Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

MEUCHELMORD – Mordmelodien

Purity Through Fire (Importado)

Aqui novamente o fanático por one-man band projects! Isso mesmo, esses projetos me fascinam, mas tem um que já fiz a review anteriormente e que foi um dos melhores álbuns de 2019! Estamos falando desta review: MEUCHELMORD – Waffenträger

E eis que 2021 comelou e a Purity Through fire me envia com um mês de antecedência o novo álbum do MEUCHELMORD! A minha dúvida é o que Cernunnos poderia oferecer de novo que já não tivesse apresentado? E tenho que dizer: QUE ÁLBUM FODA!!!

Diferentemente do anterior, aqui temos mais melodia,rurarismo aristocrático com  agressividade e melodia. Vamos te dar um panorama aqui:

Por uma década, MEUCHELMORD tem mantido bem alto a bandeira do tradicional black metal alemão. O único trabalho de um Cernunnos também conhecido como Kriegstreiber, a banda silenciosamente construiu um corpo de trabalho que é profundamente reverente aos métodos antigos do black metal, mas de forma alguma está totalmente preso ao passado. Na verdade, pode-se encontrar um refrescante senso de modernidade nas criações de MEUCHELMORD, que por sua vez torna sua expressão atemporal – e aterrorizante.

Logo após o Schwarzmetall aus Niedersachsen do ano passado (uma regravação do Niedersachsen Schwarzmetall de 2018) vem, sem dúvida, a joia mais pungente do MEUCHELMORD, Mordmelodien. Traduzido para o inglês como “Melodies of Murder“, na verdade Mordmelodien é uma obra melódica – que é sombria e mortal, e orgulhosamente ainda defende essa bandeira mencionada…ou seja mantém-se fiel ao BLACK METAL alemão.

Foi o novo Waffenträger de 2018 que destilou todo aquele poder aterrorizante a um grau ferozmente focado, mas enquanto aquele álbum se concentrava tematicamente na Segunda Guerra Mundial – como mencionei na review que o link está no início do artigo – , Mordmelodien lança seu olhar de volta aos tempos muito mais antigos e medievais, e apropriadamente faz o álbum musicalmente evocar um headspace alternadamente aristocrático / rural.

A marcha é igualmente orgulhosa, mas também mais melancólica, a violência cruelmente explosiva do passado retrocedeu em favor de um melodismo muitas vezes hipnotizante e sempre deslumbrante que não sacrifica nem um grama do poder inerente de MEUCHELMORD. Da mesma forma, a produção é clara e cortante, e enquanto isso significaria “vender” (ou pelo menos neutralizar) nas mãos de outras bandas, nas de Kriegstreiber isso simplesmente destaca o aspecto cada vez mais marcial da banda. O que é tudo para não falar da faixa “Alter Geist”, que traz vocais convidados do ex-frontman do Endstille Iblis, tornando Mordmelodien uma grande declaração do black metal teutônico.

Enquanto a Peste Negra moderna ameaça arrastar a civilização de volta aos tempos sombrios da Idade Média, MEUCHELMORD avança com uma trilha sonora adequada: Mordmelodien!

Obra incrível que canaliza bem toda histeria e preocupações modernas em um sentido ancestral, primitivo e que nos remonta ao que o mundo é: caos. Cada faiza é entalhada com muito cuidado, muitos detalhes que as tornam únicas! MEUCHELMORD é hoje a minha banda favorita da Alemanha e eu sou bombardeado por informações sensoriais sempre que o ouço atentamente.

As faixas “ Schwarzes Ehrenfeld ” e “Dem Ross zur Wehr ” são minhas favoritas, seja pela melodia, mas acredito que pelo conjunto melódico associado também às guitarras primais dignas do Black Metal dos anos 90. É um álbum para ser ouvido de novo, de novo e de novo…

NOTA: 10/10

Mostrar mais

Ricky Lunardello

Historiador e Sociólogo, Pagão de alma Viking, apaixonado pelo Metal Extremo e pela cultura underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar