Entrevistas

IMPIEDOSO – Semeando o Metal Negro por todo o mundo

"Passamos por diversas mudanças, mas o importante é que mantivemos nossa essência..."

Em março de 1998, das cinzas do Imperium Tenebrae, surge a horda IMPIEDOSO. Com diversos materiais em sua discografia, a banda lançou o bem recebido “Reign in Darkness”, que colocou o grupo entre os principais nomes do Black Metal brasileiro. Hoje conversamos com o baixista e co-fundador Nahash para saber mais sobre o atuais momentos da horda, confira:

Nahash, Foto por: Divulgação

Hail! Para nós da Lúcifer Rising Magazine é um prazer estar conversando com uma das hordas mais clássicas do Brasil. Vamos lá, o IMPIEDOSO surgiu em 1998 e de lá pra cá muito clássicos foram lançados, na opinião de vocês, “Reign In Darkness” pode ser considerado o trabalho mais consolidado da banda até hoje?

Nahash – O prazer é nosso em conversar com a Lúcifer Rising Magazine. “Reign in Darkness” ficou exatamente como queríamos, então pode sim, ser considerado nosso melhor trabalho. Os materiais mais antigos possuem músicas extremamente boas, do meu ponto de vista, mas como foram gravadas de uma forma tosca (tudo em apenas em um único take e sem a aparelhagem adequada) não deixaram transparecer tudo que pretendíamos.

O grupo passou por algumas mudanças na formação ao longo da carreira certo? Fale um pouco desta atual, apresentando-a aos nossos leitores, e aproveitando a pergunta, vocês acham que mudanças na formação são benéficas ou muitas vezes atrapalham o andamento da banda?

Nahash – Passamos por diversas mudanças, mas o importante é que mantivemos nossa essência, permanecemos fiéis ao que pretendíamos demonstrar com a horda desde o início. Não houve nenhuma mudança no estilo, no feeling. E acredito que isso tenha acontecido porque todos que tocam/tocaram aqui foram escolhidos não apenas por suas qualidades como músicos, mas também por suas personalidades e ideologias. Não conseguiríamos fazer nosso som com ideais conflitantes. Não estamos aqui apenas para tocar. Vivemos tudo isso.

Pestenegra, Foto por: Divulgação

Sobre os benefícios nas mudanças de formação, houve um tempo em que eu pensava de forma negativa a respeito, pois eu achava que seria muito difícil manter a chama do Impiedoso acesa com a mesma intensidade. Obviamente me enganei. A chegada de um novo integrante consegue dar uma revigorada naquilo que às vezes não percebemos, mas se trata do comodismo. Todos que passaram por aqui deixaram suas marcas, sempre somando algo.

A mais recente mudança foi no vocal, que foi assumido por Pestenegra, mais ou menos na metade de 2018. Somos amigos de longa data, e seu empenho com a horda é invejável. Mortuum está na guitarra desde 2013, quando ingressou na banda com uma fúria incontrolável, que deu uma “sacudida” em todos nós. Eu fundei a horda em 98, junto com Azoth (que cedeu lugar à Pestenegra), toquei bateria na primeira demo (Master of Darkness-99) e depois assumi o contrabaixo. Aldebaran está na bateria desde 2008.

Voltando ao opus “Reign in Darkness”, como foi a recepção do público acerca deste material?

Nahash – Foi muito bem recebido por todos.  A única reclamação que ouvi é que demoramos demais para lançá-lo (risos), então espero não demorar tanto no próximo. As resenhas do álbum sempre destacaram muitos aspectos positivos, a imprensa especializada também elogiou muito, e os headbangers nos apoiam muito através de mensagens e também nos shows. Então acho que posso dizer que acertamos, e estamos honrados em poder ter contribuído de forma valorosa com o Black Metal, espalhando essa semente por todo o mundo.

Impiedoso, Foto por: Divulgação

E como o IMPIEDOSO trabalhou na composição, gravação e produção neste trabalho?

Nahash – Nunca havíamos dado atenção à qualidade de gravação nos trabalhos anteriores, e achamos que poderia ser interessante nos dedicarmos mais nesse sentido neste álbum. A composição da maioria das músicas já estava feita, e nos dedicamos apenas em lapidá-las (tirar ou acrescentar algum detalhe) para se encaixarem perfeitamente ali. A gravação e masterização foram as partes mais demoradas, principalmente porque tivemos o cuidado de deixar tudo bem gravado e ao mesmo tempo soar como algo “cru”. A capa do álbum partiu da mente do Azoth, sendo pintada por um artista plástico em um quadro, para depois ser digitalizada para o encarte. Todos trabalharam de forma exaustiva nessa produção, acompanhando cada etapa, mas preciso ressaltar o empenho de Mortuum, que não mediu esforços para finalizar “Reign in Darkness” da forma como queríamos.

A sonoridade da horda nos remete muito ao Black Metal feito nos anos 90. Conte-nos, quais são as principais influências e vocês acham que o Metal Negro mudou muito de lá pra cá?

Mortuum, Foto por: Divulgação

Nahash – Impiedoso é e sempre será uma banda de Black Metal que remete à origem do gênero.  Vivemos intensamente essa época de ouro do Metal Negro, e ajudamos a fortalecer esse estilo desde o início dos anos 90, com o extinto Imperium Tenebrae.  Venom, Bathory , Sarcófago e Hellhammer não saíam do aparelho de vinil na época. Depois surgiram bandas da chamada “segunda geração”, como Mayhem, Dark Throne, Immortal e Marduk, só para citar algumas. Todas as bandas que ouvimos nos influenciam em maior ou menor grau, mas procuramos sempre tomar um cuidado especial para que não fiquemos parecidos em demasia com qualquer uma delas, mesmo que involuntariamente. Esse é o principal motivo para não gravarmos nada precipitadamente. Gostamos de ouvir várias vezes nossas músicas dos ensaios durante um bom tempo, até ter certeza que não estão semelhantes com nenhuma banda que conheçamos, pois inconscientemente (e conhecemos muitas bandas que o fazem) pode acontecer.

O Black Metal passou pela primeira grande mudança quando surgiu a “segunda geração”, que já citei anteriormente, com uma sonoridade mais rápida e temática mais explícita. A “terceira geração”, que deve ter começado lá pelos anos 2000, ficou um pouco mais “pobre”, a meu ver. Parece que a necessidade de ser diferente se sobrepôs à ideologia, e essa mesma busca pela singularidade, pasmem, tornou tudo igual. Óbvio que não posso generalizar isso, até porque sempre surgem bandas ótimas por aí o tempo todo, mas o que quero dizer é que a maioria das bandas procura ser “a mais rápida”, ou “a mais nojenta”, ou “a mais satânica”, se esquecendo que isso não é uma competição. É preciso garimpar muito pra encontrar aquela banda que, quando você ouve a primeira vez, faz todos os pelos dos braços eriçarem.

Aldebaran, Foto por: Divulgação

E a cena catarinense? Vocês acreditam que, comparando ao início da banda, a união é mais forte?

Nahash – A cena catarinense é fortíssima. Ocorrem grandes eventos, grandes festivais por aqui, que reúnem pessoas de todo o país. Não ocorriam festivais desse porte com tanta frequência, por aqui, nos anos noventa. Mas a união entre os headbangers mudou, e para pior. Conseguir as coisas, os materiais novos para ouvir, era bem mais difícil. E conseguíamos isso apenas pelo contato direto, ou por cartas. E isso criava um laço de amizade mais forte, era algo mais pessoal, íntimo. A internet mudou o mundo, e também o metal. Colocou-o à disposição de todos, quando quisessem, e isso afastou as pessoas.

O que podemos esperar do IMPIEDOSO para 2019? Um novo trabalho com essa formação?

Nahash – Estamos nos empenhando em concluir a gravação o quanto antes, mas as recentes mudanças na formação nos impediram de concluí-la até o momento.  Mas isso ocorrerá até o fim de 2019. Esperem um álbum ainda mais devastador!!!

Muito obrigado pela entrevista, deixamos este espaço para as considerações finais.

Nahash – Agradeço novamente a oportunidade cedida pela Lucifer Rising Magazine. Espero encontrar cada vez mais metalmaníacos nos eventos, para que juntos possamos nos fortalecer. Continuem apoiando o metal, pois ele fará parte de suas vidas até a morte!

Hail!!!

IMPIEDOSO É:

Pestenegra – Vocais
Nahash – Baixo
Mortuum – Guitarra
Aldebaran – Bateria

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato
Sites relacionados:
https://www.facebook.com/ImpiedosoHorde/
https://www.sanguefrioproducoes.com/artistas/Impiedoso/47

Discografia:

Assista abaixo o vídeo comemorativo de 20 anos de carreira, Pelas Desgraças de deus:

Mostrar mais

Eden Lozano

Programador e designer gráfico para a web, com diversos trabalhos realizados com foco na informação e fortalecimento do underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar