Entrevistas

IMPURITY – O cemitério é o meu Lar

“Tive muitos problemas pessoais, financeiros, profissionais, até pensei em enterrar a banda...”

É com muita honra que a Lucifer Rising traz em suas galerias essa grandiosa banda do cenário nacional. Com certeza essa é uma daquelas bandas das terras mineiras que faz história com trabalhos influentes mundialmente. Batemos um papo bem aprofundado com seu líder Ram Priest e conseguimos extrair histórias muito interessantes de suas andanças e fatos recentes. A banda está agora divulgando o relançamento de seu terceiro álbum em formato vinil com a capa original e empolgados com o convite para participar pela terceira vez do Setembro Negro que este ano de 2019, em minha opinião, virá com seu melhor cast. Acompanhem os dizeres do frater Ram Priest sobre a praga das covas do Bonfim: Impurity.

Ram Priest, Foto por: Divulgação

Bem vindos nobres amigos, após 3 décadas de labuta dentro do Metal Negro underground, e tendo passado por tantas experiências, nos fale um pouco sobre essa gloriosa trajetória…

RAM – Salve Manaics irmãos das Trevas!!! então, todos os anos foram de intensa batalha em nome do Metal Satanico, ao longo desses tempos tivemos experiências positivas e negativas, mas isso apenas fez fortalecer nosso vínculo com o underground.

Entre o segundo álbum “Into the Ritual Chamber” e o terceiro “Satanic Metal Kingdom” houve um longo intervalo de lançamentos da banda, ao que vocês atribuem esse hiato? Qual avaliação vocês fazem da diferente linha musical entre ambos?

RAM – Em 1996, após a gravação do INTO… os membros se desligaram da banda restando apenas Eu, então fiquei um tempo até o álbum ser lançado em cd, devido a longa demora da Cogumelo, eu fui encontrar outros membros no final de 1997, após encontrar outros integrantes começamos os ensaios e 1998 gravamos o Satanic Metal Kingdom que saiu apenas 100 cópias de cds independente. No Satanic Metal Kingdom tinham integrantes que vinham de bandas que tocavam covers como Iron, e Judas Priest, isso resultou e influenciou uma mudança sonora no álbum Satanic Metal Kingdom, de certa forma o álbum agradou muitos novos fãs , mas também irritou boa parte dos fãs que adoravam a raiz sonora do IMPURITY.

1993 – The Lamb’s Fury “Full-length”

O seu primeiro e aclamado álbum “The Lamb´s Fury” é um dos marcos do Metal Negro Nacional! Qual a sensação que vocês tem em ter realizado esta obra? Como esse álbum repercute para a banda até hoje, visto que certamente aos admiradores da banda trata-se de uma lição de metal negro?

RAM – The Lambs Fury com certeza é o carro chefe do IMPURITY , foi através desse álbum que ficamos conhecidos mundialmente, é o álbum com mais prensagem, editado em várias versões, em 2014 fizemos a regravação para uma edição especial que foi lançado no NWN fest (Berlin) dessa forma tocamos o álbum na íntegra em um show inesquecível.

Como acompanho a trajetória da banda desde o começo, quando o Metal Extremo Underground ainda era inovador e original, suas demos possuem um teor extremamente sujo e sombrio, quais eram suas principais referências na época em que a horda iniciou, musicalmente falando?

1996 – Into the Ritual Chamber “Full-length”

RAM – Quando gravamos nosso primeiro ensaio demo The Impurity Temple em 1889 o ponto de partida sonora foram as bandas que mais escutávamos na época como: Hellhammer, Sarcófago etc, pouco tempo depois recebemos sons de bandas como Samael e Blasphemy então a sonoridade de malditas bandas que iam surgindo destilavam nosso caminho sonoro dentro do underground.

Em geral, as bandas de Metal Negro propagam conhecimentos ligados a filosofia oculta, o caminho da mão esquerda é um fator muito presente no modo de vida da cultura ligada a este nicho. Qual a relação da horda Impurity com essa parte ideológica, a filosofia oculta é uma base imprescindível para vocês?

RAM – Sim, Eu tinha conhecimento de Nietsche, Bertrand, Russel, Eliphas Levy etc nesse período, mas em 1990 o Shub Nigurath (primeiro guitarrista do IMPURITY) foi passar férias em Miami USA e na oportunidade ele comprou a Bilblia Satanica de Lavey, Eu vi Lavey como um satanic mystic Underground! Eu me interessei muito a fundo pela Arte daquele demoniac de Cabeça Raspada e Barba Mefistofélica, e isso foi um grande aprendizado para nós e banda dentro da Magia e misticismo, tempos depois recebi do Daimon ov Fornication (BEHERIT) alguns panfletos e endereço do Collegium Satanas New Zeland, escrevi pra eles e recebi materiais importante para o desenvolvimento filosófico/místico pessoal e profissional.

La Biblia Satánica – La Otra Ciencia

Nascendo basicamente na mesma época que bandas como Mystifier, Sarcófago, Beherit e Blasphemy, vocês acreditam que o tempo fez com que essas bandas, que influenciaram tantas outras, assim como Impurity estão entrando em extinção? Ou seja, bandas como estas estão dando lugar a um outro tipo de estética musical dentro do Metal Negro?

RAM – acredito que algumas bandas tem partido pra outra linha musical por preferencias pessoais, e isso as vezes gera desavenças causando até mesmo o fim da banda.

Em 2012 e.v. vocês lançaram o excelente álbum “Bonfim Moritvri Mortivis” pelo selo Americano Nuclear War Now, como surgiu essa parceria? Vocês encontraram dificuldades para lançar seus álbuns no Brasil?

RAM – O Bonfim… não é todo de músicas exclusivas, tivemos a intensão de regravar a demo The Impurity Temple que na época não teve uma boa gravação, então a demo fez parte do Lado A do vinil, já no B veio as músicas novas, e na oportunidade a NWN fez uma proposta pra lançar de imediato, então isso fez com que nós escolhêssemos um selo internacional.

1998 – Satanic Metal Kingdom “Limited Edition!
2004 – Satanic Metal Kingdom “Full-length”

O Sárcófago em seu primeiro álbum I.N.R.I. fez a foto da capa em um cemitério, algo realmente desafiador para a época e causou um grande impacto. Os canadenses do Blasphemy propagam o que eles chamam de Ross Bay Cult, Ross Bay é um Cemitério lá no Canadá. Mystifier, logo no início de carreira fez uma série de fotos em um famoso cemitério aqui de Salvador chamado Campo Santo, e essas referências aos cemitérios se seguiram. Vocês costumam fazer referências em seus lançamentos ao “Bonfim” o mesmo cemitério em que o Sarcófago fez as fotos do I.N.R.I., na opinião de vocês, qual o pensamento por traz dessa referência com este cemitério do “Bonfim”, se tornou uma simbologia para o Impurity?

RAM – … O cemitério é o meu Lar, ou de dia ou de Noite… Hahhahahahaha! Isso está escrito na música Nigth of Torment in the Cemetery, hahahaha! Pois é, com certeza, as melhores fotos para álbum de Satanic Metal bands, são em Cemitérios, os trabalhos fotográficos que o Sarcófago fez no Bonfim para seus primeiros discos, pra mim são os melhores do mundo, Nós fizemos algumas fotos em câmara Ritual mas nada comparado as fotos em cemitério, então o Impurity tornou isso simbologia, tanto que nós visitamos e tiramos fotos em vários cemitérios mundo afora inclusive no Japão onde usamos manto mortuário. A palavra Cemitério é esplendida! todos os cemitérios eu acho magnifico! mas o cemitério mais brutal que vi até hoje , foi o cemitério General (Geral) em Santigo Chile.

2006 – Necro Infamists of Tumulus Return “Full-length”

O ano de 2018 foi especial para a banda que completou 30 anos. Como foram estes anos de existência e resistência dentro do underground? Quais foram as maiores dificuldades que vocês passaram durante estes anos?

RAM – As maiores dificuldades foram naquele intervalo que você citou entre os álbuns INTO e Satanic .., Eu tive muitos problemas; Membros e ex-membros da banda, pessoais, financeiro, profissional, kkkkkkkkk! Putz!! foi Foda !!! Até pensei em enterrar a banda! isso atrapalhou de mais o andar da banda! Mas no final ficou tudo ok, e agora em 2019 estamos pensando em um ritual live para comemorar essa maldição de 30 anos!!!!!!!!!!!!! Hail Satan!!!!!!!!

Em 2014 vocês participaram de um grande festival na Alemanha, como surgiu o convite para se apresentar neste festival com grandes nomes como Conqueror, Revenge, Black Witchery? Como foi esse experiência em solo europeu?

2012 – Bonfim Moritvri Mortivis “Full-length”

RAM – A gente já tinha um laço com o Yosuke NWN Prod, e vinha de alguns lançamentos, e edições especial de álbuns antigos do IMPURITY laçado por ele, então o Yosuke fez uma proposta para tocar em 2014 no Fest, foi brutal demais, encontramos muitos amigos que correspondíamos por carta nos anos 80, como Stefhan Varatron e Black Winds do Blasphemy que estava presente no fest, foi um encontro insano!!!!!!!!

Se não estou enganado, em 2015 vocês fizeram uma tour pelo Japão, não recordo de outra banda de Black Metal Brasileira ter conseguido tal façanha. Como foi a experiência para vocês, como é o público e a receptividade?

RAM – A proposta surgiu quando encontramos uma japonesa em Berlin, a guitarrista do Sex Messiah, ela propôs fazer Um Split para sair em Cd Japonês limitado e consequentemente fazer uma mini Tour por lá, foram dois shows Osaka e Tokyo Argh!!!!!! Inesquecível GIG, os japas são realmente Loucos!!!!!!!!!! Fiquei um pouco triste por que não tinha Drogas!!!! mas tinha muito Whisky Japa!!!!

2014 – The Lamb’s Fury MMXIV “Full-length”

Recentemente a Alemã Iron Bonehead Rec. Relançou seu terceiro álbum “Satanic Metal Kingdom” em formato LP. Existe hoje um grande culto ao vinil e isso tem feito com que fãs mais ortodoxos mantenham acesa uma chama primordial sobre esse formato. Como surgiu o convite para esse relançamento, como está sendo a receptividade desse material e porque não saiu com a capa original?

RAM – O Patrick me mandou uma mensagem muito animado, pois tinha escutado Satanic… e gostado muito do álbum queria lançar em Vinil, fiquei surpreso! e logo concordei enviando o layout e sons da versão de 1998 das 100 cópias que citei anteriormente. Usamos a primeira capa feita a original.

Ainda repercute o lançamento do seu último álbum “All in the Name of Satan” e foram lançados em seguida dois splits e uma compilação contendo músicas de estúdio e ao vivo em vários países como Chile, Argentina, Japão e Alemanha. Como tem sido a repercussão destes outros materiais além do álbum? E quais os projetos futuros da banda para novos lançamentos?

2017 – All in the Name of Satan “Full-length”

RAM – A compilação partiu de um maníaco Koreano Fallen Angel Prod. ele me falou que isso era importante para divulgação na ASIA, onde vários maníacos não tem acesso a todos os albuns da banda, eu acreditei na ideia , que deu certo, ficou muito brutal , sobre o All in the Name of Satan tenho a dizer que em breve estaremos com a versão CD, tem muitos maníacos que não tem acesso a vinil e estão ávidos por esse maldito som.

Agradeço imensamente a participação no Portal Lucifer Rising, espero poder contar com vossa presença em nossas galerias brevemente. Deixo o espaço aberto para o que desejar dizer:

RAM – Valeu demoniacs! obrigado pelo espaço, agradeço também a todos os Satanics Maniacs com o IMPURITY, certamente vocês são meus irmãos de sangue em Satan!!!!!! Hail!

Segue abaixo a discografia completa:

1989 – The Impurity Temple “Demo Ensaio”
1989 – Lucifer Vomiting Blasphemies Over christs Head “Official Rehearsal”
1990 – Noise Vomits “Ensaio”
1991 – Guests of the Infernal Pit “7EP”
1993 – The Lambs Fury “LP”
1996 – Into the Ritual Chamber “CD”
1998 – Satanic Metal Kingdom “CD Limited”
2004 – Satanic Metal kingdom “Remaster CD”
2006 – Necro Infamists of Tumulus Return “CD”
2008/2011 – Bonfim Moritvri Mortivis “LP/CD”
2012 – Split.Impurity/Black Feast “LP/CD”
2013 – Brazilian Ritual Second Attack “Official DVD”
2014 – The Lambs Fury MMXIV – Re.recording “LP/CD”
2015 – Split Impurity/Sex Messiah “LP/CD”
2016 – Split Live Impurity/Nekromanteon “Tape”
2017 – All In The Name of Satan “LP”
2017 – Split Impurity/Black Vul Destructor “Tape”
2018 – Lengend Of The Goat-Impurity Official Compilation “CD”

Assista abaixo o Impurity em duas celebrações,  Chile em 2016 e Argentina 2017:

 

Mostrar mais

Anton Naberius

Vocalista da Eternal Sacrifice (Pagan Black Metal) Professor de Arte Visual, Artista Plástico e Especialista em Arte e Patrimônio Cultural.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar