Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

JUPITERIAN – Protosapien (Advanced)

Transcending Obscurity Records (Importado)

A banda JUPITERIAN é um daqueles raros casos em que um projeto, a principio despretensioso e descompromissado que de forma inesperada e sem o menor aviso chama a atenção e cresce de maneira meteórica. Formada no ano de 2013 a banda já apresentou ao mundo os fantásticos álbuns “Aphotic” de 2015 e “Terraforming” de 2017  e chega agora ao seu terceiro opus, o colossal “Protosapien” que será lançado no próximo dia 11 de setembro pela “Transcending Obscurity Records”. A fórmula utilizada nos álbuns anteriores permanece, mas aqui o Atmospheric Sludge/Doom Metal carregado de distorção alucinante, peso avassalador e altas doses de caos executado pela banda ganha ares de perfeição; a produção conseguiu trazer toda a qualidade necessária a se apreender os pequenos detalhes no instrumental e ainda assim manter o clima claustrofóbico das composições. Após a sinistra intro instrumental “Homecoming” somos apresentados à faixa “Mere Humans” que também foi escolhida para ser um dos singles que antecedem ao lançamento de “Protosapien” e nessa composição você já é capaz de perceber como a banda consegue unir uma atmosfera obscura com uma grandiosidade épica , o peso esmagador de seu inicio, o caos de sua sessão central e a melancolia de sua segunda parte são de uma beleza e coesão únicas e ainda temos como convidado nessa faixa Antii, vocalista da banda finlandesa de Death/Doom Krypts, continuamos nossa jornada com  “Voidborn” e seu começo arrastado e hipnótico e sua evolução em uma verdadeira viagem lisérgica na qual o forte entorpecente é a própria música, faixa viciante e sensacional. “Capricorn” vem na sequencia com os vocais de V e os arranjos mais “quebrados” de bateria sendo os grandes destaques. Seguimos com “Starless” outra composição que também foi escolhida para seu usada como single e foi construída com um pouco mais de melodia e ótimas harmonias entre as guitarras .Essa faixa traz um tom e uma carga emocional que varia entre a desolação, o abandono e a tristeza. “Protosapien” se encerra com aquela que para mim é a melhor de suas composições “Earthling Bloodline”, uma música em que o contraste entre os vocais guturais e sussurrados, o andamento lento e o caos presente na massa sonora conseguem criar uma atmosfera esquizofrênica e lindamente perturbadora.  Pessoalmente tenho que dizer que adorei o novo álbum e sem querer me levar pela adrenalina do momento posso afirmar que “Protosapien” é um dos melhores álbuns já lançados no estilo por uma banda brasileira e não fica devendo em nada aos grandes nomes do Doom Metal espalhados pelos quatro cantos do mundo. A arte de capa a cargo de Mariusz Lewandowski é belíssima e com certeza um atrativo a mais.  O único ponto negativo a meu ver foi que a promo que recebi não tinha as letras e como sei que V é um grande fã de ficção cientifica, astronomia e temas relacionados fiquei extremamente curioso nas mesmas.  Se você já conhece a banda pode adquirir esse novo trabalho sem medo, pois é certeza de satisfação garantida. Se você porém ainda não ouviu o som dos caras eu aconselho a corrigir esse erro começando por esse novo petardo. Ouça aos singles  “Starless” e “Mere Humans” nos links abaixo e adquira esse álbum o mais rápido possivel

Nota 9,5 de 10

 

 

Mostrar mais

Juliano Bonacini

Tecladista e letrista da LoneHunter (Death Metal), historiador e editor do Crypt of Eternity - fanzine da década de 90.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar