Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

RAVENDARK´S MONARCHAL CANTICLE – Sobre as cinzas do fracasso alheio

Hammer Of Damnation - Nacional

Crueza e brutalidade. Técnica e ódio. Combinação perfeita para o War Metal. Melhor ainda se temos um grupo brasileiro  que leva  as trincheiras de São Paulo para o mundo, “sustentai o fogo que a bandeira é nossa!”, é assim que os paulistas entoam o refrão da faixa “Atnirt e Siod – Lobos do Front “. Este primeiro hino introduzido por cânticos de guerra e independência é apenas o alicerce para “Execução Final” que traz toda a preparação para o campo de batalha. Cinzas e incineração generalizada. Guitarras cortantes e uma voz pesada. Batida pesada, Caio Bildner é FODA! A faixa deixa vivo em sua mente que fracasso não é a opção. As cinzas do passado nos assombram e a guerra é a única saída.

Em “Paulistarum Terra Mater ” cornetas cercadas de um tiroteio generalizado mostram o peso da batalha e em segundos os blasts pesados de bateria e as guitarras thrash metal tomam a cena. É muito peso e muita pancadaria na mesma música, essa é uma das minhas favoritas, então “marcha soldado paulista” e escreve teu nome na história.  O cavalgar do refrão desta faixa é assustador, a evocação do passado de glória e de como São Paulo carregou boa parte da nossa formação geográfica e política e foi determinante na defesa de nossos interesses junto aos países vizinhos. A herança sanguínea do rastro de glória e o amor à bandeira é tocante.

Sodomia e Luxúria (Sodom) ” não torna a guerra menos estridente. A guerra pelo Brasil e por suas terras unidas são o tema de abertura deste hino. Guitarras ensurdecedoras surgem no fronte e nossos guerreiros desaguam destruição, nada de bastidores aqui, o front diante do céu noturno e marchando sobre sangue, apenas assim a vitória é alcançada. Destaque aqui para o poder destruidor da bateria. Uma pancada que não se esquece quando se ouve.

Guitarras acústicas soam e reverberam em meio a calmaria. Estamos ouvindo “Hino à Revolução Paulista“, talvez a calmaria se deva à madrugada de 5 de julho de 1924, um dos maiores confrontos de São Paulo, ocasião em que fora bombardeada com apoio do governo federal. A música é uma aula de história, em que meio a uma São Paulo asfixiada, ainda consegue se erguer, lutar e vencer! 

Com uma base arrastada e guitarras atordoantes, os lobos nos trazem “Idealismo e Bravura“. Rápida, cruel, brutal e muito pesada. Lembra muito War Ensemble do Slayer. Cara que faixa fenomenal. A lição aqui é que nossos ideais e princípios estão acima de qualquer vaidade. Se não conhece esta faixa, esta é a hora!

Ravendark's Monarchal Canticle - Photo
RMC

Em meio aos gritos da população, o hino “Anti-Humanismo Patrio” com o intuito de vencer e construir a grandeza, salta um clarim caleidoscópico que assusta em meio aos contratempos violentos de bateria, a bandeira da morte é estendida e toda a intolerância da guerra beirando o extermínio da raça humana, mostra o quanto o efeito colateral da guerra pode ser devastador. As guitarras aqui são velozes e intensas. Não há meias palavras aqui. A consequência do (des)humano é levado ao seu ápice.

Muito do Holocausto aqui na faixa “Regimento da Morte (Holocausto)“, urros e mais urros abrem a trágica Regimento da Morte. Um Thrash/Death compassado, forte e bem intenso. Destaque aqui para as guitarras. Parece que estou ouvindo Sodom. Guitarra e bateria avassaladores. Parece que temos cinco guitarras e umas três baterias. Sabe quando você ouve MOTORHEAD? É a mesma sensação. Parece que tem dez pessoas gravando.

Anunciando o fim dos tempos e a decadência, chegamos ao final do álbum com “Destruição em Massa“. Estridente a batida e o quão técnico os caras podem ser. Carlos Pimentel é um monstro e as guitarras são assustadoras, nada a desejar para bandas gringas ou grandes nomes da cena extrema. O cara é fera e sabe do potencial, o que o torna perigoso com riffs simples e técnicos quando necessário. 

O destaque deste álbum é o Holokhaosto. a bateria do cara é devastadora e podemos ver seu trabalho em muitas outras bandas como Hammergoat, Dethroned Christ, Evil. Eu acompanho o que posso deste cara. Recomendo você fazer o mesmo!

NOTA: 10/10

Carlos Pimentel

Pedidos: www.hodrecs.com
Email: vendas.hodrecs@gmail.com
Whatsapp: 11 99463 6786

Mostrar mais

Ricky Lunardello

Historiador e Sociólogo, Pagão de alma Viking, apaixonado pelo Metal Extremo e pela cultura underground.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar