EntrevistasStormy News

FUNERAL SERENADE – Puro Death Metal Old School

Quem viver verá...

Da esquerda pra direita Marck (guitarras), Luciano (bateria), Marcos Junior (baixo e vocais)

É inegável que o nome da banda SEXTRASH originária de Belo Horizonte tenha sido gravado na história do Death Metal e tenha influenciado tanto bandas quanto headbangers no Brasil e no exterior. Com três albuns lançados em seus mais de trinta anos de história, muitos são aqueles que consideram seu segundo trabalho, o ótimo “Funeral Serenade” de 1992 como o maior representante da típica sonoridade da banda, ríspida, crúa e agressiva. Vindos da formação que gravou esse clássico o duo Luciano (bateria) e Marck (guitarras) deixaram a banda há alguns anos e preferiram seguir caminhos de forma independente criando o FUNERAL SERENADE em 2019, não apenas com a intenção de tocar na integra o já citado álbum homônimo, como também de compor material novo e continuar trilhando os caminhos do Death Metal. Para saber mais a respeito desse novo nome que já nasce forte tanto pela estrada quanto pela fome criativa de seus integrantes nós da LUCIFER RISING batemos um bom papo com seus membros que nos falaram mais sobre sua trajetória dentro do Death Metal e pra onde a estrada segue….

1) Vocês (Luciano e Marck) tocaram no SEXTRASH em vários momentos através dos anos e gravaram juntos o clássico álbum “Funeral  Serenade” que agora vem a dar nome a  esse novo projeto que está em andamento. Conte-nos mais sobre as motivações para se criar a banda, a atual formação e a proposta do FUNERAL SERENADE. A idéia é apenas apresentar ao vivo as faixas do já citado “Funeral  Serenade” ou novas composições estão nos planos? Marck também fez parte da formação que gravou o álbum “Rape from Hell” de 2006 do SEXTRASH, há a possibilidade de alguma faixa daquele álbum ser incluída no set list de vocês?

Luciano: Salve Juliano e LUCIFER RISING, em 2019, eu e o Marck decidimos fazer uma espécie de SEXTRASH inc., A princípio fiquei intrigado com a idéia de ser inc., não gosto desses lances, pois sempre fiz parte da história da banda, e isso seria uma espécie de marketing fuleiro, como sabemos de nossa capacidade musical e de criação no Death Metal, achamos conveniente colocarmos o nome da banda de FUNERAL SERENADE, assim decidimos eu e o Marck.. Pretendemos tocar ao menos 2 sons do Rape from Hell.

2) O álbum “Funeral Serenade” foi lançado há 28 anos atrás e acredito que muita coisa tenha mudado bastante nesses quase trinta anos tanto na cena, quanto na indústria musical como um todo e até mesmo em vocês como pessoas.  Em sua opinião quais as maiores mudanças , o que melhorou, o que piorou e oque permanece o mesmo (se houver algo rsrs) ?

Luciano: Sim muita mudança, principal no comportamento dos Headbanger em geral, antes o movimento era mais unido, creio que o crescimento da internet e coisa e tal, perdeu se a essência dos zines, cartas, rádios.

Em mim, evidente que muita coisa mudou, hoje com 46 anos sou pai de família, proletariado, e dependo do meu trabalho, isso dificulta muito idas a shows e rolês, menso prq o dinheiro hoje não dá p isso, mas por outro lado, o amadurecimento me trouxe experiência na parte musical, fazendo com que eu fique mais afiado ao criar uma música.

Foto : Divulgação

3) Além de você Luciano na bateria e Marck na guitarra vocês contam agora com Marcos Junior  no baixo e vocais. Como se deu a entrada dele na banda e na opinião de vocês o que ele pode acrescentar ao FUNERAL SERENADE ?

Marck: Depois de algumas tentativas, o Luciano entrou em contato com o Marcos e o convidou para integrar o projeto; Acho que o Marcos topou de cara.

É um músico experiente, dedicado, muito bom tecnicamente e extremamente criativo, a melhor aquisição possível para a banda, só tem a acrescentar, Eu e Luciano que agora temos que correr atrás para acompanhar ele Hehehehe, além de ser um cara super bacana e que, de pronto, entrou para a irmandade.

4) Vocês pretendem adicionar uma segunda guitarra à formação ou manter –se como power trio? Porque?

Marck: Nao vamos adicionar uma segunda guitarra à formação, vai ser power trio sempre, esse já era o desenho sonhado e planejado para o projeto , por vários motivos, posso citar alguns importantes , Death Metal não precisa de 2 guitarras para ser bem feito, logística é muito melhor, dinâmica de ensaio, passagens de som e até qualidade final de som de palco é muito melhor com 1 guitarra só, menos gente para dar opinião, menos ego, mais fácil de administrar, fechar shows….

5) Pela caminhada que vocês tem dentro do Metal Extremo, com certeza existiram vários momentos marcantes e várias histórias bizarras pelo caminho. Poderiam compartilhar algumas com nossos leitores ?

Luciano: Cara, só pérolas hahahahahaha; Quando tocamos com o MORBID ANGEL em 1991, eles saíram p tomar umas com a gente, travaram de cachaça, colocamos eles no táxi e despachamos para o hotel em BH, em São Paulo (Jundiaí) tive a honra de levar o Pete Sandoval na minha casa antes do show, pra pegar meus pratos para emprestar pra ele, e o cara comeu pizza e tomou umas brejas com meu pai kkkkkkkkkkk, cara é tanta história que dá um livro, galera tomando água de poça do chão, as bebedeiras eram nossa rotina, shows e cachaçadas ahahahahahahahahaha

Dr Marck: Vários shows marcantes, com bandas que gostamos, o Zombie Ritual de 2013 foi um deles.

6) Como mencionado anteriormente, quase trinta anos separa o lançamento do álbum “Funeral Serenade” do momento atual e vocês com certeza evoluíram muito como instrumentistas. Essa evolução pode vir a influenciar nas novas composições que por acaso venham a surgir? Se sim em que sentido ? Podemos esperar algo mais complexo na sonoridade do FUNERAL SERENADE?

Luciano: De fato estamos bem mais maduros em relação a musicalidade, dsposi do Sextrash, eu gravei alguns matérias nos anos 2008 a 2013, com outras bandas, que me mostrou muito meu amadurecimento musical, mesmo eu achando que o Funeral Serenade eu fiz uma bateria bem além da época.

Marck: Acredito que a maturidade e evolução técnica podem ser agregadas ao som e com certeza serão, naturalmente. Isso com certeza será usado nas composições novas, mas sempre mantendo as raizes oitentistas do puro death metal

Foto : Divulgação

7) Se eu perguntar de bandas que os influenciaram a tocar tenho certeza que tudo vai cheirar a naftalina e poeira por aqui (rsrs), mas falando dos dias atuais, existem algum nome novo dentro do Metal que tenha chamado a atenção de vocês recentemente? Quais as promessas musicais para o futuro na opinião de vocês?

Luciano: cara sim nostalgia pura minhas influências, atualmente, tenho várias bandas que poderia citar como promessas, mas como são muitas, fica difícil de mencionar uma se esquecendo das demais, o Metal está aberto as bandas, seja como for, sempre existirá liberdade nesse aspecto.

Marck: Eu, particularmente, sou fechado nos anos 80 e 90, hoje em dia é tudo “ mais do mesmo” não vejo nada novo que me prenda ou encha os olhos.

8) Marck você também faz parte do HELL’S PUNCH que lançou o álbum “Burn it Down” em 2016. Qual o status atual da banda? Teremos mais algum lançamento sob esse nome?

Marck: Me desliguei do hells punch em 2019, agora, só focado no FUNERAL SERENADE.

9) Luciano, você fez parte do ótimo projeto UNREAL que também contava com ex membros do SEXTRASH e PENTACROSTIC  e lançou o ótimo  álbum “Scream for Ever” em 2009 e o EP “Progeny Of The Macabre” em 2011, mas ambos apenas em formato digital. Cara por que esse material nunca foi lançado em nenhum formato físico? Mesmo com a banda atualmente dissolvida você acredita que se houvesse uma boa proposta de algum selo isso ainda seria possível?

Luciano: sim o UNREAL era uma grande promessa no metal em 2008/2011, dois materiais gravados, alguns shows, e propostas de algumas gravadoras, porém muitos fatores implicaram a banda de seguir, o não comprometimento dos membros, abuso de álcool e drogas, infelizmente a banda não seguiu viagem, mas sim, se houver alguma gravadora que quiser se comprometer com o material não vejo problemas em ser lançando, mesmo prq é uma pena ver esse material se perder bom tempo.

10) Vocês estão com uma apresentação marcada a princípio para 23 de maio no Fofinho Rock Club e que também trará Fábio Jhasko apresentando o álbum “The Laws Of Scourge” do SARCÓFAGO na integra. O que podemos esperar dessa parceria e dessa noite? Acha que essa data pode vir a sofrer alguma alteração tendo em vista o atual momento mundial ?

Luciano: estamos apostando que será o evento do ano, para o Death Metal nacional, pretendemos fazer mais eventos com as duas bandas juntas, porém esse evento está em meio a uma data que poderá ser alterada, dependendo de como isso tudo vai acontecendo, mais pro fim de Maio estaremos resolvendo isso, mas a data está mantida para 23 de Maio.

Marck: Esperamos que o show ocorra normalmente, não quero deixar de tocar por causa de uma gripezinha; Será uma noite épica.

Foto:Divulgação

11) Pelas redes sociais a gente percebe que vocês possuem algumas opiniões pessoais bem diferentes sobre alguns tópicos e mesmo assim isso parece não interferir nem na banda e nem na amizade entre vocês, algo que se torna cada vez mais raro nos dias de hoje em  que diversidade de opiniões (políticas, musicais,religiosas, etc) segregam cada vez mais as pessoas. Qual a opinião de vocês sobre essa mentalidade atual e que conselho vocês dariam a essa nova geração sobre tudo isso?

Marck: Somos adultos, maduros, e acima de tudo, verdadeiros irmãos, o respeito, carinho, amizade que temos vale muito mais do que as divergências ideológicas.

Aliás, se todo mundo fosse igual, não teria graça nenhuma, mas temos os mesmos objetivos, valores e admiração mútua.

Essas últimas 3 gerações, só vem piorando, ficando mais fracas em todos os sentidos, como diz a expressão: “ Nutella” demais… palavras machucam, politicamente correto, cagadores de regras, hipocritas, é o que mais vemos; Na verdade, a nossa diversidade de opiniões ( de nós 3, na banda), rendem muita zoeira e risadas entre nós.

12) Sobre o FUNERAL SERENADE, vi recentemente vocês comentarem sobre um single vindo por aí. O que podem adiantar pra gente sobre o mesmo?

Marck: Está realmente, na nossa opinião, MATADOR, Acho que vai sintetizar bem a identidade que queremos para a banda, em termos de som (composições e norte).

Nós gostamos tanto que achamos que a galera vai se surpreender com esse single é bem o estilo que queremos de som: direto, pesado, na linha do mais puro Death Metal old school

13) O espaço é de vocês…

Marcos: Valeu pelo espaço e pelo apoio, cara. Este é o início de algo que vai surpreender, principalmente pra todos aqueles que acham que o FUNERAL SERENADE é uma sombra do SEXTRASH. Há muito respeito pelo legado, mas há o desafio pessoal de mostrar que há capacidade e muita vontade de seguir em frente fazendo o som que a gente curte.

Quem viver, verá!

Mostrar mais

Juliano Bonacini

Tecladista e letrista da LoneHunter (Death Metal), historiador e editor do Crypt of Eternity - fanzine da década de 90.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar