Entrevistas

VENOM INC – “O Diabo está no interior de cada um…”

"O lado oculto era e ainda é fascinante e perigoso..."

Foto Divulgação

Pensa num ídolo da sua juventude…

Agora imagine você tendo contato com esse ídolo, a princípio inalcançável e descobrindo nele um cara, gente boa e humilde…  Desde que ouvi Venom pela primeira vez me viciei em toda aquela “energia Motorhead com esteroides” que os caras sempre tiveram . Ainda que eu goste de virtualmente tudo que foi lançado pela banda meus favoritos sempre foram os álbuns “Prime Evil” e o Ep “Tear your soul apart”. Blasfêmia para alguns? Talvez, mas o fato é que sempre achei que Tony “Demolition” Man conseguiu colocar uma vibração extra na música da banda com toda a sua espontaneidade.   Talvez por causa disso eu tenha adorado quando Mantas e Tony anunciaram a criação do projeto M-PIRE OF EVIL e a posterior aproximação de Abbadon e o surgimento do VENOM INC com o intuito, a princípio de tocar os clássicos do Venom . A gravação de um novo álbum com essa formação, o fantástico “Avé” foi a cereja desse bolo inesperado e as constantes turnês ao redor do mundo só atestam o sucesso dessa empreitada. Aproveitando o gancho da recente turnê Latino Americana procurei um super simpático Tony Dolan para um bate papo em que questiono o atual momento do VENOM INC, algumas reflexões pessoais  e o futuro da banda agora sem Abbadon.

Foto Maru Debiassi

Vocês tem tocado constantemente ao redor do mundo desde que se reuniram novamente em 2014 e recentemente terminaram uma turnê pela América Latina.  Qual o saldo dessa turnê?

Tony Dolan – Sim, pura verdade… Nós levamos o VENOM INC a todo o planeta, mas ainda teremos muito mais trabalho a fazer! Nós agora acabamos de completar a turnê sul-americana e só tivemos que perder a Venezuela por causa de problemas, porém conseguimos a Guatemala e EL Salvador na América Central e adicionamos o México para terminar. Foi uma turnê longa, mas incrível… Os países, as pessoas, fãs, comida etc. Definitivamente uma das experiências mais incríveis que já tivemos. Eu não esperava nada demais e apenas me deixei levar pela experiência, mas essa turnê superou qualquer coisa que veio antes.

A energia que vocês passam ao vivo é palpável e contagiante e vocês parecem se divertir muito no palco. Muitas bandas com o passar do tempo tornam essa vida em uma verdadeira profissão, cada noite se tornando apenas mais um dia no escritório. Como você encara essa vida que escolheu?

Foto Maru Debiassi

Tony Dolan – Nem uma única vez algum show se tornou apenas mais um dia no escritório pra mim. Alguns caras de bandas só querem bebidas grátis, dinheiro fácil e toda a mulherada que puderem pegar… A música em sí se torna a última das prioridades. Esse nosso retorno começou há 10 anos atrás, então eu e Mantas pudemos escrever e produzir músicas que já estavam sendo criadas dentro de nós mesmos e tentavam sair,  um tempo depois demos vida ao VENOM INC para trazer aos fãs um legado musical que eles amam e com isso poder trazer aos palcos músicas antigas e novas que eles nunca ouviram antes e grande parte dos casos que eles jamais viram sendo executadas ao vivo.. Pra nós é tudo sobre a música e os fãs que a amam. É importante que isso signifique algo para nós, assim como para eles, e é por isso que tocamos com tanta paixão e alegria as músicas que escrevemos independentemente de as compormos sozinhos ou em equipe. Cada show é como a primeira vez, assim como todo público  e nos doamos 100% a cada vez … Este não é um trabalho diário monótono, mas mais como um animal vivo que merece atenção, emoção e entrega e é isso que você recebe de um show da VENOM Inc…  É REAL!!! Nós nos divertimos porque você se diverte e juntos experimentamos algo em um outro nível. Como eu encaro essa vida? É sempre uma grande aventura e sempre me sinto honrado pelo privilégio de aproveitar os lugares incriveis e as pessoas maravilhosas que conheço. Portanto, é fantástico e não um trabalho chato ou comum.

Todos os metalheads que eu conheço que já tiveram algum contato pessoal com algum integrante do VENOM Inc são unânimes em apontar o quão carismáticos gentis e amigáveis que vocês são. Em contraste a isso vemos várias outras bandas que tratam seus próprios fãs como lixo. Em sua opinião oque leva alguém a tratar seu próprio público assim? A forma como vocês tratam as pessoas poderia explicar parte de seu sucesso atual ?

Foto Divulgação

Tony Dolan – Um ensinamento dado a mim pelo meu herói Lemmy quando pedi conselhos sobre como me conduzir foi… “Sempre seja honesto e verdadeiro, seja real e agradeça sempre a seus fãs… e isso é exatamente o que eu faço… sem politicagem, sem besteiras, sem mentiras ou propaganda, apenas a pura realidade. Tudo se resume a ser você. As pessoas gostando ou não, é importante ser você. Bandas ou artistas que são falsas, mentirosas ou tratam seus próprios fãs com desprezo, enquanto tomam seu suado dinheiro e querem  que os fãs os tratem como deuses? Eu acho notavelmente vergonhoso e patético. Respeito é obtido mostrando respeito e se o público desses artistas começasse a  dizer ‘foda-se’ e parassem de comprar suas merdas, eles logo ficariam sozinhos em casa sem nada. Aí sim talvez eles passassem a considerar seus fãs um pouco mais .. É cansativo às vezes? Sim, Suga suas energias  às vezes? Sim, mas é importante dar aos seus fãs o seu tempo e respeito? SIM!

O VENOM é reverenciado como o criador do Black Metal, mas se ouvirmos tudo o que surgiu após vocês nesse estilo percebemos que o atual Black Metal soa muito diferente; mais  extremo, mais rápido, mais controverso, mas  em alguns casos também mais “plástico” e “industrializado”, enquanto vocês com o VENOM Inc continuam a transbordar transgressão e essa energia Rock r Roll . Concorda?  Em sua opinião porque o Black Metal se distanciou tanto de suas raízes ? Qual o segredo dessa longevidade criativa que vocês carregam ?

Tony Dolan – Bem, o título que o VENOM deu a si mesmo e seu estilo e som em particular foi o Black Metal mais para se distanciar das outras bandas de Heavy Metal da época. O gênero, enquanto inspirado por VENOM, é muito diferente e SOMENTE o título permanece conectado. Creio que o BATHORY teve uma influência musical maior no estilo do gênero do que o VENOM, mas sem dúvida fomos pioneiros  sendo os primeiros a criar uma ruptura com a música extrema tão influenciada à época, mostrando que era possível ser mais pesado e mesmo assim conseguir ser exposto a um público mais amplo. O Black Metal  atual é incrível com uma fantástica variedade de artistas e talentos, mas é distintamente distante do que o som original do Venom era.  Esse distanciamento se deu pela sua própria evolução… Porque na época em que ainda se moldava o estilo  houveram as explosões do Thrash e Death Metal, então ele também tirou referências desses  sub gêneros… Enfim o estilo é seu próprio animal e evolui dentro de si mesmo.

Foto Maru Debiassi

Você toca em uma banda que fala de tópicos obscuros tais como Satan, o inferno, o oculto e coisas assim. Quais são suas visões pessoais sobre tudo isso? Você acredita em um Deus e um Diabo? Você acha que esses temas hoje em dia conseguem chocar tanto quanto há quarenta anos atrás quando o VENOM foi formado ?

Tony Dolan – Claro que tudo já foi usado em demasia… O lado oculto era e ainda é fascinante e perigoso ou assustador e pelo menos naquela época era chocante… Agora não é assim  por causa da exposição excessiva … Mas tudo bem… Fica mais difícil chocar quando vemos, ouvimos e lemos sobre nossa realidade todos os dias. Você não pode acreditar em Diabo se não acredita em Deus já que ele é uma criação de fanáticos para fazer com que você tema e acredite. Se você não fizer tal coisa, ou não acreditar em tal coisa, ou não seguir tal coisa você irá para o inferno, ou será a vontade do demônio… etc. etc. O controle é o objetivo de todo esse lixo. Domesticam as massas para que não pensem claramente e se revoltem quando perceberem que você está mentindo para eles para seu próprio ganho. Dito isto, eu acredito em positivo e negativo, luz e escuridão e há muitos níveis entre esses pólos. Todos nós temos a escuridão dentro de nós e apenas alguns têm pouca ou nenhuma luz para equilibrar isso … Esses são os verdadeiros obscuros ou malvados ou satânicos e não alguém sangrando galinhas e acendendo velas em um quarto escuro… O Diabo está no interior de cada um, só olhe os noticiários… Deus também está dentro de cada um de nós.. Generosos, altruístas, gentis e destrutivos, julgando e não julgando sempre. Simplesmente aplicamos esses traços de efervescências internas a nomes de espíritos invisíveis, pois assim eles podem assumir a responsabilidade por ações que nos recusamos a assumir e aceitar…

O single “War” lançado em 2018

Mantas comentou sobre planos de gravar um segundo álbum. Aliás, ele disse ter feito mais de vinte músicas quando se sentou para compor “Avé” e que havia muito material não utilizado. Esses planos ainda estão na agenda agora que Abbadon não está mais com vocês?

Tony Dolan – Sim, sobraram muitas partes de músicas e como agora temos mais tempo do que quando  fizemos “Avé”eu aproveitei e compus várias músicas também e tenho cerca de 5 em fase de finalização, além do que  Mantas já tem mais que um segundo álbum composto, mas como de costume vamos selecionar o que consideramos melhor e finalizá-los juntos no estúdio.  Vocês verão esse novo álbum ainda esse ano e já achamos que o que temos é melhor do que “Avé”… Com o Sr Kling assumindo a bateria agora nós podemos realmente nos forçar ainda mais e ao contrário de “Avé” ele vai aparecer nesse novo lançamento… Ele acredita na banda e está cem por cento comprometido com ela não se importa em ser um Rockstar nem em querer coisas de graça, com ele o que realmente importa é a música  e isso é muito animador.

E seus outros projetos paralelos como ficam? M-PIRE OF EVIL está morto ou apenas dormindo? E o ATOMKRAFT?

Tony Dolan – O novo álbum do M-PIRE OF EVIL nós iremos terminar e o álbum do ATOMKRAFT eu também estou tentando completar, mas o VENOM INC está se tornando um sucesso e está ficando cada vez mais difícil encontrar o tempo que precisamos para fazer tudo o que queremos , mas estamos tentando e com certeza vamos fazer tudo.

Sei que seu tempo livre deve ser bem escasso mesmo e que você deve ser apresentado a um numero absurdo de novas bandas todos os dias. O que você acha dessa grande quantidade de bandas? Nesse oceano de novos nomes  há algum que tenha chamado sua atenção e que possa nos indicar ?

Tony Dolan – Todos os dias eu recebo novas bandas, novas músicas e em turnê eu pego muito mais, nesta última turnê eu ganhei mais de vinte CDs de novas bandas. Isso é ótimo e eu adoro conhecer coisas novas… NO RAZA, EVIL FORCE, SPECTRUS, NECROPOLIS, BATTLE ROYAL e muitas outras…  Só mostra como o mundo do metal é incrível e rico e a América do Sul é a ponta de um verdadeiro iceberg feito de fantásticas bandas. SURVIVE, ALICE IN HELL, etc. do Japão, BULLET BELT e DESECRATOR da Australia. O que eu quero dizer é que não há fim para todo esse talento brilhante  e para toda essa soberba música.AVE !!

Como você entrou nesse mundo do metal? Qual foi o primeiro álbum que você ouviu ? Quais são os cinco álbuns que mais influenciaram sua vida e por quê? Qual o último que você pegou e há um pior de todos os tempos em sua opinião?

Tony Dolan – Motorhead – MOTORHEAD, Overkill – MOTORHEAD , The incredible Shrinking Dickies – THE DICKIES, Black Sabbath – BLACK SABBATH, Highway To Hell – ACDC.

Eu era um punk, então quando eu vi e ouvi MOTORHEAD pela primeira vez isso mudou minha vida. Por que esses álbuns influenciaram minha vida acima de outros? Porque todos eles “dialogavam” comigo em um nível que nenhum outro tinha feito antes. Como um punk, eu podia comprar singles de sete polegadas, mas não álbuns, a menos que eu os roubasse, porque éramos muito pobres. O single custava 25p em torno de 50 centavos então dava para eu gastar meus trocados e mais tarde meus salários neles, mas álbuns eram muito caros. Eu não tinha nenhum irmão mais velho que escutasse punk ou metal, então fui deixado à minha própria sorte. Esses álbuns ainda me afetam da mesma forma que eles o faziam no começo e eu queria criar e fazer parte de algo assim.

O último álbum que peguei foi o novo álbum do WITCHBURNER, que eu amo e eles  o autografaram para mim. O pior de todos os tempos? HAHAHAHAHAHA

Bem, eu não acho que há um pior para mim.  O trabalho criativo e o talento de outra pessoa estão em cada produto lançado e se esse lançamento tem algum efeito ou nenhum sobre mim quem sou eu com meus julgamentos pessoais para dizer que o que ouço é terrível ou o pior?  A verdade é que eu gosto ou não, se eu gosto eu ouço se não eu não ouço. Esse é meu sentimento pessoal, se isso não me afeta ou mexe comigo, então ok. Isso não  significa que a próxima pessoa que ouvir se sentirá do mesmo jeito, então não cabe a mim fazer um julgamento para qualquer outra pessoa. Isso pode soar como uma resposta política, mas não é, é a Realidade !

Refletindo sobre tudo que você já experimentou nesse mundo do Metal: Há algo que você gostaria de ter feito e ainda não fez? Algum arrependimento? Alguma grande lição aprendida? Alguma boa história que mereça ser compartilhada? Algum conselho pra se passar à nova geração? Algo mais a ser dito?

Foto Tony Dolan

Tony Dolan – TUDO? Bem, já são quase 40 anos então… É bastante coisa hahaha. A maioria das memórias realmente importantes estão tatuadas na minha pele agora; essa é a forma como eu, pessoalmente, retenho essas experiências.  Algo que eu ainda não fiz e gostaria?  Levar minha banda a todos os continentes e países, para todos os fãs que eu puder e terminar com um concerto no Pólo Norte! Arrependimentos? Não, você não pode evoluir sem experiências sejam elas boas ou ruins tudo faz de você a pessoa que você é no final, então abrace tudo e aprenda! Para a nova geração na música meu conselho seria confie em VOCÊ, não ouça aqueles que dizem que você não pode!! VOCÊ PODE e se está sendo verdadeiro VOCÊ PODE e VAI!! Lições? TODOS o usam para algo, reconheça isso e se livre de todos aqueles que simplesmente se alimentam de você. NÃO CONFIE  EM NINGUÉM  e conheça-se bem. Boas histórias pra contar? Há muitas para ser honesto, mas ter James Hetfield em um show em San Francisco no meu aniversário há alguns anos atrás para celebrar e apreciar o show do VENOM Inc apenas como um fã foi de longe um grande destaque para mim.

Se há algo mais a ser dito? Bem, OBRIGADO !!  Essa entrevista foi muito divertida e eu estou honrado em ter sido convidado a participar. Para você e os fãs, MUITO OBRIGADO. AVE !! Vejo vocês em breve, aí fora, em algum lugar!!

 

 

Mostrar mais

Juliano Bonacini

Tecladista e letrista da LoneHunter (Death Metal), historiador e editor do Crypt of Eternity - fanzine da década de 90.

Veja também...

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar