Resenhas - LPs/Cds/K7sStormy News

SEVO – Onde o Rebanho é Imolado

Independente - Nacional

Fechem as portas, janelas, tirem as crianças e inocentes do recinto. Apaguem as luzes, acendam as velas e mergulhem na semi-escuridão, pois o que esses infames do SEVO criaram não pode ser algo apreciado em um ambiente social, com luz ou com sentimentos positivos ao redor. “Onde o Rebanho é Imolado” já entra na minha lista de coisas absurdamente fudidas surgidas em solo nacional nos últimos tempos. Esse material é simplesmente incrível.  O assunto aqui é direto e direto das entranhas do inferno, um satânico death metal como poucas vezes tive a chance de ouvir nesse nosso miserável mas rico em nomes extremos de qualidade chamado Brasil. Depois de uma Intro, “Onde o Rebanho é Imolado” explode os seus tímpanos com uma produção incrivelmente pesada e clara, uma composição com uma pegada matadora. Existem momentos rápidos, mas o som da banda tendo a focar no peso, nos riffs carregados de feeling, em uma atmosfera de escuridão que é viciante. O Ceará sempre surpreendeu com bandas extremas de qualidade altíssima e mais uma vez nos pegam de surpresa com uma hecatombe underground. A próxima música é “Eu Sou Rebelião”, música trampadona e pesada que deve funcionar fudidamente ao vivo, principalmente quando dispara sua brutalidade a la Incantation sem amarras. Fudido demais isso aqui.Viciante e arrebatador são bons adjetivos para descrever essa música. Arggghhhhhhh ! Ao meu ver o que faz essa música ser tão destruidora é a maneira como ela flui, passando por momentos mais rápidos, mais pesados, mais cadenciados e totalmente old school, tudo isso regado a uma pegada e uma energia inebriantes. Após outra Intro, vem a cadenciada e infame “Chaga Calcitrada”, que soa um pouco como o Sinister. A pancadaria se liberta em meio a todo o peso e cria uma composição de grande impacto. Essa aula de metal extremo sem conexões com nenhuma família tradicional brasileira é finalizada com “No Ímpio Reino Negro” que tem uma pegada absolutamente fudida e que me lembrou o primeiro e segundos álbuns do Hypocrisy, antes da banda ser abduzida por ETs e ser devolvida ao mundo mais chata do que tudo. Hahahahahaha. Death metal brutal e calcado na impiedade dos anos 90.  Parabéns ao SEVO por fazer esse material que coloco aqui como uns dos trabalhos nacionais mais fudidos que resenhei nos últimos tempos.. Muito orgulho mesmo de dizer que isso é brasileiro e mais, do Nordeste brasileiro, sendo um perfeito cala a boca para todos esses filhos da puta que ano após ano continuam cagando pela boca e pelos dedos em relação a essa região. Quero ver fazer igual bando de merdas…  FUDIDO !

10/10 sem sombra alguma de dúvidas

Mostrar mais

Fabio Brayner

Editor do The Old Coffin Spirit zine e um completo metal maniac desde 1985. Ex-membro de bandas como Sanctifier e As the Shadows Fall.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar