Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

IN THE WOODS – Omnio (Reissue 2020)

Cold Art Industry / Metal Relics Records - Nacional

Em 1995, ao lançar o seu primeiro álbum “Heart of Ages”, o IN THE WOODS já tinha mostrado uma qualidade musical diferenciada, mas quando seu segundo álbum de estúdio foi lançado dois anos depois, tudo foi elevado para outro patamar. “Omnio” saiu em 1997 e redefiniu o status desse grupo Norueguês. Enquanto até esse momento a banda carregava uma sonoridade que a aproximava muito do que viria a ser conhecido como pagan metal, com “Omnio” a banda abriu seus horizontes e abração uma infinidade de outras nuâncias musicais, criando uma obra musical de extremo bom gosto. A riqueza de detalhes e camadas é impressionante.

Essa improvável (e até não tão bem recebida na época em que o radicalismo musical ainda imperava de forma mais ampla) mistura de elementos do avant-gard, progressivo, do metal e até mesmo do rock realmente funcionou. Ao se dar o play você é recebido pela enigmática e melancólica “299 796 km/s”, que tem um início mais pesado, mais metal, mas rapidamente vai se expandindo, se liberando. A sonoridade se aproxima muito do doom metal, mas os vocais guturais se ausentam, jogando luz a uma vocalização mais limpa, algo entre o My Dying Bride e até mesmo do Borknagar (quando os vocais vão se tornando cada vez mais cantados e menos agressivos). O uso de vocais femininos numa pegada mais lírica mostra a conexão da banda com o que vinha sendo feito dentro do cenário mais symphonic. “I am Your Flesh” coloca mais pimenta na receita e traz uma composição mais pesada e mais energética. Talvez essa seja uma das músicas mais conhecidas da banda por toda essa sobreposição de influências, mas ainda soando pesada em vários momentos.

A pegada mais tétrica e épica volta com a longa “Weeping Willows” que oferece belíssimos arranjos de guitarra e um andamento mais lento. Os vocais aqui são um destaque pois criam um ambiente dramático que se une ao belíssimo instrumental.A faixa título é como se fosse uma “pequena” ópera, se dividindo em três partes: “Omnio -“Pre”, “Bardo” e “Post”. O arranjo inicial me fez lembrar a obra-prima do metal grego Horrified e esperei aquele vocal gutural começar, mas isso não ocorre. Uma voz quase cantada de forma mais suave cria o clima. A música vai adquirindo tons mais pesados e dinâmicos e retorna ao abismo quando abre caminho para “Omnio-Bardo”, uma faixa instrumental que vai de uma viagem de sintetizadores diretamente para um incrível solo de guitarra, escancarando o portão para a faixa final do álbum “Omnio-Post”, outra música com várias camadas, desde momentos melancólicos como em seu início até partes com riffs mais pesados e experimentações vocais muito interessantes. Essa incrível versão nacional ainda traz uma versão ao vivo para “299,796 Km/s” que mostra como a banda podia soar tão sólida ao vivo quanto no estúdio. A edição que tenho em mãos é absolutamente grandiosa e só podemos tirar o chápeu para uma obra de arte como essa.

10/10

COLD ART INDUSTRY online: https://coldartindustry.loja2.com.br/

METAL RELICS online: https://metalrelics.com.br/

 

Mostrar mais

Fabio Brayner

Editor do The Old Coffin Spirit zine e um completo metal maniac desde 1985. Ex-membro de bandas como Sanctifier e As the Shadows Fall.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar