CoberturasStormy News

KRYPTS, DEMONICAL, BURIAL TEMPLE, NAUSEOUS SURGERY, NERVOCHAOS e DARKRAZOR

O death metal devasta a Capital Federal...

Burial Temple – Foto por Fábio Brayner

Algum tempo atrás foi noticiado que os finlandeses do KRYPTS e os suecos do DEMONICAL iriam tocam no Brasil em uma tour conjunta e passando por algumas cidades brasileiras, incluindo Brasília/DF. Quem acompanha a cena death metal atual sabe que essas duas bandas são nomes recorrentes dentro dos festivais europeus e o Krypts, em especial, é uma das bandas da nova geração que construiu uma reputação poderosa devido à sua música que une de forma incrível peso e um clima totalmente carregado.

No dia 07 de Dezembro (ontem) finalmente o grande dia chegou e um público relativamente bom compareceu ao Círculo Operário do Cruzeiro (um tradicional ponto de eventos undergrounds da capital federal) para prestigiar as bandas principais e as bandas de abertura. Com um atraso de mais ou menos 1 hora (causado pelo atraso do avião que traria as bandas principais) o evento tem início com os brasilienses do BURIAL TEMPLE e justiça seja feita, esses caras simplesmente DESTRUIRAM tudo em cima daquele palco. Muita gente tem problemas em elogiar bandas nacionais, eu não. O BURIAL TEMPLE mandou um setlist visceral, executando um death metal da velha escola com fedor de enxofre e influências do death metal finlandês e sueco, assim como influências mais punk aqui e ali. Nível de composição gringo, músicas poderosas e uma equalização muito boa do som fez desse um dos melhores shows da noite.

Nauseous Surgery – Foto por Fábio Brayner

Na sequência vieram os veteranos do NAUSEOUS SURGERY, que mais uma vez executaram o seu nightmare death metal pesado e primitivo. A banda tem um grande respeito por parte do público e fizeram um excelente show, tendo o seu icônico vocalista Blackwinds à frente desse pesadelo musicado. O show apresentou faixas de várias épocas da banda e agradou a todos os presentes.

A terceira banda da noite foi o DARKRAZOR que realmente não me agradou. É uma banda com excelentes músicos, mas que conta com músicas bem comuns e que eu tive muita dificuldade de compreender o que estava sendo executado. A regulagem da aparelhagem estava muito ruim e praticamente só se ouvir bateria durante uma parte significativa do show.  Ainda não foi dessa vez que foi possível conhecer a banda realmente. Desejo sorte nos próximos eventos.

Krypts – foto por Fábio Brayner

Os finlandeses do KRYPTS tomaram o palco de assalto e iniciaram um massacre do velho e bom death metal finlandês. Incrível o peso e a atmosfera criada pela música desses caras ao vivo. Uma experiência hipnotizante e obscura. Faixas como “The Reek of Loss”, “Arrow of Entropy”, “Entrailed to the Breaking Wheel” (música foda demais ao vivo) e as incríveis faixas do primeiro álbum “Blessed Entwinement”, a música mais esperada por mim “Open the Crypt” (e aqui as criptas foram escancaradas realmente), que colocou todos na frente do palco para bater cabeça. Experiência transcedental.

Após esse êxtase musical um balde de água fria veio com a banda paulista NERVOCHAOS, que fez um set morno. Musicalmente a banda carece de personalidade e isso fica evidente na falta de direcionamento das composições. As músicas transitam pelo death, black, thrash, punk/hc, mas não seguem nenhum desses caminhos realmente. Uma banda competente, mas que não me agrada de forma alguma. Mas obviamente essa opinião pessoal não tira da banda os seus méritos. São batalhadores há muitos e muitos anos e merecem seu espaço conquistado.

Demonical – Foto por Fábio Brayner

Para fechar a noite o death metal sueco se apresentou e na figura do DEMONICAL resgatou o alto nível da noite. A distorção característica do estilo e uma pegada que une perfeitamente o peso, a velocidade e uma forte dose de melodia criam um show à parte. Mais uma vez o som estava muito bom, apesar da falta de brilho nos vocais (que rolou em todas as bandas), que soaram muito secos por falta de um melhor delay. Mas isso não tirou a pancadaria desse show. Foram dez músicas executadas e faixas como “Towards Greater Gods”, “The Order”, “Return in Flesh”, Välkommen Undergäng” e “Unfold Thy Darkness” mostraram o poder de fogo do death metal escandinavo. Com altos (realmente altos) e alguns poucos baixos, a primeira edição do SOUND FROM THE GRAVE foi realmente uma noite memorável. Death metal maníacos de vários estados estavam presentes. Quem venham as próximas edições com o mesmo nível dessa.

Mostrar mais

Fabio Brayner

Editor do The Old Coffin Spirit zine e um completo metal maniac desde 1985. Ex-membro de bandas como Sanctifier e As the Shadows Fall.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar