Entrevistas

POETICUS SEVERUS – Os Bardos da Liberdade entoam o Canto Bárbaro do Novo Aeon!

Quando o Poeticus Severus surgiu lá em meados dos anos 90, eles trouxeram uma proposta muito inovadora para o cenário nacional. O lançamento da Demo-Tape ‘’Discórdia é a Lei dos Fracos…Injuries Veride’’ (1997), desencadeou uma onda de elogios no underground e conquistou uma verdadeira legião de seguidores. Uma música com alto teor poético e levada marcial, épica e profunda, classificada pela própria banda como Opereto Barbaricus Metal, somava-se aos grandes e efusivos lançamentos que despontavam naqueles anos no Brasil. Contando com membros de bandas históricas da primeira onda do Black Metal carioca, como por exemplo o Goat Emperor e o Ancient Sign Glorify, eles não eram nem um pouco amadores e sabiam que estavam criando algo muito original, único.
Nos anos posteriores a banda seguiu ativa, com aparições em importantes coletâneas, lançando materiais e tocando em eventos seletos, ao lado de grandes nomes da cena nacional. Após um certo hiato de relativo silêncio, o Poeticus Severus reaparece com o anúncio de um novo álbum, que leva o título de ‘’‘’Ser Guerreiro é a Nossa Lei! Se não for a Alegria do Mundo, a Nossa Será’’ , segundo Cesar Severus, – um verdadeiro tributo à filosofia da Corrente 93 e suas ramificações.

Cesar Severus, Foto por: Divulgação

Saudações na Ponta do Triângulo, caro Cesar Severus. É uma honra falar contigo novamente. Te entrevistei na primeira edição do Akkeldama Zine em 2011, acompanho a banda desde 1997, quando do lançamento da antológica demo-tape e fico muito feliz em saber que o Poeticus Severus está às portas do lançamento de seu tão aguardado debut álbum oficial.

Cesar Severus – Saudações Tiago! A honra é nossa!

Lá se vão mais de vinte anos da aparição do Poeticus Severus no cenário brasileiro. Na época do lançamento de ‘’Injurius Veride’’, me recordo que vossa sonoridade era uma espécie de refrigério ao que acontecia no Black Metal nacional e vocês foram saudados como uma grata e original surpresa. Mas, nos diga o porque levaram mais de duas décadas para lançar o debut album oficial:

Cesar Severus – Tivemos muitos imprevistos que forçaram este atraso, mas em compensação adquirimos amadurecimento e recurso suficiente para a conclusão do álbum da forma que queríamos. Não dependemos mais de estúdios de terceiros, nós mesmos controlamos todo o processo da gravação, mixagem, etc.

Sub Umbra, Fotos por: Divulgação

Não obstante ao enorme interstício entre os lançamentos, a banda sempre esteve presente nos eventos ao vivo em vários lugares do brasil. Nos fale um pouco sobre esses shows, a performance no palco e aqueles que mais marcaram a história da banda. Quanto ao exterior, já pintou propostas da banda tocar lá fora?

Cesar Severus – Pintaram algumas, mas estávamos focados apenas em tocar pelo Brasil, o público brasileiro sempre foi muito caloroso e participativo em nossas apresentações. Mas se recebermos novo convite, vamos analisar com carinho, és um prazer imensurável pode viajar para tocar em terras distantes, comemorar e fortalecer a preciosa arte extrema.

Toda a carreira da banda está às voltas com a disseminação e orientação das nuanças do Novo Aeon e da Lei de Thelema. O nome do novo álbum ‘’Ser Guerreiro é a Nossa Lei! Se não for a Alegria do Mundo, a Nossa Será’’ é um verdadeiro tributo à filosofia da Corrente 93 e suas ramificações. Sabemos que você é uma pessoa alinhada à essa filosofia. Nos fale sobre como o legado de Crowley e ordens como a Astrum Argentum e a Ordo Templi Orientis influencie o trabalho do Poeticus Severus. Caso não haja uma ligação direta com os tópicos citados, seja livre para comentar de onde mais vem a inspiração que norteia o novo disco da banda:

Cesar Severus – O Poeticus Severus não é uma banda religiosa, mas sim espiritualizada, cada integrante tem sua origem distinta dentro ou fora do caminho magicko, somamos nossas experiências para tornar a irmandade forte e coesa, procuramos trabalhar isso de forma espontânea, utilizamos diversas linguagens, os símbolos da corrente 93 é uma delas, possui afinidade com a nossa obra.

B. Hunter, Foto por: Divulgação

A banda soltou um belo single no site oficial ‘’Chamas do XI’’, aonde está mantida a tradição e a personalidade do Poeticus Severus, mas sob uma produção mais profunda, um som mais atmosférico e linhas de vozes incríveis , primando mais para os coros, e vocais limpos operísticos. Trace-nos uma espécie de panorama musical sobre o álbum completo:

Cesar Severus – O álbum tem 15 sons, um só conceito, termina uma faixa e já entra outra rapidamente. Mantivemos a mesma linha marcial de quando começamos, porém, com viagens mais profundas e merecedoras de uma interpretação ainda mais cuidadosa. Quem ouvir mais de uma vez vai acabar percebendo alguns detalhes que não ouviu na audição anterior, são muitos, mas… é surpresa!

Já há em vista alguma gravadora ou selos coletivos pelo qual o disco da banda será lançado? Qual a previsão desse aguardado material estar disponível no mercado?

Cesar Severus – Quem está lançando é a Mutilation Records, e a previsão para estar disponível é no final de agosto ou início de setembro.

Poeticus Severus, Foto por: Divulgação

Você no início dos anos 00 possuía um projeto excelente chamado Ordo Templi Hiereus. à quantas anda esse projeto? Há a possibilidade de relançamento do primeiro disco?

Cesar Severus – Interessante tua pergunta, pois neste mês de julho decidimos regravar os sons do demo “Aldravae Catullus” juntamente com novas composições. Está sendo muito satisfatório para nós, pois na época que gravamos ele, tudo aconteceu muito rápido, um fato interessante é que compus todo “Aldravae C.” no espaço de uma semana, ensaiamos 3 horas no sábado e no dia seguinte entramos em estúdio para gravar e mixar tudo em apenas 6 horas, não pretendíamos lançar, a ideia inicial era só pra divulgar entre amigos, mas nosso camarada Edson Teixeira, responsável pela Mountain Distro ouviu e gostou, insistindo assim para divulgar através do selo dele. Estamos de volta e em breve teremos maiores novidades.

Poeticus Severus, Fotos por: Divulgação

Há alguns anos você chegou a fazer alguns shows mais intimistas, com proposta acústica. Esses shows são voltados para composições do Poeticus Severus apenas ou há composições solo nele? Leva alguma versão cover clássica nesse show?

Cesar Severus – A ideia principal de repertório para cada evento desse (foram cinco realizados) era tocar os sons do Poeticus em versão acústica, mas aproveitei o ensejo e também toquei os sons do Hiereus, e como se não bastasse, resolvi também tocar alguns covers que gosto muito, como Empyrium “fortgang “, “The Franconian Woods In Winter’s Silence”, “Many Moons Ago”…, Bathory “Man of Iron”, The Animals “house of the rising sun” na minha versão em cima da versão The White Buffalo. (risos) E outros… Foi um grande prazer pra eu realizar tais apresentações, principalmente por ser com o instrumento que mais gosto de tocar.

Saindo o novo material qual o planejamento da banda para a divulgação? Merchandising extras, agenda de shows, etc?

2019 – Ser Guerreiro é a Nossa Lei! Se Não for a Alegria do Mundo, a Nossa Será. “Full-lenght”

Cesar Severus – Eu não penso tanto em fazer apresentação, meu foco atualmente é apenas compor e gravar, mas os outros integrantes querem apresentar ao vivo, então estou reconsiderando, os convites voltaram a chegar, estamos analisando… Quanto ao “merchandising” estaremos divulgando também em nossos endereços:
http://www.facebook.com/poeticusseverus

http://www.poeticusseverus.bandcamp.com/

http://poeticusseverus.com.br/

Cesar, foi um grande prazer falar contigo novamente. Agradeço por atender de pronto ao chamado do Akkeldama Zine e do Portal Lucifer Rising. Sinta-se livre para concluir essa entrevista da forma que melhor lhe aprouver:

Cesar Severus – Mui agradecido pelo espaço cedido ao Poeticus Severus, é um prazer falar contigo e poder elucidar tuas perguntas acerca de nossa obra. Um forte abraço pra ti! E um grande abraço para todos os amigos e apreciadores de nossa singela arte musicada. Se por vontade pura quiserem, cantem assim como nós cantamos na execução de nossos hinos, com total fulgor e exaltação ao dom primal brasileiro. Ser Guerreiro é a Nossa Lei! Se não for a alegria do Mundo, a nossa será!
Poeticus Severus: poeticusseverusoficial@gmail.com

Mostrar mais

Tiago Siqueira

Tiago Siqueira edita fanzines impressos desde 1994. É editor do Akkeldama e do Rip Ride. Trabalha com jornalismo comunitário em Planaltina-GO.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar