Entrevistas

OSCULUM OBSCENUM – Atitudes e Músicas Perturbadoras que deixam os Blackmetallers Puritamos Nervosos!

"Usar uma camisa de pentagrama com bode (LaVey inventou este símbolo, ok?) que já virou satanista (hehehe) hilário."

Esta é uma banda infame que representa fielmente o necrounderground brasileiro, uma banda misteriosa que muito se comenta por aí e pouco se sabe sobre a mesma. Tivemos a honra de poder conversar com os seus mentores, o baterista Adamantos Flagellum Cristus e o Carnifex Flagellum Cristus, para assim conhecermos a história real por trás desta criação suja, repugnante e satânica. E trazer uma resposta para uma pergunta que é feita com frequência por aqueles que apreciam o seu odioso trabalho… …o Osculum Obscenum findou suas atividades ou continua caminhando pelas sombras??? Boa leitura!  

Adamantos Flagellum Cristus, foto por: Divulgação

Salve Adamantos Flagellum Cristus!!! O início de suas atividades se não me engano foi o com Black Christ em 1993 e o Caibalion em 1998, o OSCULUM OBSCENUM surgiu com a mudança do nome e de sua proposta ou de fato foi formado como uma nova banda? nos fale como foi o início…

Adamantos Flagellum Cristus – Beleza cara, sim foi com o Black Christ e eram três integrantes, tínhamos o som e fizemos uma demo que não sei onde foi parar, era nos moldes do estilo feito pelo Necromantia.
Éramos muito jovens mas as músicas até que eram legais, muitas das músicas dessa época quebramos e fizemos as que estão no Osculum Obscenum e nada foi completamente descartado principalmente as músicas da demo Kali Yuga do Caibalion que já tinham carga sexual na época que também estava sendo iniciado então o contato com Sucubu e assim foi a  primeira cagada que aprendemos (kkkkkk), então as músicas se tornaram com a carga mais sexual e já gostávamos deste tópico mais Sexual flertando com estilo mais extremo e difícil responder se foi uma nova banda ou continuação do Caibalion.
O Logotipo e a arte sempre foram feitos por mim e o Carnifex.

Em 2003 a banda surpreendeu o underground com a brutalidade em todos os aspectos com o lançamento “Body Hurting Art”, como foi visto pelo público e pela banda este trabalho?

Adamantos Flagellum Cristus – A banda é de 1998, sendo que o disco foi lançado em 2003. Cara, como posso te falar isso… Teve uma galera que gostou de cara, uns tiveram medo de admitir que foi foda e outros xingaram pra caralho kkkk…. Realmente machucou certos “blackmeteiros” com o sado real, com suspensões por ganchos e cortes no corpo reais. Deixou os blacks puritanos nervosos com uma música extremamente pertubadora. Teve cara que não curtiu o fato de que fomos lançados por um gravadora grinder… Coisa de cuzão. Pois temos muita influência de bandas como Terrorizer, Napalm, Sarcófago e Impaled Nazarene. Inclusive Sarcófago e Impaled Nazarene tem influências do Grind Core. Na época, países como Japão e USA pediram bastante CD. Foi bem aceito por lá.

Carnifex Flagellum Cristus, foto por: Divulgação

Ainda no início dos anos 2000 algumas temáticas como Sexo e Sadomasoquismo eram consideradas tabus, você acha que o Osculum Obscenum foi a banda que causou essa ruptura nesses tabus e trouxe à tona uma nova visão para o estilo?

Adamantos Flagellum Cristus – O Osculum Obscenum se comprometia realmente em mostrar o satanismo real extremo, adaptar isso ao estilo de música Black Metal que parecia mais um cristianismo disfarçado “(não estou falando de todas as bandas, conheci uns caras com o mesmo pensamento na época)”, quando abalamos a estrutura destes pseudos satanistas, nos ameaçaram e não podíamos pisar em alguns estados (kkkk), os caras eram cristãos mesmo, mas pelo visto hoje em dia não adiantou muito, é mais confortável para o Black Metal não flertar com a verdadeira ciência oculta ou estilo de vida livre. Usar uma camisa de pentagrama com bode (LaVey inventou este símbolo ok) que já virou satanista (hehehe) hilário.
E o sadomasoquismo com a temática satânica caiu como uma luva para tornar a coisa realmente significativa para passar a real proposta que ficou escuro, sujo e sombrio.

Como surgiu essa vontade de abordar essas temáticas?

Adamantos Flagellum Cristus – Já tínhamos flerte com isso no Caibalion, como na época estávamos eu e Carnifex iniciados, coisa suja e escura se aprende rápido (kkkkkk) e depois pra se limpar dá trabalho (kkkkk), achávamos magnífico colocar isso nas músicas aliada à criatividade, não colocar pseudônimo de demônio, saca?, colocar aquilo que equivalia a personalidade do cara, porra isso ficou na minha opinião muito legal, o clima que te levasse a fazer o que quiser com sua matéria. O bagulho ficou pesado (kkkkkk).

Da esq. para dir.: Stigmata, Adamantos Flagellum Cristus, Carnifex Flagellum Cristus, XXX, foto por: Manuella Pelegrinello

Vejo que a banda tem muitos adoradores fieis e que talvez se perguntem o que vou perguntar agora… …a banda realmente acabou ou continua caminhando pelas sombras?

Adamantos Flagellum Cristus – (Sobre a continuação da banda) Cara, não sei, pior que não sei…
Sim, cara temos um público que não troco por bilhões, prefiro neste tópico a qualidade e não quantidade.

Body Hurting Art (Full-length 2003)

Apenas tenho conhecimento do Body Hurting Art, existem mais registros que talvez não tenha chegado ao nosso conhecimento?

Adamantos Flagellum Cristus – Sim, a gente já tinha o projeto lançarmos um novo disco, só que não estávamos conseguindo conciliar os nossos horários e por causa de nossas vidas pessoais, também algumas desavenças como brigas e alguns conflitos internos, com tudo isso acabamos deixando tudo de lado.
Temos ótimas músicas que talvez ou não possam ser adaptadas, mas não é o que tenho como prioridade neste momento, o que posso te dizer que temos registros de músicas muito foda guardadas que eram para o próximo álbum que infelizmente não deu certo.

Fomos todos pegos de surpresa pelo lançamento em LP de Body Hurting Art pela grande gravadora Hammer Of Damnation, como surgiu essa parceria? vocês têm recebido muitos feedbacks referentes a este lançamento?

Carnifex Flagellum Cristus – O primeiro convite para transformar o álbum no formato LP veio da gravadora Mindscrape, de Curitiba. Mas o projeto não conseguiu ter êxito naquele momento. Como eu já conhecia o Luiz da HAMMER OF DAMNATION pessoalmente, entrei em contato com ele que se mostrou entusiasmado com a parceria. Então começamos a construir o relançamento de forma mais tranquila, para nos mantermos atentos aos detalhes e conseguir um relançamento com Resultado satisfatório pra ambos os lados. O Luiz foi sempre muito atencioso e obstinado em fazer um belo trabalho nesse relançamento, e com certeza estamos muito felizes com resultado final dele.
E por intermédio de um grande irmão nosso de Fortaleza, Pedro (vocal SADE), conseguimos o contato de Douglas Alves, o artista que restaurou a arte de Sasha Pahlke (CBT) e foi remasterizado pelo irmão Alysson Nuclear Pandemônio (Cerimônia).

Body Hurting Art (black) LP, (reissue 2021)

Gostaria de saber qual o seu ponto de vista do atual underground que o Brasil vive hoje…

Adamantos Flagellum Cristus – Cara, tenho muito contato com as bandas do nordeste e do interior de Santa Catarina e que gosto muito, essas bandas são comprometidas de verdade com o satanismo. E posso afirmar isso por causa de suas letras e principalmente por conhecer essas pessoas que não deixaram esta vertente ideológica cair por terra.
O que está rolando no Black Metal no geral é a politização que me pergunto, “o que essa porra está fazendo aqui? Como preconceitos raciais por exemplo”. Sinceramente eu não quero nem entrar em detalhes por tão decepcionado que fico.
Então resumindo, eu fico mais restrito às bandas e pessoas que se propõem a propagar a ideologia real que se baseia o estilo.
Procuro não me envolver muito para que assim não veja o declínio, continuo afirmando que existem bandas reais destas regiões que citei acima e gosto muito, vou continuar gostando e é isso o que vale.

Nobre Adamantos Flagellum Cristus, muito obrigado por ceder o seu tempo à Lucifer Rising, ficamos honrados por esta oportunidade. As considerações finais são suas e um forte abraço…

Adamantos Flagellum Cristus – Na verdade, a honra é toda minha, é gratificante conversar com pessoas como você que se importam em procurar os músicos e as bandas para trazer ao conhecimento de todos que também se importam em saber quais os conceitos, relembrar do porque foram feitas as músicas, qual era a proposta e o que querem passar com as ideologias aplicadas.
Falar com você que se preocupa com isso, posso falar que a honra é totalmente minha e tenho orgulho de ter respondido essas perguntas que tem fundamentos e relevantes sobre toda a história da banda.
Uma ideologia que já, “jaz”, não estará mais viva por muitos e que permanecerá ativa eternamente entre aqueles que se importam e que estão apoiando e comprando seus discos.
Fico lisonjeado e que Seth e Lúcifer iluminem o Black Metal!!!! Um forte abraço.

Veja abaixo algumas fotos do Osculum Obscenum escolhidas para esta entrevista (Clique para ampliar):

Assista a baixo a performance ao vivo do Osculum Obscenum:

Mostrar mais

Luis Lozano

Programador e designer gráfico para a web, com diversos trabalhos realizados com foco na informação e fortalecimento do underground.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar