais procurados do selo desde que saiu, apesar da baixa procura por material físico nos últimos anos após o estabelecimento de streams com principal fonte de consumo de música. Logo na pré venda, tivemos toda tiragem esgotada rapidamente e quase que a própria banda ficaria sem suas cópias (risos). De crítica, também tivemos retornos excelentes, foram resenhas muito positivas, empolgantes e incentivadoras. É certo que não tínhamos a menor ideia que a repercussão seria tão grande, tanto aqui no Brasil quanto fora, além de termos reforçado admiração dos que já nos acompanhavam e angariado novos admiradores com este terceiro álbum. Em suma, o álbum, guardadas as devidas proporções foi e está sendo muito bem sucedido.

Ayangá, Foto Por: Divulgação

Quais são os projetos que a Eternal Sacrifice está trabalhando atualmente, o que temos de novo vindo por aí?

Naberius – Atualmente estamos com muitos projetos engatilhados, basta dizer que filmamos o nosso show de lançamento e estamos fazendo uma edição pra ver se fica com boa qualidade, a ideia é lançar junto com um material especial comemorativo que estamos gravando, que aliás será surpreendente, trata-se de um álbum, mas não será um álbum de “carreira”, digamos assim… em breve traremos detalhes sobre isso. De outra parte, gravamos uma música para o tributo ao grandioso e lendário Bathory, que será lançado por nosso selo Hammer of Damnation com uma produção fudida, já vimos algumas coisas que foram feitas e vai ser destruidor, nossa gravação está quase finalizada e, modéstia à parte, está apoteótica, digna da grandeza do Bathory e de nossa admiração por seu legado e contribuição para a influência e crescimento do Metal Negro Mundial. Outra novidade, talvez nem tanto mais, estamos com novo baixista, que já está totalmente integrado na horda, já estamos trabalhando em nosso quarto álbum de carreira e aguardem por um material sinistro.

Naberius, saiba que é uma grande honra poder realizar entrevista e agradeço muito por toda sua atenção.

Naberius – Nós quem agradecemos o espaço, o apoio e a velha amizade, mesmo distante essas coisas nunca acabam… aproveitar o espaço para dizer aqueles que nos acompanham que nossos materiais antigos, aos poucos, estão sendo relançados o que já aconteceu com “Sonata Satanicka 666” EP e o álbum “MusickantigA… Prédicas do Vero Báratro”, estamos em vias de relançar o nosso segundo álbum “Iluminados por Thanatherous Aleph… MusickantigA” em edição especial via Balsphemy Prod. Ave Sagra Herege Satanás… Avé

Assista abaixo o lyric video oficial da musicka “The Three Mashu s seals- The Conquest of the Ganzir and Arzir Gates (Hazred Area)”, obra que integra ao artefato “Ad Tertivm Librvm Nigrvm”:

Mostrar mais

Eden Lozano

Programador e designer gráfico para a web, com diversos trabalhos realizados com foco na informação e fortalecimento do underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar