EntrevistasStormy News

FUNERAL STORM – Tartaric Black Occult! A Força do Black Metal da Terra dos Deuses!

"Cada um de nós está intimamente relacionado com o Oculto em geral..."

ENGLISH VERSION IN THE END

O berço da civilização ocidental é conhecida por tudo que contribuiu para a sociedade, seja na filosofia, arte e ciência. Contudo, vai além disso, pois é da Grécia que também surgiram as mais representativas bandas de Black Metal em todo mundo. E essa herança, surgida entre as décadas de 80 e 90 do século passado, continuam dando frutos. Conversamos com Wampyrion, fundador de mais uma grande banda surgida em Hellas, a FUNERAL STORM.

FUNERAL STORM foi criada por Wampyrion em 2002, quando deixou de ser um projeto one-man com o nome de Raven Throne e se tornou efetivamente uma banda. O que lhe motivou a essa decisão?

Funeral Storm sempre quis ser uma banda completa, mas naquela época das poucas pessoas que eu conhecia ninguém gostava de Black Metal. Eles eram todos fãs e queriam tocar como Iron Maiden, Metallica, Blind Guardian e Stratovarius. Então, até que eu pudesse encontrar algumas pessoas que compartilhassem minha visão, mantive como uma banda de um homem só.

Outra mudança interessante foi que em 2015 Wampyrion deu o lugar dos vocais para o grande Stefan Necroabyssious, assumindo assim o baixo. O que mudou na música da banda a partir desse momento?

Sim, eu dei. Depois de mudar o som do Black Metal cru, compus duas músicas “Ego Sum Filius Draconis” e “The Necromancer”. Depois que Nick Christogiannis, do Deviser, tocou os teclados de “The Necromancer”, ele disse que Necroabyssious deveria cantar essa música. Então, ele o convidou e ele aceitou. Depois que os dois conversaram novamente, Necroabyssious disse que deveríamos fazer algo novo juntos. Então eu disse a ele, já que ele fez os vocais para a música, que ele poderia entrar na banda, pois eu já tinha músicas para lançar um álbum completo.  Como R.W. Draconium me mostrou algumas dicas sobre como tocar Black Metal no estilo do início dos anos 90, foi uma rápida mudança de som.

Finalmente em 2019 foi lançado o Full lenght “Arcane Mysteries”. Quem foi o responsável pela parte lírica? Notei algumas referências que me levaram a magia draconiana com o em “Invocation Of The Great Dragon” e ” Ego Sum Filius Draconis”. Qual a relação da banda com correntes ocultistas ?

Necroabyssious era quem estava por trás da letra, além das duas que você mencionou. Eu escrevi a letra de “Ego Sum Filius Draconis” e a “Invocation Of The Great Draconis” é uma invocação tirada de “Dragon Rouge – Magical Course”, depois que Thomas Karsson me deu sinal verde. Cada um de nós está intimamente relacionado com o Oculto em geral, mas só posso falar sobre mim. Eu era fascinado pelo oculto desde muito jovem. Comecei lendo a Bíblia Satânica. Mais tarde, mergulhei mais fundo estudando desde  The Temple Of The Vampire, NAOS, The Temple Of The Black Flame, Dragon Rouge, ONA  para todos os livros sobre Necromancia, alienígenas antigos, Artes das Trevas na Grécia Antiga e assim por diante.  sou um membro orgulhoso do “Cult Of Cthulhu”.Atualmente

Como você definiria a música feira pelo Funeral Storm?

Tartaric Black Occult ”! A cena grega de Black Metal em geral é influenciada tanto por bandas de Heavy Metal puro quanto por bandas como Bathory, Sodom, Slayer, King Diamond etc e por isso que somos o  FUNERAL STORM.

E em meio a Pandemia, esse ano, surgiu mais um split. Agora com a banda SYNTELEIA. Apresente este novo trabalho aos nossos leitores.

Sim, lançamos “The Ancient Calling” 7 ”Split com SYNTELEIA. Somos muito próximos como amigos, então não conversamos muito sobre isso. Desde os primeiros dias de amizade, dissemos que deveríamos fazer um split juntos. Então, depois de algum momento, quando chegou a hora certa, entrei em contato com Hell’s Headbangers e, como ambos estamos na mesma gravadora, eles ficaram muito felizes em fazer isso! Queríamos fazer alguns ajustes aqui e ali em nosso som desta vez como um tributo a todas as primeiras bandas gregas, então usamos a mesma bateria eletrônica que usaram no Storm Studio para  “His Majesty At The Swamp”, “Walpurgisnacht”, “Thy Mighty Contract”, “No Serviam”, “Wizard Of Nerath” etc.

Não é novidade para ninguém que o Black Metal grego é um dos melhores do mundo e influência até hoje diversas bandas. Mas o que de fora influência vocês? No caso do Funeral Storm posso considerar a banda VON como uma influência?

Bandas como Von, Acheron, Maniac Butcher, Nunslaughter, Sarcófago são as que me fizeram querer tocar metal extremo em geral quando era mais jovem, mas também sou fã de bandas como Virtue, Randy, Angel Witch, Tokyo Blade, Mercyful Fate, então sim, você pode dizer isso!

Muitas vezes basta ouvir uma música que dizemos logo: “Isso foi feito na Grécia”. Essa característica de diversas bandas do seu país aparentemente soarem iguais não acaba tirando um pouco da individualidade? Pode parecer que a maioria são “iguais”?

Nem um pouco se você me perguntar. Como eu sempre digo quando leio uma crítica sobre uma banda grega e o redator  diz “Influências de Rotting Christ”. Isso não é verdade. No início dos anos 90, quase todas as bandas soavam semelhantes porque haviam formado um novo som, como Varathron, Rotting Christ, Tatir, Disharmony, Nergal e assim por diante. Para mim, quanto mais soa assim, melhor! Você vê bandas de todo o mundo tocando assim hoje em dia, como Gnosis, Tartarus Gate, Sacriphyx, Putrefied Remains … Eu realmente amo isso e quando ouço seus discos, eu nunca disse que soa como Rotting Christ. Eles parecem gregos! Veja, por exemplo, a cena norueguesa. Eles têm esse som “frio”. Todos têm o mesmo som? Não.

Ainda falando sobre as bandas gregas, essa amizade e ligação entre membros das bandas são tão verdadeiras como nos faz parecer? Parece que a cena grega é muito unida, ao contrário do que já vimos em outros países como Noruega e até mesmo no Brasil onde existem muitas brigas e desavenças entre determinadas bandas.

Não, infelizmente não. Existem muitas bandas por aqui que ao invés de tentarem se unir, eles fazem tudo que podem para parecer melhores e destruir as outras. Mas no final nós sempre prevalecemos.

E após essa Pandemia, já pensam em realizar algumas apresentações? Quem sabe na América do Sul.

Para ser sincero, é muito difícil para nós, já que o Necroabyssious mora longe de nós. Além disso, embora eu seja contra shows ao vivo, se pudéssemos resolver os problemas de distância eu ficaria feliz em fazer alguns shows na América do Sul!

Como está sendo para vocês esse período pandêmico? A Grécia tem também um governo negacionista como no Brasil?

O governo ferrou com tudo e nosso primeiro-ministro é um pedaço de merda. Nada do que ele faz faz sentido! Para mim, pessoalmente, foi um ótimo período para pensar no meu futuro, então me formei como engenheiro de som e produtor e comecei a construir um mini estúdio em uma de minhas salas para que eu pudesse mixar / masterizar outras bandas e, claro, continuar produzindo mais música em solidão e finalmente tive tempo para ler alguns livros e relaxar longe da rotina diária.

O público brasileiro é fanático pelo Metal grego. Lembro de ter visto o show do Rotting Christ aqui no Brasil no final da década de 90 e foi fantástico. Qual a ligação de vocês com a cena brasileira? Vi numa entrevista vocês até citando bandas como MORCROF e MALEDICTION 666.

Tenho a honra de considerar irmãos o  Paullus Moura e Fernando Iser. Também sou um grande fã de Lord Blasphemate e tenho muita sorte de fazer um programa uma vez por mês para a Dark Radio onde apresento novidades da cena grega! Também sou um grande fã de Sarcófago e recentemente o EP do  The Troops Of Doom !

Agradecemos por nos conceder essa entrevista. Deixe aqui seu recado para os apreciadores do FUNERAL STORM.

Muito obrigado por me conceder a oportunidade de fazer parte da Lucifer Rising!
Ad Majorem Cthulhu Gloriam
Salve Brasil!

ENGLISH VERSION

The cradle of Western civilization is known for everything that has contributed to society, whether in philosophy, art and science. However, it goes beyond that, as it is from Greece that the most representative Black Metal bands around the world also emerged. And this heritage, which emerged between the 80s and 90s of the last century, continues to bear fruit. We talked with Wampyrion, founder of another great band that emerged in Hellas, FUNERAL STORM.

FUNERAL STORM was created by you (Wampyrion) in 2002, when it stopped being a one-man project under the name Raven Throne and effectively became a band. What motivated you to make this decision?F

FUNERAL STORM where always meant to be a full band,but back then from the few people I knew nobody was into Black Metal.They were all fans and wanted to play like Iron Maiden,Metallica,Blind Guardian and Stratovarius.So until I was able to find some individuals who would share my vision I kept as a one-man band.

Another interesting change was that in 2015 you gave the place of vocals to the great Stefan Necroabyssious, thus taking over the bass. What has changed in the band’s music since that time?

Yes I did.After changing the sound from raw black metal I composed two songs “Ego Sum Filius Draconis” and “The Necromancer”.

After Nick Christogiannis of Deviser played the keyboards for “The Necromancer” he said Necroabyssious should sing this song.So he contanted him and he accepted.After they both talked again Necroabyssious said we should do something new together.So I told him since he already did the vocals for the song he could join the band since I already had songs to release a full album.

As R.W. Draconium showed me some tips on how to play black metal of the early 90’s style it was a quick turn of sound.

Finally, in 2019, the Full Length “Arcane Mysteries” was released. Who was responsible for the lyrical part? I noticed some references that led me to draconian magic with the in “Invocation Of The Great Dragon” and “Ego Sum Filius Draconis”. What is the band’s relationship with occult currents?

Necroabyssious was the one behind the lyrics,apart from the two you mentioned. I wrote the lyrics for “Ego Sum Filius Draconis” and the “Invocation Of The Great Red Dragon” is an invocation taken from “Dragon Rouge – Magical Course” ,after Thomas Karsson gave me the green light. Each one of us is closely related with the Occult in general but I can only tell you about me. I was fascinated by the occult at an early age. I started by reading the Satanic Bible.Later on I dived deeper by studying from The Temple Of The Vampire,NAOS,The Temple Of The Black Flame,Dragon Rouge,0NA to every book about Necromancy,ancient Aliens,the Dark Arts in Ancient Greece and so on. Currently I am a proud member of the “Cult Of Cthulhu”.

How would you define the music made by Funeral Storm?

“Tartaric Black Occult”!The Greek Black Metal scene in general is influenced both by pure Heavy Metal bands and bands like Bathory,Sodom,Slayer,King Diamond etc and so are FUNERAL STORM

And in the midst of the Pandemic, this year, another split emerged. Now with the band SYNTELEIA. Present this new work to our readers

Yes we released “The Ancient Calling” 7” together with Synteleia. We are pretty close as friends so we didn’t talk about it much. From the early days of friendship we said we must do a split together. So after some point when the time was right I contacted Hell’s Headbangers and since we are both on the same label they were very happy to do it! We wanted to make some tweaks here and there in our sound this time as a tribute to all of the early Greek bands so we used the same drum machine they where using in Storm Studio for His Majesty At The Swamp, Walpurgisnacht, Thy Mighty Contract,Non Serviam,Wizard Of Nerath etc.

It is nothing new for anyone that Greek Black Metal is one of the best in the world and has influenced many bands to this day. But what outside influence do you guys? In the case of Funeral Storm can I consider the band VON as an influence?

Bands like Von, Acheron, Maniac Butcher, Nunslaughter, Sarcofago are the ones that made me want to play extreme metal in general when I was younger,but I am also a fan of bands like Virtue, Randy, Angel Witch, Tokyo Blade, Mercyful Fate,so yes you could say that!

Often it’s enough to listen to a song that we say right away: “This was made in Greece”. Doesn’t this characteristic of several bands in your country apparently sound alike take away some of the individuality? It may seem that most are “equal”?

Not not at all if you ask me.As I always say when I read a review about a Greek Band and the reviewer says “Rotting Christ influences”.That is not true. In the early 90’s almost all bands sounded similar because they had formed a new sound. Like Varathron,RottingChrist, Tatir, Disharmony, Nergal and so on. For me the more it sounds like that the better! You see bands from all around the world playing like that these days like Gnosis,Tartarus Gate,Sacriphyx,Putrefied Remains…I really love it and when I listen to their records I never said it sounds like Rotting Christ. They sound Greek! Take for example the Norwegian scene.They have this “cold” sound.Do they all sound the same?No.

Still talking about greek bands, is this friendship and connection between band members as true as it makes us seem? It seems that the Greek scene is very united, unlike what we’ve seen in other countries like Norway and even Brazil where there are many fights and disagreements between certain bands.

No, unfortunately not at all.There are many bands over here that instead of trying to unite as one,they do everything they can to look better and destroy the others.But in the end we always prevail.

And after this Pandemic, are you already thinking about making some presentations? Maybe in South America.

To be honest it’s very difficult for us,since Necroabyssious lives far away from us. Also even though I am against live shows,if we could solve the distance issues I would be happy do some shows in South America!

How is this pandemic period for you? Does Greece also have a denial government like Brazil?

The government fucked up everything and our Prime Minister is a piece of shit. Nothing from what he does makes any sense! As for me personally it was a great period to think about my future so I graduated as a sound engineer and producer and started building a mini studio in one of my rooms so I can mix/master other bands and of course keep producing more music in solitude and finally got the time to read some books and relax away from the daily routine.

The Brazilian public is fanatical about Greek Metal. I remember seeing Rotting Christ’s show here in Brazil in the late 90’s and it was fantastic. What is your connection with the Brazilian scene? I saw you in an interview even mentioning bands like MORCROF and MALEDICTION 666.

I am honored to consider Paullus Moura and Fernando Iser brothers. I am also a huge fan of Lord Blasphemate and very lucky to do a show once a month for Dark Radio where I present news from the Greek Scene!I am also a huge fan of Sarcofago and lately The Troops Of Doom EP!

Thank you for granting us this interview. Leave your message here for FUNERAL STORM worshipers.

Thank you so much for granting me the opportunity to be a part of Lucifer Rising!

Ad Majorem Cthulhu Gloriam

Salve Brasil!

 

Mostrar mais

Giovan Dias

Editor do The Glory Of Pagan Fire Zine, trabalho iniciado ainda na década de 90, voltado ao Black, Death, Doom Metal.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar