Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

LOITS – Ei kahetse midagi (LP)

Nuclear War Now! Productions (Importado)

Resultado de imagem para Ei kahetse midagi LPLançado independente em 2001, o primeiro álbum do LOITS foi revitalizado, como a banda merece, em LP pelo selo Nuclear War Now! Productions, e eu nem preciso dizer o quanto amo o LOITS e sua história. Hoje posso conversar com Lembetu (voz)e chamá-lo de amigo e é uma das coisas no underground que não tem preço. E poder acompanhar a evolução do LOITS e ouvir esta evolução em seus álbuns é uma experiência incrível.

Vindos da minúscula nação da Estônia, no nordeste da Europa, Loits se inspira na história de seu povo orgulhoso em busca de inspiração, particularmente no movimento de resistência da guerrilha subterrânea da Estônia – frequentemente chamado de “Irmãos da Floresta” – Wood Brothers – que lutou contra a ocupação soviética durante e após a Segunda Guerra Mundial.

Com sua estreia em 2001, Ei kahetse midagi, a banda criou um nicho distinto e idiossincrático. https://redirect.haulix.com//258063/PromoAccessory_669597.jpegEmbora tenha sido originalmente lançado como uma fita cassete, o Ei kahetse midagi ganhou mais atenção ao longo dos anos, à medida que a estatura da banda aumentou, resultando em mais de 10 reedições adicionais em vários formatos. E por um bom motivo: desde a primeira faixa, este álbum é cativante, rico em textura e atmosfera, e opera com profundidade intelectual e valência emocional muito além do que cada indivíduo da banda pode imprimir. Loits é uma entidade viva. As oito faixas deste álbum são composicionalmente dinâmicas e de alcance épico. Os arranjos demonstram uma propensão a mudanças ininterruptas de humor – riffs furiosos e impetuosos, impregnados de melodias impetuosamente unidas a passagens folclóricas e cenas atmosféricas.

Neste álbum de estreia, Loits recebe influência de pioneiros noruegueses como Satyricon, Ulver e In The Woods, mas acrescenta a essa mistura elementos excêntricos de Masters Hammer e Ved Buens End. Mas o som de Loits não pode ser capturado ou descrito simplesmente por comparação com outras bandas; há algo muito singular em Loits, algo desviante e peculiarmente estoniano em seu som.

KarjeComplementando a complexidade musical de Ei kahetse midagi, estão as letras, carregadas de expressões poéticas do orgulho e tristeza da vida e da guerra. A banda caracterizou a intenção conceitual do álbum como “revivendo os laços entre a coragem do homem moderno e os eventos antigos que definiram a identidade da Estônia como um ethnos”. De fato, embora tenham sido entregues no idioma estoniano nativo da banda, as traduções em inglês fornecidas no as anotações principais demonstram uma abordagem notavelmente instruída e evocativa do conteúdo lírico que adiciona mais profundidade ao emocionante impacto deste álbum.

Tulisilma sünd”  semore será uma das faixas favoritas pra mim. Mas não posso deixar de enfatizar “Sinimäed 1944” e “Tõelised kuningad” que gritam “LOITS”, muito da genial personalidade da banda está nessas faixas, bem como eu acredito que o peso, o “Flak n’ Roll” criado e batizado pelo Loits é perfeitamente audível em “Valge nägu” e “Hauast aupaistesse“. São hinos.

Mas a artilharia também tem seus momentos de recarga após os disparos, efeito causado magicamente pela lindíssima Karje nos teclados, quanta harmonia e profundidade é colocada ao embalar a arte da guerra como em ” Kolmjalg” que além disso traça uma linha vocal diferente do que vemos no Loits. Monotonia você não vai achar aqui.

Veri” traz o melhor, a cara do que o Loits faz, é muito peso e guitarras furiosas. Chegamos ao final em “Sinu mees, sinu vend, sinu poeg” e que álbum, você nunca ouviu um debut como esse e ter essa preciosidade em LP é um imperativo!

Vida longa ao Loits!

Nota: 10/10

 

Maiores Informações
www.nwnprod.com
www.facebook.com/pages/Nuclear-War-Now-Productions/114864651994141

 

Mostrar mais

Ricky Lunardello

Historiador e Sociólogo, Pagão de alma Viking, apaixonado pelo Metal Extremo e pela cultura underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar