Coberturas

GOATH – Profanação na Cidade sem Salvação

Rottenbroth. Foto por: Giovan Dias

“É errando que se acerta!” Já ouvi isso algumas vezes. Tirei essa conclusão ao chegar uma hora e meia antes do previsto para começar o show. Solitário no banco da praça, aguardando uma negra alma aparecer. Lá pras 20:40hs  o público começou a chegar, foi quando já estava entre chopps e um bom papo num restaurante japonês do lado da casa de eventos. Essa introdução foi só para conseguir uma desculpa, pois acabei entrando na penúltima música da apresentação do ROTTENBROTH! Já estavam executando a música ‘Desperate to See Morbid Steam’  que faz parte da demo “ Visions Of Autopsy”. Por fim, para presentear a noite que estava começando, largaram ‘ Artefacted Irreligion’, um clássico do BENEDICTION. É incrível a sintonia de Danilo Vagner (g/v), Vitor Giovanni (b) e Diego FleisherGrinder (d). O pouco que presenciei me fez perceber que vem muita coisa por aí nessa trilha doentia do Metal da Morte.

Após um pequeno espaço de tempo, com direito a abastecer um pouco mais os copos e perceber que para uma quinta feira a casa estava com um bom público, os profanos do GOATH sobem ao palco.

Goathammer/Goath. Foto por: Giovan Dias

Foram mais ou menos uma hora de um avassalador Death Black Metal. Curiosamente o público presente não agitou ou “degladiou” como já é a marca registrada em eventos extremos em Salvador. Houve uma ou duas tentativas, inclusive com a solicitação do vocalista Goathammer, mas em vão. O GOATH é uma banda nova em que muitos vieram a conhecer após anúncio dos shows no Brasil meses atrás. Então mais que natural essa atitude. O público ficou “sacando” a banda.  Os caras tem uma boa presença de palco e a dualidade nos vocais entre Goathammer e Muerte deu todo um clima nas músicas. Com o repertório principalmente do último trabalho “ II Opposition” deram seu recado e mostraram que ainda serão muito ouvidos por quem segue essa música desgraça e profana.

Mais um intervalo e entre alguns copos pude perceber que o evento contava no público com seres que fazem parte e atuam na cena local, com membros da Behavior, Headhunter DC, Ad Baculum, Papa Necrose, Eternal Sacrifice, In Infernal War,  Devouring, Heretic Execution, Benemmerinnen, Ordo Domini Noctem, Rotten Cadaveric Execration, Desgraça Zine e figuras ilustres que faz parte da história do Metal de Salvador, o grande Jonga e o hoje produtor Rogério Big Boss, que foi vocalista da lendária CHEMICAL DEATH e OBLITERATION.

Escarmium. Foto por: Giovan Dias

Para fechar a noite, eis que sobe ao palco a banda que nasceu na terra sem Salvação e ganhou o mundo, a ESCARNIUM! Aí sim o público mostrou a forma de Salvador prestigiar. Entre cabeças batendo e aquela insana roda na frente do palco, a banda fez o já conhecido Death Metal com uma fúria fenomenal!

Contando com essa apresentação o apoio de Israel Ferrão (HERETIC EXECUTION)  numa guitarra e Márcio Jordanne (DEVOURING) na bateria, a banda fez uma apresentação impecável, fazendo o delírio de todos na música ‘ Self Proclaimed Messiah’ , quando convidam seu ex guitarrista, Eucini Sancty, hoje na HERETIC EXECUTION, para fechar essa noite com uma puta apresentação, onde por fim ouvimos do Victor Elian a frase: “ A ESCARNIUM sempre será de Salvador!!!”.

Quem venham próximos shows e que Salvador entre na rota de grandes apresentações como essa.

Confira a baixo as fotos do show:

Mostrar mais

Giovan Dias

Editor do The Glory Of Pagan Fire Zine, trabalho iniciado ainda na década de 90, voltado ao Black, Death, Doom Metal.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar