Resenhas - LPs/Cds/K7s

VARATHRON – Patriarchs of Evil

Covil Records / Blasphemy Productions (Nacional)

Na ativa há mais de trinta anos, a VARATHRON sempre esteve na vanguarda da elite do Metal extremo grego sem nunca perder sua essência e suas raízes no underground e diferente de muitas bandas que lançam uma avalanche de álbuns eles sempre optaram por lançamentos menos constantes, mas que mantivessem a alta qualidade nas composições. Outra coisa que chama a atenção é a banda ter mantido as características que sempre lhe deram identidade mesmo tendo apenas o vocalista Stephan de sua formação original. Dessa forma chegamos a “Patriarchs OF Evil” sexto álbum do quinteto que pode ser considerado como um dos melhores trabalhos lançados pela banda, senão o melhor. O álbum abre com a faixa “Tenebrous” que sem perder tempo já mostra aquela mistura de melodias sinistras, peculiares. próprias da banda intercaladas com blast beats ;vi muitas pessoas comentando sobre esse trabalho ser um retorno às raízes da VARATHRON porém embora a sonoridade do álbum realmente remeta àquela nostalgia do seu debut “His Majesty At The Swamp”   ainda consigo perceber elementos de seus diversos outros trabalhos posteriores e até novas idéias se somando à sua música como na faixa “Into The Absurd” que traz em seu arranjo ecos daquela complexidade apresentada no álbum “Crowsreign” de 2004 e  nas faixas “Luciferian Mystical Awakening” e ““Ouroboros Dweller (The Dweller of Barathrum)”  que mostram uma outra faceta da banda e traz um lado mais épico, remetendo a outras bandas europeias e que me trouxe à mente BATHORY, principalmente essa última música citada, que aliás fecha o álbum de forma grandiosa com seus corais.Sobre o instrumental, as linhas de teclados cirurgicamente inseridas nas músicas estão perfeitas e adicionam uma sombriedade extra na atmosfera, como bem visto em  “Remnants of the Dark Testament”  e em “Orgasmic Nightmares of the Arch Desecrator” e os fraseados e solos das guitarras soam naturais e cheios de feeling. Dificil destacar uma música em um álbum tão coeso e balanceado e tão  rico em texturas sonoras, mas minha favorita é “Hellwitch” que mostra toda a alma da banda com aquela sonoridade clássica conhecida e tem em seu meio um interlúdio com toques de música étnica que ficou fantástico acrescentando uma extrema profundidade à essa faixa.

A arte da capa à cargo de Juanjo Castellano é um show à parte e vale destacar que a parte gráfica da versão nacional lançada pela Covil Records em parceria com a Blasphemy Productions conseguiu, a meu ver superar a versão original importada,o que certamente é um fato muito raro de se acontecer e que deveria ser algo a ser imitado mais vezes por selos nacionais.

“Patriarchs Of Evil” é sem dúvidas um dos melhores álbuns lançados dentro do Black Metal grego nos últimos anos e se você ainda não ouviu corra atrás, compre e ouça no volume máximo sem exitação.

9,5/10

 

Mostrar mais

Juliano Bonacini

Tecladista e letrista da LoneHunter (Death Metal), historiador e editor do Crypt of Eternity - fanzine da década de 90.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar