Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

RAVENDARK’S MONARCHAL CANTICLE – OPUS BÉLICO – Belicosidade Cruenta e Paradoxal

Yperborea – Francanatica War Headbangers (Nacional)

E eis que após adiamentos e imprevistos  esse aguardado split com as hordas RAVENDARK’S MONARCHAL CANTICLE e OPUS BÉLICO finalmente vê a luz do dia. E esse lançamento tem um gosto especial por ser o primeiro registro oficial dos francanos do OPUS BÉLICO dezessete anos após a criação da banda em 2002. Sim, longa espera para apresentar esse artefato composto de cinco composições de grosso calibre bélico executando um War Death Metal com certos elementos que os diferenciam das demais bandas do estilo tais como passagens a meio tempo e fraseados melódicos de guitarras. O principal fator dessas diferenciações muito provavelmente seja a amalgama de influências dos diversos membros da banda e torna a música dos caras muito interessante ; Há muita variação musical entre as faixas , mas sem perder a identidade, mantendo  uma espinha dorsal fortemente calcada no Death Metal. A temática lírica exalta a ira, a fúria, a guerra e suas deidades e contém citações e passagens de obras literárias clássicas da Grécia antiga como a “Theogonia” de Hesíodo e a “História da guerra do Peloponeso” de Tucícides. As faixas presentes aqui são “Open The Gates of ARES”, com uma passagem sensacional em sua segunda metade a meio tempo em que os fraseados de guitarra de Malekiavel guiam a composição, “Nothing Will Scape of my Wrath”, “Infernal Fury”, com seu inicio destacando a sessão rítmica e os vocais guturais de B.Destroyer fazendo alguns duetos interessantes com os backing vocais mais rasgados de Avernoth, a direta “It’s In Our Blood” e o ótimo cover para “The Eternal Glory of War” do DESTROYER 666. Acredito que em pouco menos de meia hora de música o OPUS BÉLICO conseguiu mostrar muito bem sua proposta musical e só espero que a banda não demore outros dezessete anos pra soltar seu próximo lançamento, e que seja de preferência um full length completo.
Na segunda parte do split temos o RAVENDARK’S MONARCHAL CANTICLE que ao contrário do OPUS BÉLICO mantem uma rotina de grande pro atividade na cena sendo esse atual split o terceiro somente nesse ano de 2019, fora os vários outros projetos paralelos de seus membros. O que temos nesse presente lançamento são, também cinco faixas de puro War Metal diretas e certeiras como um morteiro. Tenho que destacar aqui a qualidade absurda das composições feitas por quem realmente entende que muitas vezes o “menos” pode significar “mais”… O que quero dizer é que é comum nos dias de hoje vermos bandas que acrescentam elementos sem fim em suas sessões de estúdio e que se esquecem que muitas vezes a execução ao vivo dessas criações se tornam impossíveis e forçam as bandas que optam por esse caminho a se adaptarem tornando as performances dessas composições débeis sombras de suas idéias originais. Aqui ao contrário vemos arranjos pensados para uma guitarra, com riffs “encorpados” e fortes, que tornam as apresentações ao vivo da banda mais destruidoras ainda que os álbuns (ao menos em minha opinião pessoal) a bateria cirúrgica e o vocal único aliados às letras em português acrescentam uma dose extra à individualidade explicita da banda. As faixas aqui apresentadas são “Kristallnacht”, “No Omnipresente Panteão da Continuidade”, “Ativismo Bioterrorista”, “Extremidade Biocida”, que pra mim se tornou a melhor composição da banda com seu refrão sensacional e o brilhante cover de “Mundo Em Alerta” da clássica TAURUS que parece ter sido feita pelo próprio RMC tamanha a maestria com que a adaptaram à sua própria proposta. Aliás ao ouvir essa faixa você consegue notar as influências de Heavy Metal oitentista incrustradas na música da banda que podem passar desapercebidas em uma primeira audição menos atenta.
Enfim um ótimo lançamento que une duas das melhores bandas do War Metal nacional atual. Pesquisem, ouçam, adquiram e apreciem no volume máximo sem moderação

Mostrar mais

Juliano Bonacini

Tecladista e letrista da LoneHunter (Death Metal), historiador e editor do Crypt of Eternity - fanzine da década de 90.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar