Entrevistas

BELLICUS DAEMONIACUS – …Nada de exposição massiva ou modismos. Apenas o mais obscuro e violento metal negro conforme a tradição!…

Sinistras Manifestações é um trabalho mais maduro e melhor estruturado

BELLICUS DAEMONIACUS, eis que os proclamadores do reinado de Satã vociferam sua praga na terra. Conversei com o “Lunático 666”, um amigo de longas datas, um real guerreiro do black metal, que nos relata suas quase 2 décadas de total reverencia ao Black Metal e também sobre o primeiro full CD da horda.

Confiram as Sinistras Manifestações.

BELLICUS DAEMONIACUS já pugna no underground há quase 2 décadas. A formação vem sofrendo alterações ao longo do tempo, porém, você, Lunático 666 (guitarra e vocais) é o idealizador da mesma. Aproveitando o ensejo, gostaria de pedir que fizessem um breve relato acerca da nomenclatura da banda e o estilo escolhido por vocês para criar a horda.

Lunatico666, Foto por Divulgação.

Lunático 666 – Neste ano completamos 18 anos de atividades e persistência no underground. Sofremos, inevitavelmente, algumas mudanças na formação, por vários motivos, mas sempre conseguimos restabelecê-la, mantendo intacto o núcleo criativo.

A expressão Bellicus Daemoniacus vem do latim, e faz clara referência à oposição ao cristianismo e a toda forma de religião! Somos avessos a qualquer sistema de crenças que vise à escravidão da vontade individual! Encaramos a vida como uma incessante luta, onde religiões, dogmas e sistemas políticos são entraves para a evolução pessoal. “Cada igreja erguida é um túmulo que impede a ascensão do homem deus”!

Nossas atividades se iniciaram em 2001, e o estilo escolhido, naturalmente foi o Black Metal. É a vertente do metal preferida, além de termos grande afinidade com o underground. Começamos influenciados por Sarcófago, Sepultura (old), Venom, Sodom, Celtic Frost, Mayhem, Darkthrone, Maniac Butcher entre outras. Entretanto, desde o início, buscamos trilhar nosso próprio caminho, criando sempre a partir das nossas inspirações, vivendo a nossa realidade. Prezamos pela originalidade. Não saímos por aí copiando as bandas que ouvimos e apreciamos.

“Rehearsal 2002” é o primeiro registro da horda, mas, “Proclamadores do Reinado de Satã (2003)” foi a que obteve mais repercussão na mídia underground. Os 4 sons são verdadeiros açoites na face do nazareno. O material mais recente é “Sinistras Manifestações” (2019).  Como você avaliaria estas quase 2 décadas de existência musical da horda?

Lunático 666 – Foram vários lançamentos ao longo de quase 20 anos de atividades. Este ensaio de 2002 foi um registro despretensioso que fizemos e percebemos que ficou com uma gravação aceitável. Então passamos pouquíssimas cópias para algumas pessoas mais próximas da banda na época. Não é considerado um lançamento. A demo Proclamadores do Reinado de Satã é o nosso primeiro registro oficial por assim dizer, e obtivemos um resultado surpreendente através de seu lançamento. Esse trabalho foi apreciado por vários hellbangers do território brasileiro, e também por maníacos de várias partes da América do Sul e Europa. Considero Proclamadores… um trabalho muito importante, por representar o começo; a nossa vontade e persistência diante das dificuldades da época em que iniciamos. Mas para mim, todos os lançamentos são especiais e tem sua importância, pois representam a Bellicus em vários momentos ao longo dos anos. Inclusive, para o ano que vem, está previsto o lançamento de uma compilação de todos os materiais lançados ao longo de nossa trajetória, e incluiremos pelo menos 2 sons desta demo neste material que conterá composições de todos os lançamentos, além de 4, ou 5 faixas inéditas. Será um trabalho de comemoração dos 20 anos de existência da horda.

Sinistras Manifestações é um trabalho mais maduro e melhor estruturado. Tem mais qualidade nas composições, mas principalmente na gravação. Este trabalho é composto por uma breve introdução, seguida de 8 sons, sendo um deles, uma nova versão de “O grande anjo rebelde” que ficou realmente matadora, e em sua versão definitiva. O disco foi lançado em CD, até o momento, e vem acompanhado de uma excelente arte gráfica, com encarte todo em couchê, com letras, fotos e todas as informações. Em breve estará disponível uma versão limitada em tape para os apreciadores do formato.

“O Grande Anjo Rebelde” (2006) nos presenteou com uma cover do Nargaroth, a fuderosa “Possessed by Black Fucking Metal”. A roupagem que colocaram neste som o tornou mais fuderoso. Esta tape foi lançada via “Morbid Reasons 666 Productions”, e há uma versão em CD demo também. Os materiais da horda sempre tiveram apoio de selos undergrounds?

Lunático 666 – O grande anjo Rebelde é o nosso segundo lançamento, e obtivemos uma grande resposta do público. Trata-se de uma demo composta de 4 sons próprios, e no final gravamos uma versão para “Possessed by black fucking metal”. Sempre tocávamos covers de bandas como Sarcófago, Mayhem, Enthroned, Nargaroth entre outras nos ensaios, e, este som acabou sendo incluído na demo de forma muito espontânea. Procuramos fazer a versão mais extrema possível, e o resultado ficou muito bom. Esse trabalho foi limitado à 500 cópias em tape, e saíram cerca de 300 cópias em CD. Contamos com o apoio da Morbid Reasons (MS) na ocasião, e através desta parceria lançamos um trabalho com uma bela arte gráfica com encarte profissional, marcando de forma positiva a divulgação e distribuição deste lançamento.

Folheando alguns zines, me recordei que você editou o “Império Satânico Black Metal Zine”, você ainda edita este zine?

Lunático 666 – O Império Satânico foi uma experiência muito válida que tive por alguns anos ao lado de Noctífero M. Incubus (Aeternus Odium, Goatlust etc). Chegou a sua 3° edição se não me engano, e fizemos entrevistas muito interessantes com bandas como Archgoat (FIN), Mausoleum, Lament, Vulturine, entre outras. Entretanto, não foi possível dar continuidade. Essa foi a única experiência que tive com zines e foi muito marcante. Mas ficou no passado.

Como sabemos, “Sinistras Manifestações” é o título do novo full oficial da horda. O que poderias relatar sobre este lançamento. A formação atual… apresente.

2019 – Sinistras Manifestações “CD”

Lunático 666 – Sim. O disco está pronto e acabamos de começar a divulgação do mesmo.

Sem dúvidas trata-se de um grande trabalho, especial para nós. Levamos cerca de 3 anos para prepará-lo. O disco foi muito bem composto e mantêm as principais características da Bellicus: peso, velocidade, obscuridade e melodia. Possui boa qualidade de gravação sem perder as características do estilo. Trabalhamos com esmero nas composições, nos arranjos, conceito lírico e gráfico para que resultasse em algo satisfatório. Então estamos de fato realizados com este lançamento. As pessoas que puderam conhecer o trabalho têm nos dado um excelente retorno, o que nos deixa muito orgulhosos e honrados.

A formação atual conta com Lex Malevolence na bateria e Maha Khali no baixo. O batera já havia gravado comigo em 2016 a demo Arte Oculta Furiosa. Ele é muito bom baterista, muito técnico, além de ser criativo e espontâneo na hora de dar a sua contribuição nos sons. Somos amigos e irmãos no metal de longa data. Nossa baixista faz parte de um projeto chamado Übermensch, e, já havia tocado conosco antes de ser convidada para ser membro da banda, numa ocasião em que fomos à Salvador para uma apresentação em 2014. Uma pessoa muito compromissada com o que se empenha a fazer, além de talentosa e perfeccionista. São pessoas de minha confiança e compromissadas com o que fazem. A prova disso está expressa no novo petardo. Só ouvindo para entender o que digo.

Este opus foi lançado via selos undergrounds ou será independente?

Lunático 666 –O disco foi lançado em parceria com 4 selos do underground brasileiro. São eles: Without God Distro (PE), Sanguis Et Sêmen Distro (MS), Wolfwar Recs (PA) e Culto Tirânico Recs (SP).

“A Guerra Underground”, sexta música do CD, é uma real facada no ego dos incautos. “Na guerra underground nós somos a oposição!” Esse é o legado da horda? E, em se falando em cena underground, como tem sido as apresentações da banda? Há uma tour, ou algo agendado para divulgar o CD?

Lex Malevolence, Foto por Divulgação.

Lunático 666 – A guerra underground trata-se de uma profunda crítica aos defensores da verdade absoluta. Os dogmáticos. O metal, desde o seu início, é um movimento de oposição ao dogma e ao caráter religioso. Pois trata da liberdade, e amplia os limites da experiência humana. Em minha opinião não deve haver espaço para ideias engessadas, e conservadorismos infundados. Esse é o modo de pensar e agir dos nossos inimigos! Os fanáticos religiosos! O rebanho! Tradição é uma coisa importante no metal; dogmatismo é dispensável. Penso que cada um carrega a sua verdade dentro de si, mas não temos o direito de impor nossas ideias aos outros goela abaixo. No fundo tudo não passa de uma questão de afinidade.

Nós temos um posicionamento muito claro em relação ao que combatemos, mas preferimos que as alianças sejam feitas através de um processo de assimilação, não por uma imposição.

Gostamos de nos apresentar ao vivo, pois o contato com as pessoas que apoiam nosso trabalho é fundamental, mas, honestamente, estamos mais seletivos em relação aos eventos. Aqui no Brasil há ainda muito descaso e amadorismo por parte dos produtores, e, muitas vezes, as bandas acabam se submetendo à condições humilhantes para se apresentarem. Ter que pagar as próprias passagens, estadia, além de tocar com equipamentos precários, em locais totalmente inadequados, não está em nossos planos. Estamos acertando algumas datas para apresentar o novo disco, e estamos dispostos a tocar em qualquer parte do país, com muito prazer e comprometimento, desde que se respeitem as mínimas condições para que seja possível. Respeitamos o nosso público e, acima de tudo, temos respeito por nós mesmos!

No Black Metal atual, o que a horda tem ouvido de bandas e que poderia indicar a que conhecêssemos?

Lunático 666 – Tenho ouvido bastante Black Metal nacional. Bandas como Hécate, Aurora Ígnea, Arkanus ad Noctum, Devil, Miasthenia, Lalssu, Brutal Morticínio, Desgraça Eterna, Denied Redemption, Ad Baculum, Castifas, Mausoleum, entre outras. Fora do eixo brasileiro, tenho escutado e recomendo bandas como Urfaust (NL), Asagraum (NL), Aegrus (FIN), Leviathan (US) Unaussprechlichen kulten (CHI)…

Em se falando de “black metal e satanismo”, o assunto hoje em dia se tornou bem acessível e até cotidiano, ou seja, não tem mais o impacto de antes. Falo sobre o som ter sido considerado algo marginal, e, hoje em dia é algo normal; aceito. Qual o ponto de vista da horda a respeito?

Maha Kali, Foto por Divulgação.

Lunático 666 – A famosa globalização trouxe uma série de mudanças e consequências na virada do século. Umas das principais mudanças foi uma intensa revolução no que conhecemos como tecnologias da informação, onde a internet, principalmente, evoluiu de uma forma absurda e desordenada. Este é o ponto central da questão; com a expansão da internet e dos meios de comunicação numa escala global assustadora, a velocidade de informação e a facilidade de acesso se tornaram incontroláveis. Como consequência, a exposição excessiva de qualquer conhecimento, (inclusive os conhecimentos mais restritos), acabou com qualquer possibilidade de manter a atmosfera de mistério na qual se sustentavam tradicionalmente o black metal e o satanismo. Depois da expansão da internet nada mais é tão misterioso ou secreto. Mas acredito que Metal Negro e seu arcabouço sombrio sobreviverão. O Black Metal será sempre maldito apesar de tudo.

Hoje em dia as bandas tem exposto seus sons nessas plataformas virtuais pagas, …, é certo que para divulgar fora do Brasil é bem amplo, mas, confesso que não me agrada, mas respeito quem o faça. A horda ou os selos que lançaram o CD, tem planos para divulgar os sons no formato digital?

Lunático 666 – Não. A ideia é dar continuidade ao nosso trabalho conforme o fazemos desde o início. Lançando sempre em formato físico, divulgando e distribuindo para aqueles que estão em sintonia com a nossa proposta. Nada de exposição massiva ou modismos. Apenas o mais obscuro e violento metal negro conforme a tradição!

Muito obrigado pelo tempo cedido e, creio ser tudo por esta meu nobre amigo de longas datas. Deixo-te a vontade para relatar/expressar algo mais que tenhas interesse.

Lunático 666 – Eu que agradeço pelo interesse e espaço cedido. Convido a todos os demônios e bruxas do extremo underground para conhecer o nosso novo disco. O material pode ser adquirido comigo, ou através dos selos citados na entrevista.

Mantenham a chama acesa! Hail Satan!

Contato:

E-mail: divanosilva@yahoo.com.br

Face: Divano Rosário

Mostrar mais

Hioderman ZArtan

Editou os zines "Anaites" e o "Guerreiros Zineiros". Designer gráfico Underground e mentor do Anaites Records.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar