EntrevistasEspeciaisStormy News

PAULA RIBEIRO – Atitude, Dedicação e Opiniões Firmes

"Hoje está tudo tão bagunçado que até mesmo alguns headbangers que estão entre nós nos reprimem como católicos."

É com muito orgulho que estamos mais uma vez mostrando que a Lucifer Rising não é apenas um veiculo que foi feito para propagar as bandas e seus trabalhos, nós estamos aqui também para trazer ao conhecimento de todos as pessoas que trabalham muito no background para que as engrenagens que fazem girar o underground não parem. E desta vez trazemos aqui uma entrevista com essa mulher muito respeitada na cena do interior paulista, essa mesma mulher que não poupa seus esforços para promover eventos e assim abrindo espaços importantíssimos para que o underground continue a propagar a sua mensagem. Apresento a todos a Paula Ribeiro.

Foto por: Acervo Pessoal

Paula, saiba que é uma honra para nós poder falar com você e assim trazer um pouco mais de conhecimento para todos que te admiram. Vamos começar falando sobre sua contribuição honrada ao underground com o festival Hell Banger Fest. Como você surgiu essa vontade de promover festivais?

Paula – Olá Luis, a honra é toda minha em estar participando desse quadro de entrevistas que você está realizando na Lucifer Rising. Fico lisonjeada.
De começo sempre foi a falta de evento em minha cidade natal, que no máximo existiam apenas três por ano. A necessidade de ter um evento onde você pode conhecer as bandas que você escuta dentro de casa é muito motivador e isso foi realizado quando me mudei para Indaiatuba no ano de 2010. A região aqui era forte com um bar que tinha todo fim de semana bandas e organizadores que pelo menos uma vez por mês realizavam eventos na região… Assim decidi me unir a eles para fortalecer e isso já se tornou um prazer, pois tive muito apoio.

De fato esse fest já figura entre os mais importantes deste país, você poderia nos falar quais os melhores momentos de sua trajetória???

Foto por: Acervo Pessoal

Paula – Nossa! Ainda é difícil digerir isso, sempre estou lidando com pessoas humildes e que só querem transmitir sua mensagem.
Sempre ressalto o início do evento onde não só eu, mas todos que acompanhavam tiveram sede de ter um novo festival na cidade. Com o tempo tudo vai ficando mais peculiar e os momentos começam se tornando únicos, a conquista de cada evento é sempre o melhor momento pra mim onde tudo acaba como deveria ser, novos amigos, bandas com apresentações excelentes, cerveja e a certeza de que haverá o próximo.

Já que falamos acima dos momentos mais importantes, agora inverto a pergunta, quais as maiores dificuldades enfrentadas por você nessa organização?

Paula – Sem dúvida a maior dificuldade em realizar tais eventos é a questão financeira, muita gente pergunta do por que eu começo a organização e divulgação meses antes e é essa a resposta: Dinheiro!
É impossível conseguir o valor de tudo por meio de ingressos então eu acabo juntando da minha própria renda para que quando chegue no dia esteja tudo em seu devido lugar. Outro desafio também é encontrar bandas competentes que não se percam no caminho até lá, fazer com que tudo tenha profissionalismo, respeito e foco no underground… a união também pode ser incluída.

Foto por: Acervo Pessoal

Como te acompanho, sei que você não apenas organiza o Hell banger fest, você agiliza vários shows durante o ano em sua região. Como você consegue conciliar a sua vida profissional, modelo fotográfica e familiar?

Paula – Essa é uma pergunta que eu tento responder todos os dias, do por que eu faço tanta coisa. Eu trabalho em um hotel de segunda a sábado no horário da tarde, aos fins de semana trabalho em uma padaria assim todo fim de semana fico compromissada com o trabalho, as fotografias eu tento intercalar entre o meu curso de inglês durante a semana na parte da manhã. Eu organizava eventos avulsos também no bar aqui de Indaiatuba que infelizmente fechou durante a pandemia. O Hell Banger Fest eu decidi realizá-lo uma vez por ano devido à complexidade. Provavelmente quando puder retornar com os shows vai ser bem provável que vou ter que incluir um dia da semana pra poder cuidar disso. enfim, é bem corrido por aqui, mas tudo tem um jeito quando você quer.

Qual impacto essa pandemia monstruosa e assassina teve em suas organizações??? Você pretende retornar com suas atividades depois que essa peste do século 21 for controlada?

Paula – Não me afetou muito, fiquei triste pelos eventos já marcados e organizadores que já estavam investindo nos seus, no meu caso o hell banger se dá início a organização no mês de fevereiro/ março, no ano de 2020 já estava começando a parar tudo por aqui então não afetou.
Eu realmente pretendo voltar com o evento, porém com mais outros projetos em mente.

Foto por: Acervo Pessoal

Falando de seu trabalho como modelo, o qual vejo que existem muitos fãs que a seguem. Como e quando começou o seu interesse por este trabalho?

Paula – A intenção real não era ser modelo que ganhasse com isso nem nada e sim fazer fotos com uma arte subversiva… as fotos de freira surgiram meses antes dos eventos, quando pensei em fazer os eventos veio a repulsa religiosa e tudo se encaixou perfeitamente. Amo fazer esse tipo de foto.

A um bom tempo atrás eu via muitas fotos onde você profanava o clero cristão com sua sensualidade nas vestes consideradas sagradas pelos adoradores do falso deus. Nos fale sobre a sua opinião ideológica sobre isso….

Paula – Nunca tive tanto nojo quanto o que eu tenho hoje, desde criança não só eu, mas acredito que a maioria das pessoas de alguma forma foram obrigadas a engolir situações e também ser repreendido pelo que realmente são, na minha família a maioria cristã/religiosa. Embora a maioria das pessoas não gostem de ouvir esse tipo de coisa crescer mulher e tentar ser livre já é uma questão de endemonização /Errado aos olhos de gente cega. Hoje está tudo tão bagunçado até mesmo alguns headbangers que estão entre nós nos reprimem como católicos. Hoje embora eu tenha contato com minha família não convivo mais com eles, porém eu sinto uma pressão no ambiente em que convivo similar ao que tinha em casa, o julgamento falho e sem caráter como os de cristãos fanáticos e hipócritas.
Tudo de podre está no cristianismo e isso reflete nos dias de hoje mais do que nunca, através dessas fotos eu me expresso como blasfêmia com o sentimento de que isso precisa apodrecer aos olhos de todos.

No decorrer dos anos percebi que cada vez mais as suas fotografias estão ficando mais profissionais. Está havendo algum incentivo e apoio por parte de profissionais da área?

Paula – Existiu alguns convites para capas de plays um tempo atrás, mas recusei. Acho que hoje eu estou muito mais madura pra fazer esse tipo de trabalho, antes não era uma boa época. uma foto minha já foi utilizada em um flyer no show do Mystifier no Rio de Janeiro… bom, eu só fiz um ensaio até hoje o restante das fotos é feito em casa mesmo. mas pretendo fazer fotos profissionais sim, estou aberta para convites. srsrs

Foto por: Acervo Pessoal

E para finalizar este assunto, tenho lido frequentes agradecimentos ao seu sucesso no site Only Fans. Nos fale qual o seu sentimento por essa notória receptividade…. descreva também o que os novos fãs vão encontrar quando assinarem para ter acesso ao seu trabalho….

Paula – Sempre quando tem uma assinatura lá na minha página do only fans eu estou agradecendo, as assinaturas me ajudam financeiramente e fazem com que eu me dedique mais nas fotos. Hoje também além do only fans estou com uma outra plataforma de conteúdo adulto chamada Privacy. Quando antes eu postava somente fotos com censura, hoje eu já adquiri o conteúdo +18 para as plataformas com vídeos e fotos. Estou aprendendo a lidar com essa forma de exibição… me acostumando ainda, mas com muitas ideias!

Foto por: Acervo Pessoal

Mudando de assunto, você é uma verdadeira headbanger, vejo que você respira o metal. Como descobriu que já estava influenciada pela música profana? Quais as bandas que você mais aprecia???

Paula – Fico grata por ler isso vindo de você.
Eu acredito que o gosto musical reflete muito no que as pessoas vivem e passam no decorrer da vida, o extremo não é pra qualquer um e somente passa por isso quem tem uma vida conturbada e tem noção da realidade bruta. Eu tive a oportunidade de um homem me apresentar bandas de black, thrash, death…etc, na adolescência e tive o sentimento do que era real ali, sem frescura sem rodeios… um soco todo dia… às vezes basta só você apresentar algo, quem já está nela vai se identificar. Nos dias de hoje, estar ajudando as bandas a espalhar o caos contra toda essa realidade bruta em que vivemos é gratificante, combatendo brutalidade com brutalidade!
Judas Priest, Kreator, Amen Corner, Mystifier, Dissection, Bathory, Comando Nuclear, Dicephalus, Umbrarigae, Regurgimentação Necrovaginal Sangrenta, Saxon, Helloween, Deicide, Exodus, Miasthenia, Justabeli, Chesed Geburah, Cemitério, Velho, aaaahhhh a maioria que tocou no meu evento srsrs..

Minha amiga Paula, muito obrigado por ceder o seu tempo para a Lucifer Rising. Agora as últimas palavras são suas…

Paula – Luis, eu não sei nem como agradecer a você não só por esse convite, mas o que você faz, você está no topo junto com pessoas que eu tenho mais consideração nesse movimento… olha eu não tenho muitas palavras pra descrever esse sentimento de carinho e gratidão, só peço que continue com o que você faz, espero te encontrar breve em outro show. A bandeira da Lucifer Rising sempre vai estar hasteada, você tem meu apoio!
Saúde e Força meu amigo!
Obrigada.

Confira abaixo alguns cartazes das edições do Hell Banger Fest:

Mostrar mais

Luis Lozano

Programador e designer gráfico para a web, com diversos trabalhos realizados com foco na informação e fortalecimento do underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar