Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

POSSESSED – Revelations of Oblivion (ADVANCED)

Nuclear Blast Records - Importado

Sem chance alguma de imaginar que em 2019 eu estaria resenhando em primeira mão o novo álbum da banda que definiu todo um gênero musical ao lado do falecido DEATH. Mais de 30 anos depois de seu último lançamento oficial, os godfathers do POSSESSED estão de volta com um novo álbum oficial. Não há dúvida que o anúncio desse material causou apreensão por toda a cena metálica mundial. O que será que viria nesse álbum ? Será que Jeff Becerra e cia trariam novamente aquele velho POSSESSED à tona ou teríamos uma banda desfigurada ? Não seria de espantar, pois diversas bandas veteranas foram remontadas e gravaram disco ridículos. Felizmente “Revelations of Oblivion” está aqui para provar que o death metal corre nas veias desses caras e os pais do death metal estão de volta ao seu trono. Que álbum incrível. Não há outro adjetivo para descrever isso aqui. Para começo de conversa esqueça apenas um pouco “Seven Churches”, “Beyond the Gates” e “The Eyes of Horror”, mas não muito. Não temos aqui uma cópia do que o POSSESSED fez, temos aqui uma continuação clara e uma amálgama de TUDO o que foi feito pela banda em seu auge e atualizando a banda para o século XXI. Você pode reconhecer cada pegada da banda nessas 12 faixas de óbvia danação. O death metal que a banda executava era único. Apenas o POSSESSED sabia ser o POSSESSED. E isso está aqui em cada nota. O fato de guitarristas originais não fazerem parte do grupo parece não ter feito diferença alguma na construção musical desse álbum. É como se cada novo membro que entrasse na banda assinasse um pacto em sangue com a entidade maléfica POSSESSED e por ela fosse “possuído”, estando apto a partir daí a criar essas notas demoníacas. Estou sem palavras (metaforicamente falando, já que já escrevi pra caralho nessa resenha hahahaha) enquanto ouço as músicas de “Revelations of Oblivion”. O álbum abre com “Chant of Oblivion”, uma Intro que se casa perfeitamente com o ambiente criado na arte da capa, a belíssima ilustração feita por Zbigniew Bielak. “No More Room in Hell” dá início a um pesadelo death metálico que tem muito do clima do “Seven Churches”, com riffs corridos e o vocal, ah o vocal. Alguém que conheça o death metal e não reconhecer a voz de Mr. Jeff Becerra deveria entregar sua carteirinha de death metaller. A voz dele parou no tempo, não piorou, não melhorou. É POSSESSED em sua essência mais impura e negra. É perfeita ! É uma música muito pesada e que mostra que a banda não se reformou por diversão, aqui a coisa é seríssima. Os solos de guitarra estão muito fudidos e ainda que não sejam aqueles solos totalmente moldados em selvageria são incríveis dentro da estrutura desse som. A próxima música “Dominion começa com uma rifferama infernal e uma vocalização de Becerra totalmente fora do convencional. É muita esquisita, mas isso funciona totalmente dentro da ideia apresentada. E pelas partes da letra que pude compreender liricamente as portas do inferno foram abertas novamente. Aquela pegada thrash que a banda sempre teve em várias músicas principalmente nos riffs aparece de forma clara na absurda “Damned” e eleva a energia dessa música a níveis metálicos fora de qualquer compreensão. Isso aqui é FODA DEMAIS ! Esse pesadelo continua com a fudida “Demon”… ouvir o “Hailllll Deeemoonnnn” em meio ao peso absurdo que é essa música arrepia e é capaz de arrancar sua alma fora… A próxima música já havia sido divulgada pela gravadora. “Abandoned” tem aqueles típicos riffs intrincados que fizeram a música da banda ser diferenciada e ao se unir à interpretação devastadora de Jeff Becerra te carregam para outra dimensão. Brutal sem ser brutal, se é que me entendem. O POSSESSED nunca precisou de blast beats para soar brutal e pesado e essa composição tem essa característica. Metal ! Apenas metal ! Da morte, é claro, mais ainda assim metal. “Shadowcult” é outra composição com fede a POSSESSED e o trampo de guitarras aqui é fenomenal e insano… “Shaaaaadoooowww cultttt ! Deeemoonnnnssss nightsssss”. ! Eu vou querer realmente ouvir essa música ao vivo. “Omen” é até o momento a música mais diferenciada do álbum por sua batida, digamos mais “alegre”. Arrisco fazer uma comparação com o que o Darkthrone faz em termos de riffs e andamentos há um bom tempo. Obviamente que não creio que houve aí uma influência direta, mas que me lembrou isso lembrou. A próxima música “Ritual” começa com climão e dispara uma composição extremamente nervosa e agressiva, com riffs mais complexos e um andamento cadenciado onde o vocal se desenvolve. É uma das músicas que mais aproxima o POSSESSED do death metal mais obscuro e carregado que veio depois dos anos 2000. Grande música e com solos realmente fudidos. “The Word” tem uma roupagem thrash metal e mistura isso elegantemente com o death metal característico da banda. A última música do álbum é a fudida “Graven” com seus dois por um diretão e seus vocais anunciando o inferno “six, six, six….”. Riffs mais duros aqui e a voz característica de Mr. Becerra guiando as almas para o fogo do inferno. O álbum fecha com a curta outro “Temple of Samael”, fechando de forma infame o círculo que havia sido abandonado a tanto tempo. “Revelations of Oblivion” dificilmente sairá do topo dos melhores álbuns do ano do death metal por seu impacto, sua qualidade e por representar o retorno dos pais dessa porra toda…  HAIL POSSESSED ! The flames of hell salute you ! Hellcome back !

666/10 !

Possessed – Foto: divulgação

DATA DE LANÇAMENTO: 10/05/2019

Mostrar mais

Fabio Brayner

Editor do The Old Coffin Spirit zine e um completo metal maniac desde 1985. Ex-membro de bandas como Sanctifier e As the Shadows Fall.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar