Entrevistas

SOUL TORMENT – “…temos diferentes gostos, mas no quesito Thrash, todos ouvimos a safra antiga…”

A Soul Torment foi formada no ano de 2005 na cidade de Campo Bom/RS, por velhos amigos que se reuniam para fazer um som…, e que som, feeling thrash metal old school fuderoso!!
Conversamos um pouco com a banda, que, nos relata um pouco sobre a banda e os preparos para o primeiro e merecido full lenght…
Confiram.

Soul Torment - Foto por: Divulgação
Soul Torment – Foto por: Divulgação

O som da SOUL TORMENT já começa como um soco veloz na face da hipocrisia cristã, parabenizo pelo excelente vídeo “A praga do mundo”, este que tem o feeling dos ensaios antigos, simples, direto e certeiro. Como foi o processo de elaboração do mesmo e a escolha da música?

SOUL TORMENT – A história desse som é meio maluca. Tínhamos um show marcado, essa música estava ainda pouco ensaiada, a letra em inglês não estava decorada, mas o guita Rodrigo queria tocar a todo custo haha, não conseguindo tirar da cabeça dele a ideia de tocar, a vocalista sugeriu então fazer um teste, e colocar o som em português mesmo, que seria mais rápido pra decorar. Todos curtiram o resultado, e o som se manteve assim, tanto que foi escolhido posteriormente pra gravar no From Hellcords Studios, com Henrique Fioravante.
Quanto ao clipe, estávamos com esse som saindo do forno, e a escolha dos integrantes foi unanime, por ser nosso primeiro som em português, e por todos terem curtido muito o conjunto da coisa, o instrumental, a letra que deixa subentendido seu significado, e que pode ter mais de uma interpretação. Para o processo de elaboração do clipe, buscamos juntar as ideias de todos integrantes, de forma a ter componentes de cada um em sua estrutura, contamos também com ideias da Cerise Gomes e Cássio Quines que nos presentearam com o clipe. Buscamos um local que tivesse a ver com a temática do som, e nada melhor que um casarão antigo, abandonado e podre! Foi bem cansativo, mas muito proveitoso gravar, foi algo novo pra todos nós. Vamos deixar na sequência o link pra quem tiver interesse em conhecer:

A banda iniciou os ensaios em 2005, tocando alguns covers, após isso a banda começou a fazer um som com repertório próprio e a formação também mudou. Isso se concedeu por motivos da mudança na formação da banda?

SOUL TORMENT – Não. Os idealizadores da banda começaram por diversão mesmo, por isso a maior quantidade de covers no início, mas tinham sons próprios também, inclusive de antes mesmo da banda existir, e de outros projetos dos integrantes. As mudanças foram num processo natural, tanto na mudança de repertório, quanto de integrantes.

Soul Torment – Foto por: Divulgação

Na formação atual da banda, o guitarrista Rafael, também faz parte da NÉVOA, (outra excelente banda), além dele, há membros de outras bandas? Quais?

SOUL TORMENT – Sim, nosso baixista Kauê também é integrante da Névoa, o baterista Marlon toca na Ímpera, e o Rodrigo está iniciando um novo projeto Death Metal. A Deisi Wolff, vocalista, integra somente a Soul Torment.

O som da SOUL TORMENT é bem dosado com feeling de bandas como SODOM, KREATOR, e DESTRUCTION. Acho interessante quando a referência musical não é clone, e, é esse o clima que notei na banda, uma sonoridade forte e direta, sem parecer com X ou Y… O Thrash Metal atual vem passando por umas novas tendências, assim digamos, perdendo um pouco o peso da coisa, ao ver da banda, como vocês avaliam a nova safra Thrash Metal?

SOUL TORMENT – A construção da identidade da banda, dá-se pela diversificação de influências de cada integrante. Temos diferentes gostos, mas no quesito Thrash, todos ouvimos a safra antiga hehe

Como está a agenda de shows da banda? E, qual repertório da banda ao vivo? E, sendo que a banda ainda não lançou material físico, aproveitando o ensejo, vocês estão a ensaiar para gravar o primeiro full CD, comente. Algo que chama bastante atenção é a presença de palco da “Deisi Wolff” alternando os vocais.

Deisi Wolff – Foto por: Divulgação

SOUL TORMENT – No momento não estamos marcando muitos shows, pois estamos voltando mais o tempo para a criação de novos sons, e a gravação do nosso primeiro CD que foi recentemente inicializada no Estúdio Hurricane, do Sebastian Carsin. Aproveitando o espaço e credibilidade da Lucifer Rising Magazine, estamos em busca de selos, quem tiver interesse, ou alguma indicação, pode nos passar através da página da banda.
Temos ao vivo um repertório médio de 50 minutos, com 9 sons próprios e 1 cover.  E alternar os vocais é uma escolha totalmente livre da vocal, as vezes no mesmo som intercala um vocal mais grave com um mais rasgado, as vezes em sons diferentes.

Quais as dificuldades vistas por vocês para conseguir lançar esse CD? A Avalanche de selos undergrounds dá mais ânimo?

SOUL TORMENT – Acreditamos que uma das principais dificuldades, que nos fez perder bastante tempo foi muita troca de integrantes, por um bom tempo ficava sempre o trio Marlon, Rodrigo e Deisi, e o baixo e a outra guita sempre trocando. Finalmente temos uma formação bem entrosada e que está durando. Falta de grana com certeza também foi uma dificuldade, e no início por não levarmos muito a sério, galera só queria diversão, as vezes ia no ensaio só pra beber hahaha.
Quanto a questão dos selos, aqui em nosso estado nos deparamos selos e distros em dificuldade, infelizmente.

Essa parte da diversão que sempre foi o mais bacana, reunir a galera num ensaio e tomar umas, hehe. Isso é o feeling dos ensaios nas garagens, hehe.

Soul Torment – Foto Por: Divulgação

SOUL TORMENT – Certamente essa questão da diversão é uma parte bem tri, seja tomar umas, ou fazer uma carne. Mas quando a diversão é em demasia, como era antes, acaba atrapalhando um pouco, pois estaciona a banda. Antigamente tinha ensaios que chegávamos no estúdio e decidíamos só beber e nem tocar, imagina hahaha. Agora o tempo de ensaio é dedicado realmente a isso, e tomamos umas bebidinhas mas de leve.

Hoje em dia a facilidade no preço (formas de pagamento) para uma banda lançar um CD está bem mais, digamos, facilitada, creio que o mais caro seria o studio/gravação. Caso não haja apoio de selos, a banda cogita a possibilidade de lançar de forma independente?

SOUL TORMENT – Sim, hoje em dia com a possibilidade de parcelar, pagar com cartão, etc, facilita muito mesmo. Nossa prioridade é ir em busca do apoio de selos, caso não role, teremos que lançar de forma independente. Mas vamos em busca dessas parcerias, caso contrário pode levar um pouco mais de tempo para termos o material em mãos.

Agradeço imensamente o tempo cedido para responder ás minhas perguntas, algo mais que queiram relatar…

SOUL TORMENT – Nós que agradecemos a oportunidade de poder mostrar um pouco da história da banda, ficamos muito contentes e honrados com o convite! Vida longa a LRM!

Contatos:
Página da banda: https://www.facebook.com/SOULTORMENT/

Mostrar mais

Hioderman ZArtan

Editou os zines "Anaites" e o "Guerreiros Zineiros". Designer gráfico Underground e mentor do Anaites Records.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar