Entrevistas

JUSTABELI – A Favor da Guerra!!!

"Não somos nazistas e não descriminamos a ninguém. Satã é liberdade."

O polêmico e conhecido JUSTABELI está novamente no front de batalha!!! Conversamos com o camarada  War Pherys, que nos passou todas as informações sobre o novo trabalho, bem como, esclarecimentos sobre os acontecimentos que rodeiam o nome da banda. 

JUSTABELI acaba de detonar no campo de guerra, seu novo artefato bélico, o CD “ Intense Heavy Clash”. Apresente este novo trabalho aos nossos leitores.

War Pherys: Hails! Na verdade este trabalho vinha sendo gravado desde 2017, mas como a sequência de shows era constante, não tínhamos tempo pra terminar, então, soltamos o EP “Blast The Defector” e seguimos em tour… Pra quem achou que o JUSTABELI ia tirar o pé, “Intense Heavy Clash” é um artefato mais rápido e técnico, sem perder nossa essência bélica e satânica. Prepare For The Aftermath!

Este título define o novo trabalho? Quais as principais diferenças do trabalho anterior, o “ Cause The War Never Ends…”?

War Pherys: Com certeza, “Conflito Pesado e Intenso” define o mesmo. Com exceção do que vos fala, todos os músicos do álbum anterior mudaram, fora isso, o momento e as influências também são outras… Este álbum é mais rápido e mais black metal, com pitadas de heavy metal.

CD 2019. Via Mutilation Records.

Particularmente gostei muito deste novo trabalho. Está visceral. Músicas como ‘Prepare For The Aftermath’, ‘Apocalypse 666’ e ‘ Satan War Black Metal’ soam como metralhadoras infernais. Qual sua música preferida. Aquela que dá aquele prazer de tocar?

War Pherys: Gosto de todas as músicas, quando você compõe a parada, é diferente. Mas se for pra escolher uma, seria a faixa título.

Pelo que percebi a parceria com a Mutilation Records foi mantida. Mas dessa vez há outras parcerias. Como foi esse processo? Estão satisfeitos?

War Pherys: Este é o terceiro lançamento com o apoio da Mutilation. Para nós é muito satisfatório, pois se trata de um grande selo. A estratégia de envolver outros selos na parceria, é distribuir o álbum com força máxima em todas as regiões do país.

War Pherys. Foto por divulgação.

Foram 7 anos de silêncio entre o CD “Hell War” e o “ Cause The War..”. Qual o motivo para a bandeira branca ter sido hasteada nesse longo período?

War Pherys: Foi um período que os integrantes dessa época estavam dando prioridade para outros projetos. Então, resolvi dar um tempo e quando decidi voltar com as atividades da banda, procurei outros músicos, as vezes mudanças são necessárias.

No grupo da redação, houve uma dedução para a origem do nome JUSTABELI. Tire-nos essa dúvida e esclareça para nós.

War Pherys: JUSTABELI em latim, significa “A favor da guerra”. A favor, no sentido de se lutar em defesa da própria nação.

Ammonoch, War Pherys e Morbus. Foto por: Leandro Cherutti

Já são 18 anos no front de batalha. Durante esse tempo, a banda conseguiu seu destaque no cenário nacional. Muitos começaram a citar que a banda fazia um War Metal devido a temática lírica e a arte visual nos trabalhos e com isso veio também a polêmica que a banda era vinculada ao nazismo. O que realmente aconteceu e o que realmente é verdadeiro e falso?

War Pherys: A banda nunca teve agenda política, falamos de história e coisas que acreditamos, espiritualmente falando. Calúnias e fofocas sempre vão existir, assim como covardes, sorrateiros, nunca mostram a cara, se manifestando através de fake’s na internet. O problema é que pessoas se deixam levar por essas mentiras e não vão atrás dos verdadeiros fatos.

Mas qual é a posição da banda sobre esse tema? Já que esse assunto se tornou um divisor de águas no cenário extremo mundial!

War Pherys: Não somos nazistas e não descriminamos a ninguém. Satã é liberdade.

Morbus e War Pherys. Foto por: Leandro Cherutti

Voltando a falar no novo trabalho. Já tem previsão de fazer uma turnê a nível nacional ou até fora do país? E lançamento por algum selo de fora, já existem negociações?

War Pherys: Já existem muitas datas marcadas para este ano em todo o Brasil, mas como algumas ainda não foram confirmadas, não divulgamos. Uma tour sulamericana também está quase certo para o final do ano. Já existiram oportunidades de ir pra Europa, porém, nada que fosse interessante pra banda. Não vejo vantagem em fazer uma tour pra tocar em buteco com meia dúzia de pessoas como a maioria das bandas fazem. É um investimento caro de mais pra fazer sem nenhum  retorno, apenas por turismo, este não é nosso objetivo. Sobre lançamento lá fora, estamos a procura.

Ainda falando na trajetória da banda, qual foi a principal batalha vencida, que ficou marcada na história da banda?

War Pherys: Ao longo de todos esses anos, foram muitas as batalhas e muitas histórias pra contar. Mas a luta pela causa não tem fim, Metal tá na veia né cara, vendo dessa forma qualquer sacrifício e dificuldade se torna insignificante. Calúnias, acusações, sempre que tentaram nos derrubar, voltamos mais fortes e não vamos parar! “War is my home”. Se não há mais batalhas a serem travadas, é melhor que o guerreiro esteja morto.

War Pherys. Foto por divulgação.

Como numa guerra, além das vitórias, algumas derrotas são inevitáveis. Qual o pior momento passado por vocês?

War Pherys: Foi quando tivemos que cancelar shows por problemas pessoais e de saúde.

Qual seria sua trilha sonora para uma terceira guerra Mundial?

War Pherys: The Worst of Fire Storms! (EP 2017 “ Blast The Detector” via Misanthropic Luciferian Onslaught)

Briga de trânsito, porte de arma, tentativa de homicídio, legítima defesa, brigar em bar, facadas. Essas são algumas palavras que envolveram seu nome e consequentemente do JUSTABELI há tempos atrás. E com isso, mais uma vez, muitos vincularam novamente aos  boato de envolvimento com nazismo e afins. Você pode dá sua explicação para esses acontecimentos? Foram fatos pessoais ou realmente algo envolvido com esse assunto?

War Pherys: Primeiramente quero deixar registrado aqui, que esses acontecimentos, em nada tiveram a ver com brigas políticas ou ideológicas. Sim, foram problemas pessoais e em hipótese alguma tem a ver com o JUSTABELI. Há três anos atrás, estava eu voltando pra casa de carro, quando me envolvi em uma briga de trânsito, três indivíduos partiram pra cima de mim, depois de algumas porradas tentei sair com o carro, mas um deles queria pegar a chave do contato, ouve um disparo, eu precisava me defender, sai do local, mas fui parado pela polícia e conduzido à delegacia, onde passei a noite e tive a liberdade no outro dia, ninguém morreu. O outro acontecimento, foi em um bar podre da Augusta, uma rua aqui em São Paulo, houve uma discussão com um punk, que resultou em briga corporal, eu estava dando um devido e merecido prejuízo no cara, quando seu amiguinho “Punk Panqueca” tentou me esfaquear pelas costas, depois de algumas porradas e cadeiradas, a briga foi apartada e os dois ratos saíram, foi quando percebi que estava sangrando muito, desmaiei e acordei no hospital todo costurado, fui atingido com quatro facadas, por Satã, não pegou nenhum órgão vital e depois de um mês estava zerado! E foi só isso, problemas esses, que poderia acontecer com qualquer um, e é só.

Obs: Não tenho nada contra punk’s, pelo contrário, tenho amigos que são punk’s de verdade.

Foto por: Leandro Cherutti

Deixe suas considerações finais.

War Pherys: Muito obrigado Giovan e Lucifer Rising pela oportunidade. honestidade e profissionalismo, vocês estão de parabéns! Aos fãs e aliados, estamos juntos no front para travar boas e sangrentas batalhas… Muito obrigado a todos que nos apoiam! A vitória é de Satã, mas a batalha é nossa! Ave!

 

 

Mostrar mais

Giovan Dias

Editor do The Glory Of Pagan Fire Zine, trabalho iniciado ainda na década de 90, voltado ao Black, Death, Doom Metal.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar